Serra Vermelha e a Saga do Major João Nogueira: Cenários Cariri Cangaço Serra Talhada 2022

Saturnino Alves Nogueira, neto de Zé Nogueira - assassinado por Antônio Ferreira e bisneto do major Joao Nogueira

O Cariri Cangaço Serra Talhada - Calumbi - Bom Nome , se aproxima. Uma agenda intensa de visitas técnicas que nos proporcionarão conhecer uma gênese importante do coronelismo e cangaço de nosso nordeste. Em nosso quarto dia a programação chegará ao emblemático território da Serra Vermelha. A primeira visita da manha do dia 13 de novembro de 2022 será Casa sede da fazenda do Major João Nogueira,  personagem crucial das questões e vindictas familiares que ocasionaram o "ciclo do cangaceirismo de Virgulino Ferreira", e a questão Carvalhos e Pereiras da época. Se prepare e seja bem vindo à Serra Vermelha no Cariri Cangaço 2022. Avante !!!

Partiremos na manha do dia 13 de novembro, domingo, de Serra Talhada pela rodovia PE-390 que nos liga a Nazaré do Pico e Floresta e é justamente às margens desta rodovia que vamos encontrar um recorte importante da historia da região do Pajeú; essa rodovia também nos levará à Serra Vermelha, Fazendas Pedreira, Maniçoba e Passagem das Pedras, sem falar na Fazenda São Miguel. São casas e fazendas com vários logradouros que somente pesquisadores ou familiares dos personagens poderão decifrar em uma longa e boa prosa nos alpendres das casas velhas.  foi neste intuito que a Comissão Organizadora do Cariri Cangaço Serra Talhada definiu as visitas do dia 13 de novembro. Primeira parada a casa do Major João Nogueira na Serra Vermelha.

Luiz Ferraz Filho na casa do Major João Nogueira
Comissão Cariri Cangaço em visita a casa do Major João Nogueira

Quem nos conta é o Conselheiro Cariri Cangaço, Luiz Ferraz Filho, "não há nenhum estudioso do tema que nunca tenha lido sobre este nome. Foi ai na casa velha desta fazenda que nasceu o major João Alves Nogueira (ou João Barbosa Nogueira - filho este de Jose Barbosa Nogueira e Claudiana Maria das Virgens, esta filha de Francisco Alves da Fonseca Barros, da Barra do Exu), personagem crucial nas questões e vindictas familiares que ocasionaram o "ciclo do cangaceirismo" e continua Luiz Ferraz, "Como era filho de um abastado e conceituado fazendeiro, João Nogueira, foi prometido e casou com uma prima legitima de nome, Bevenuta Pereira Nogueira, filha do fazendeiro Manoel Pereira da Silva e Sá (Manoel Senhor, da Passagem do Meio) e Úrsula Alves de Barros (esta também filha de Francisco Alves da Fonseca Barros, da Barra do Exu -  irmã de Úrsula, mãe de João Nogueira). Diante deste entrelaçamento entre Joao Nogueira e Bevenuta Pereira, surgiria uma rivalidade familiar sem precedentes entre os parentes de ambas as famílias. Disputa está que seria única e exclusivamente por causa da herança e do espólio do patriarca Francisco Pereira da Silva, fundador do próspero povoado de São Francisco e avô paterno de Bevenuta Pereira, esposa de João Nogueira."

Saturnino e Vilson da Piçarra
Vilson da Piçarra e Luiz Ferraz Filho
Heldemar Garcia, Joaquim Pereira e Valdir Nogueira

E a história segue: "Sabendo que seria duro enfrentar uma questão com os cunhados (Pereiras) por uma maior participação na herança que cabia a sua esposa, o major João Nogueira, se valeu de seus familiares Alves de Barros/Carvalho. Era ele sobrinho do todo-poderoso, coronel Antônio Alves da Fonseca Barros (da Barra do Exu), na época chefe politico da numerosa família Carvalho e que fazia oposição politica a família Pereira. Foi este o ponto-chave da questão. Por ser o responsável pelas partilhas das heranças deixadas pelo pai (Francisco Pereira da Silva) e pelo irmão (Manoel Pereira da Silva e Sá), o ex-prefeito de Vila Bela (Serra Talhada), Manoel Pereira da Silva Jacobina (o Padre Pereira) seria o alvo principal. Em 16 de outubro de 1907, era ele assassinado em emboscada na Fazenda Poço do Amolar, próximo a vila de São Francisco. O crime recaiu de imediato para o major João Nogueira, como um dos mandantes, dando inicio assim a uma rixa familiar que atravessaria as fronteiras sertanejas" emenda Luiz Ferraz.
Joao Nogueira Neto olhando a Serra Vermelha pela janela da casa aonde seu pai (Luiz Alves Nogueira) e seu tio (Raimundo Nogueira) pularam no terreiro para enfrentar o bando de Lampião com 95 cangaceiros em agosto de 1926. Joao Nogueira Neto (nasceu em 1945) - Filho do sargento Luiz Alves Nogueira, que teve o pai covardemente assassinado em fevereiro de 1926 por Antônio Ferreira. 

Maria do Socorro Pereira Diniz (esposa de Joao Nogueira , este filho de Luiz Nogueira e neto de Ze Nogueira). Dona Socorro vem a ser sobrinha-neta de Sinhô Pereira

"Inconformado com a morte de Padre Pereira, um sobrinho dele, Manoel Pereira da Silva Filho (Né Pereira - cunhado de João Nogueira), toma a frente na vingança familiar. Dias depois, ainda em outubro de 1907, são assassinados de emboscada Eustáquio Gomes de Sá Carvalho (primo legitimo de Antonio Clementino de Carvalho - Antônio Quelé) e Joaquim Alves Nogueira (rico-fazendeiro da Fazenda Tabuleiro - irmão de João Nogueira), talvez na cabeça de Né Pereira, o assassinato de Joaquim Nogueira foi no intuito de cessar parte dos recursos da família Alves Nogueira, para financiar e sustentar a questão contra eles. Já a morte de Eustáquio foi devido ele ter o mesmo perfil pacifico e de liderança sobre a família Carvalho, tal como Padre Pereira tinha sob a família Pereira.

A casa velha da Fazenda Serra Vermelha , fica exatamente as margens do Riacho São Domingos, menos de 1 km , da Fazenda Matinha e do Sitio Passagem das Pedras (onde nasceu Lampião). Do outro lado do Riacho São Domingos (bem pertinho da casa velha da Serra Vermelha) existe o cemitério local onde estão enterrados o major João Nogueira e Ze Saturnino (primeiro inimigo de Lampião).  
Lampião havia cercado a casa velha de Ze Nogueira para tocar fogo.
 Os irmãos Luiz e Raimundo na foto acima (já órfãos do pai assassinado por Antonio Ferreira) sustentaram o combate até que Lampião começou a incendiar a casa. Nisso, vendo a casa incendiada, os dois (Luiz e Raimundo) e mais um amigo (Ze Barros) e um morador (Zé Paixão) pularam no terreiro para se salvarem e correram.Ao pular a cerca, Zé Paixão foi ferido mortalmente. 
 Local onde o morador Zé Paixão foi ferido mortalmente após escapar do incêndio na casa velha da Serra Vermelha. 
Capela ao lado da casa aonde estão enterrados Luiz Alves Nogueira e Raimundo Alves Nogueira que combateram o bando de Lampião com 95 cangaceiros .
Parede com as marcas do incêndio de agosto de 1926.

E conclui Luiz Ferraz Filho: "Diante desta questão toda com toda a família Pereira, o major João Nogueira fez de sua casa na Fazenda Serra Vermelha uma "fortaleza de resistência" aos possíveis ataques dos cunhados (Né Pereira, Praxedes Pereira, Luiz Pereira, Quinca Pereira, Zé Menino, Joãozinho Pereira e depois Sinhô Pereira) e demais familiares da numerosa e poderosa família Pereira. Joao Nogueira era cunhado e inimigo mortal de Né Pereira e Sinhô Pereira. E foi justamente nesta casa ao pé da serra que dá o nome da secular fazenda, há cerca de 2 km da rodovia, que sentei no banco velho de aroeira e voltei no tempo onde a honra pessoal estava acima de qualquer sentimento de parentesco familiar."

Venha conhecer as terras da Serra Vermelha, Casa do Major João Nogueira, testemunhas vivas da história do Pajeú, do Sertão e do Nordeste... Sejam bem vindos ao Cariri Cangaço Serra Talhada 2022.
11 a 15 de novembro de 2022.

A Tradição de Bom Nome Recebe o Cariri Cangaço em Grande Festa

Cilene Pereira Valões; neta de Né da Carnaúba e anfitriã do Cariri Cangaço Bom Nome
e o Conselheiro Valdir Nogueira

BOM NOME DISTRITO DE SÃO JOSÉ DO BELMONTE, SOB A COORDENAÇÃO DA PROFESSORA CILENE PEREIRA VALÕES, GESTORA DA ESCOLA NAPOLEÃO ARAÚJO E EQUIPE, SE PREPARA PARA RECEBER O CARIRI CANGAÇO SERRA TALHADA-CALUMBI-BOM NOME 2022!

Evento de cunho turístico-cultural e histórico-científico, o Cariri Cangaço reúne alguns dos mais destacados pesquisadores e historiadores das temáticas; cangaço, coronelismo, misticismo, messianismo e correlatos ao sertão e ao nordeste, do Brasil, configurando-se como o maior e mais respeitado evento do gênero no país.

Sob a coordenação da professora Cilene Pereira Valões, a comunidade e as famílias de Bom Nome; tradicional distrito do município de São José de Belmonte; se prepara para receber pela primeira vez o Cariri Cangaço, desta vez no dia 12 de novembro de 2022 para um conjunto de visitas técnicas e em especial uma caminhada histórica pelas ruas do lugar mostrando os principais cenários, episódios e personagens que escreveram a história desse importante cenário sertanejo.

Foto de Egberto Araújo/Flick

"Bem próximo da Vila, está localizado numa elevação, que por sinal, é a mais alta da redondeza, um bucólico morro conhecido como Monte de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que ao mais descuidado observador denota a devoção e a simplicidade do seu povo. É voz corrente no lugar que o bandoleiro Lampião sempre que por Bom Nome passava, subia o monte para rezar para sua madrinha e protetora Nossa Senhora."

"Nos sentimos inteiramente honrados em chegar pela primeira vez em Bom Nome nesta edição do Cariri Cangaço e ainda mais pelo total apoio, confiança e o zelo da professora Cilene Pereira Valões e todo o corpo de profissionais da Escola Napoleão Araújo, que preparam uma grande festa para receber a família Carira Cangaço de todo o Brasil. Nossa eterna gratidão a professora Cilene, e abraçamos os profissionais da gestão escolar: Rosane, Flávio, Tiquinha, Alesxandra, Lurdes, enfim, que estão se empenhando para nos proporcionar o melhor" revela Manoel Severo, curador do Cariri Cangaço.

Cilene Pereira Valões anfitriã do Cariri Cangaço Bom Nome

"Severo, Bom Nome se encontra no epicentro da questão Pereira x Carvalho juntamente com São Francisco (Vila Bela) e Santa Maria (Tupananci). Uma de nossas preocupações, junto com a professora Cilene, é justamente proporcionar a todos que nos visitam; além de conhecer nossa história; uma maior integração com as família de Bom Nome, ou seja, aqui é um lugar de uma vocação importante de cultura, artesanato e de culinária, aqui em cada casa vamos encontrar muita comida gostosa e muita coisa bacana para levar; principalmente nosso famoso doce de leite, então será uma festa inesquecível" lembra o Conselheiro Cariri Cangaço, Valdir Nogueira, da Comissão Organizadora do Cariri Cangaço Serra Talhada-Calumbi-Bom Nome.

Bom Nome, São José de Belmonte
Cenário Cariri Cangaço 2022
29 de outubro de 2022

Calumbi e a Invasão de Lampião : Cenário Cariri Cangaço 2022 !

Joaquim Pereira, Manoel Severo e Louro Teles no cenário da invasão de Lampião a Calumbi

O Cariri Cangaço Serra Talhada - Calumbi - Bom Nome , se aproxima. Uma agenda intensa de visitas técnicas nos proporcionarão conhecer uma gênese importante do coronelismo e cangaço de nosso nordeste. O  município de Calumbi recebe a agenda da programação Cariri Cangaço no dia 14 de novembro, segunda-feira. Depois das extraordinárias visitas técnicas ao cenário do combate da Serra Grande e a Fazenda Tamboril; do episodio dos baleados;  a caravana Cariri Cangaço parte para o centro da cidade de Calumbi para ali reviver os momentos de medo e terror da invasão de Calumbi por Lampião, episodio que marcou aquela gente.

"Severo, Lampião teve sim uma forte ligação com Calumbi, desde os tempos em que a família Ferreira dedicava-se ao oficio de almocreve, ele já tinha amizade com moradores do lugar, muitos coiteiros, mas também muitos inimigos. Aqui teve um surpreendente romance e até um suposto filho com uma menina chamada Tatu. Teve estupro, uma briga de Lampião com o primeiro prefeito, o processo movido pelo delegado da cidade e a invasão de Calumbi por Lampião e 50 cangaceiros" Conta o pesquisador e escritor Louro Teles, Conselheiro Cariri Cangaço e organizador do Cariri Cangaço em Calumbi.

Joaquim Pereira, Manoel Severo e Louro Teles

O município de Calumbi teve início com a família Barbosa, cujos membros foram seus primeiros habitantes, os quais construíram a Igreja Católica do lugar, tendo como padroeira Nossa Senhora da Conceição. Assim, originou-se a sua festa tradicional, em 08 de dezembro de 1877. Foi elevado à condição de vila, com a denominação de São Serafim, pertencente à Comarca de Flores. Posteriormente, passou a se chamar Calumbi devido à existência de grande quantidade de arbustos de pequeno porte no rio Pajeú. O município se estende por 179,3 km² e contava com 5 750 habitantes no último censo. A densidade demográfica é de 32,1 habitantes por km² no território do município. Vizinho dos municípios de Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde e Serra Talhada. Calumbi se situa a 17 km a Norte-Leste de Serra Talhada

Calumbi em pleno centro-norte do estado de Pernambuco
Paroquia de Nossa Senhora da Conceição em Calumbi

A padroeira de Calumbi é Nossa Senhora da Conceição, dessa forma originou-se a sua festa tradicional, em 08 de dezembro de 1877. A atual Calumbi foi elevada à condição de vila, com a denominação de São Serafim, pertencente à Comarca de Flores. Posteriormente, passou a se chamar Calumbi devido à existência de grande quantidade de arbustos de pequeno porte no rio Pajeú. A invasão do bando de Lampião ocorreu exatamente a partir da praça e do patamar da igreja de Nossa Senhora da Conceição. 

"Para nós é uma grande satisfação estarmos chegando pela primeira vez a Calumbi com uma grande agenda do Cariri Cangaço, sem dúvida a primeira de outras varias no futuro. O empenho do Conselheiro Louro Teles e o apoio incondicional da Secretária Jocielma Silva e principalmente do Prefeito Joelson nos dão a certeza de um espetacular evento para todos os que nos visitam e também para as queridas família de Calumbi." ressalta Manoel Severo.

Calumbi, Pernambuco - Cenário Cariri Cangaço 2022
Cariri Cangaço Serra Talhada-Calumbi-Bom Nome
11 a 15 de novembro de 2022

Bom Nome e a Visita de Sinhô Pereira: Cenário Cariri Cangaço 2022

Em Bom Nome, distrito de São José do Belmonte, Sinhô Pereira (de óculos) com seus primos José Napo, Antônio e Jacinto Napo, filhos do Sr. Napoleão Alves de Araújo e dona Verdelina Pereira Valões, que era sobrinha de Né Pereira (Né Dadu). (fevereiro de 1971)

Os infindáveis conflitos entre Pereiras e Carvalhos surgidos na época imperial atravessaram o século 19 e se estenderam ao período republicano. Na primeira década do século 20, Luis Padre (primo de Sinhô Pereira) tem seu pai assassinado em um dos confrontos. O irmão de Sinhô Pereira, Né Pereira (Né Dadu), começou a liderar um grupo da família promovendo a vingança em intermináveis conflitos que seguiam sem parecer ter fim.

Ora, certa ocasião, Né Pereira recrutou Zé Grande, cuja alcunha era “Palmeira” para seu bando. Zé Grande era ex-jagunço dos Carvalhos. Passou um tempo preso e após fugir, foi pedir guarida aos Pereiras. Talvez Né Pereira acreditasse que ganharia um grande trunfo, já que o jagunço conhecia detalhes dos seus antigos patrões. No entanto, a história foi outra: Né Pereira tirava um cochilo, quando Zé Grande, aproveitando a oportunidade, o assassinou. Conta-se que ainda levou o chapéu e o punhal de Né Pereira para mostrar aos Carvalhos, na Fazenda Umburanas.

Foi o estopim. Ocasionando na entrada, de vez, de Sinhô Pereira e Luis Padre no Cangaço. Com fúria e revolta pela impunidade, montaram um bando numeroso e com muita sede de vingança. A partir de então os conflitos ganharam proporções muito mais intensas.

Cariri Cangaço Serra Talhada - Calumbi - Bom Nome
11 a 15 de novembro de 2022

Foi nesse cenário que Sinhô Pereira recebeu a visita de Virgulino Ferreira e seus irmãos. No entanto, em 1922, após uma série de escaramuças Sinhô Pereira resolveu por fim ao seu legado no Cangaço, tendo passado então o comando do bando a Lampião, ordenando ao mesmo, porém, que ninguém da família Pereira seria jamais incomodada por cangaceiros. Virgulino prometeu e cumpriu.

Financiados por Isidoro Conrado e Né da Carnaúba, Sinhô Pereira e Luis Padre viajaram para Goiás, com a chance de recomeçarem a vida. E, sem explicar detalhes, Sinhô Pereira afirmou que não foi nada fácil. Os anos se passaram e cada um seguiu seu rumo. Luis Padre manteve-se em Goiás. Sinhô Pereira foi para Minas Gerais, onde viveu até cumprir seu ciclo. Morreu em dezembro de 1979. Antes, em fevereiro de 1971, esteve, após 49 anos, no Pajeú, seu torrão natal. Cercado de lembranças e emoções boas e ruins visitou Serra Talhada, antiga Vila Bela, São José do Belmonte e Bom Nome.

Valdir Nogueira, pesquisador e escritor
Conselheiro Cariri Cangaço, São José de Belmonte

Fazenda Tamboril: Cenário Cariri Cangaço em Calumbi 2022

Fazenda Tamboril em Calumbi

O Cariri Cangaço Serra Talhada - Calumbi - Bom Nome , se aproxima. Uma agenda intensa de visitas técnicas que nos proporcionarão conhecer uma gênese importante do coronelismo e cangaço de nosso nordeste. A cidade de Calumbi nos recebe para o segundo dia de programação. Depois da Serra Grande vamos até a Fazenda Tamboril, palco importante e dramático deste mesmo combate da Serra Grande; no antes e no depois... Vem conosco para conhecer.

"Aqui em Tamboril, Severo, foi justamente onde Lampião dormiu com seus cabras na véspera do combate, dormiu num engenho do outro lado da estrada de onde estamos e aqui nesta casa, chegaram ao amanhecer, as tropas volantes; por pouco não pegaram os cangaceiros aqui mesmo, daqui saíram no encalço do grupo e no final do dia, para esse alpendre, trouxeram os 14 soldados baleados no fogo da Serra Grande, foi um desmantelo..." Comenda Louro Teles, pesquisador e escritor, Conselheiro do Cariri Cangaço.

Senhor Francisco Braz e o Conselheiro Cariri Cangaço Louro Teles
Caravana Cariri Cangaço no Tamboril

"Serra Grande com quase dez horas de fogo serrado; com o combate iniciando depois das oito da manha e estendendo-se até o anoitecer, o que se viu foi a ampla vantagem numérica das forças volantes; que somavam quase 300 homens; ser pulverizada pela estratégia cangaceira, boa parte dela referente à extraordinária posição assumida pelo bando. As forças volantes sob o comando de Higino Belarmino e ainda contando com Arlindo Rocha, Manoel Neto e Euclides Flor acabaram sendo submetidas a um revés histórico com quase 30 soldados entre mortos e feridos. Entre as "vítimas morais" o destaque para o valoroso Arlindo Rocha; que teria comentado que os cangaceiros almoçariam bala e acabou recebendo um balaço no rosto que lhe fraturou o maxilar inferior; e o bravo nazareno Manoel Neto, que recebeu balaço nas duas pernas, além do episódio onde Euclides Flor recolocou ainda em combate as vísceras abdominais de Vicente Ferreira, ou Vicente Grande, baleado no estômago; desastre total para as forças volantes, enquanto no bando cangaceiro, nenhuma vítima registrada."

O pilão onde foram preparada a beberagem remédio para os soldados feridos, "Não sobrou nenhum pintos desse terreiro, todos foram pisados com água no pilão e dai os soldados tomaram para vomitar e colocar tudo o que não prestava para fora..."

Joaquim Pereira, Luiz Ferraz Filho, Heldemar Garcia, Louro Teles e Manoel Severo nos preparativos para o Cariri Cangaço no Tamboril - Calumbi

 "...para este alpendre foram levados os 14 soldados baleados na Serra Grande e aqui acabou se tornando um grande hospital. Entre os baleados levados estavam Arlindo Rocha; colocado deitado nesse mesmo banco de madeira e Mané Neto"

A casa 
do Senhor Francisco Braz na Fazenda Tamboril, para onde foram levados os 14 soldados baleados na Serra Grande acabou se tornando um grande hospital. Entre os baleados levados ao lugar estavam 
Arlindo Rocha; colocado deitado em um banco de madeira e Mané Neto, que acabou deitando no chão junto ao banco. Dali enviam comunicado ao comando em Vila Bela. De Vila Bela parte o  major Theófhanes Ferraz Torres, que chega ao Tamboril com um comboio de cinco caminhões para transportar as volantes para Vila Bela. Então que venha o Cariri Cangaço Serra Talhada-Calumbi-Bom Nome, avante !

Cenários de Calumbi - Serra Talhada, 25 de outubro de 2022
Redação Cariri Cangaço 

Serra Grande, o Grande Combate: Cenário Cariri Cangaço em Calumbi

Manoel Severo, Louro Teles, Joaquim Pereira, Luiz Ferraz Filho, Clênio Novaes 
e Valdir Nogueira; na Serra Grande

O Cariri Cangaço Serra Talhada - Calumbi - Bom Nome , se aproxima. Uma agenda intensa de visitas técnicas que nos proporcionarão conhecer uma gênese importante do coronelismo e cangaço de nosso nordeste. Em nosso terceiro dia a programação chegamos ao município de Calumbi, cenário de um dos maiores combates do ciclo lampiônico, cenário da emblemática Serra Grande; primeira visita técnica do dia 13 de novembro de 2022. Avante !!!

Manoel Severo, Clênio Novaes, Louro Teles e Junior Almeida em visita à Serra Grande nos preparativos do grande encontro de novembro.

"Serra Grande ! Pedaço de chão encravado no sertão pernambucano de Virgulino Ferreira, serra enigmática com seus mais de 900 metros de altitude situada entre os municípios de Calumbi, Flores e Serra Talhada, no famoso Vale do Pajeú. Serra Grande, palco do maior combate que o cangaço de Lampião protagonizou ao longo de seus 20 anos de reinado." 

Serra Grande chega em grande estilo ao Cariri Cangaço Serra Talhada - Calumbi - Bom Nome 2022, com a expectativa da presença de mais 300 pesquisadores de todo o Brasil, sem dúvidas conhecer mais de perto o que foi esse extraordinário combate, in loco,  será um dos pontos altos de toda a agenda do evento, a visita guiada ao local do combate acontece na manha do dia 13 de novembro de 2022.

Cariri Cangaço nos preparativos para o Cariri Cangaço em Calumbi - Serra Grande 2022

Os números são impressionantes até para aqueles que são afeitos ao estudo do fenômeno: 10 mortos, 14 feridos, quase 300 militares numa sanha desesperada em busca de dar fim a Virgulino com seus mais de 115 cangaceiros; foram cerca de 3 mil tiros em quase 10 horas de combate naquele longínquo 26 de novembro de 1926..

a cidade de Calumbi, distante cerca de 18  Km de Serra Talhado recebe o segundo dia de Cariri Cangaço. As visitas do segundo dia saindo de Serra Talhada as 8h30 para a primeira parada no distrito de Varzinha. Em Varzinha teria sido o local onde Lampião exigiu a entrega do resgate de 20 contos pelo sequestrado Pedro Paulo Magalhães Dias; inspetor da Standard Oil Company; ali também localizava-se a residência de Silvino Liberalino; que tinha sido subdelegado de Vila Bela, em 1911; local onde Lampião estacionou com seu bando antes do fogo e acabou levando o mesmo como refém.  


Comissão Organizadora do Cariri Cangaço visita as trilhas do combate da Serra Grande para o grande encontro de novembro em Calumbi


Dali partiremos para o cenário da guerra !!! Chegaremos a localidade de Monte Alegre, primeiro cenário do famoso combate da Serra Grande e seguiremos a trilha do fogo. Sob o comando dos Conselheiros Cariri Cangaço;  pesquisador e escritor Louro Teles e pesquisador Vilson da Piçarra; os visitantes terão a oportunidade de pisar o solo sagrado de um dos maiores combates de toda a saga cangaceira. 

Calumbi - Serra Grande
Cenário de Serra Talhada, 24 de outubro de 2022
Redação Cariri Cangaço 

Seis Homens e um Destino !

Seis Homens e Um Destino: 

O maior encontro de pesquisadores do cangaço, já visto !

 Que venha o Cariri Cangaço Serra Talhada-Calumbi-Bom Nome...

Luiz Ferraz Filho, de Serra Talhada, presidente da Comissão Organizadora do Cariri Cangaço Serra Talhada; Valdir Nogueira, pesquisador, escritor, Conselheiro Cariri Cangaço de São José de Belmonte; Joaquim Pereira, pesquisador de Recife; Clênio Novaes, pesquisador de São José de Belmonte; Louro Teles, pesquisador e escritor, Conselheiro Cariri Cangaço de Calumbi; Vilson da Piçarra, pesquisador de Brejo Santo. Essa é a Comissão responsável pelo Grande Cariri Cangaço Serra Talhada 2022.

Memória, História, Tradição...


 

"A Nascente dos Pereiras" Por: Cícero Aguiar

FAZENDA CARNAÚBA

"A nascente dos Pereiras" 

Na fazenda Carnaúba 
Nesta terra avermelhada
Morou José e Jacinta 
Pais de toda Pereirada 
Nesta fazenda importante 
Foi a primeira morada 

Hoje a história contada 
Vem lá da povoação 
Da lendária Vila Bela 
Que é rubrica de sertão 
Terra de sangue e bravura 
Onde nasceu Lampião 

Neste pedaço de chão 
A história tem valor 
Onde o terreno vermelho 
Revela a face da dor 
Se teve dor e lamento 
Certamente teve amor 

Por aqui andou Sinhô 
De bravura inquietante 
Luiz Padre e Simplício 
De Manoel, comandante 
Lar de Né da Carnaúba
Uma figura cativante

De Alexandre o gigante 
E também de Cipriano 
Mortos na Pedra do Reino
Num episódio tirano 
Lá no século dezenove 
Trinta e oito foi o ano

Vitorino também mano 
Francisco agora citado 
Mais Antonio e Joaquim 
Entes deste pontentado
Filhos desta Carnaúba 
Este torrão respeitado 

Neste chão abençoado 
De Mariana e de João 
A prole não é pequena 
Tem Ana e Sebastião 
Terra de padre Pereira 
De Andrelino o Barão 

São estampas do sertão 
Esses que eu me refiro 
Terra de Zé Aguiar 
Que com razão eu prefiro 
De Izidoro e Cajueiro
De Leônidas e Argemiro 

Eu já citei Argemiro 
Baraúna do nordeste 
Sem esquecer Padre Mina 
Geni figura inconteste 
Lá de Bernardo Vieira 
Com raízes no Agreste 

Deus por favor me empreste 
Um pouco de inspiração 
Lembrar Antonio Andrelino 
Que era filho do Barão 
Dos Valões e João de Ciba 
E de José Sebastião 

E nas lutas do sertão 
Muitas vezes traiçoeira 
Não tem como não falar 
Do valente Né Pereira 
E de Antônio Cassiano
E da fazenda Cachoeira 

Dr. Arcôncio Pereira
Foi o primeiro letrado 
Que militou na política 
Como Custódio Conrado
Lorena grande político 
Historiador respeitado 

Luiz Wilson aclamado
Um renomado escritor 
Luiz do Triângulo foi
Um Pereira de valor 
Foi cabra de Zé Pereira 
E também foi de Sinhô

Bom nome que tem valor 
A Belmonte pertencente 
Como a fazenda Cristóvão 
De Ioiô e sua gente 
Um Pereira de Araújo 
Com insígnia de valente 

Valentia era patente 
Naquele sertão raivoso 
Que foi forjado na bala 
Por isso tão perigoso 
Terra onde o destemido
Se tornava poderoso 

Mais tudo foi oneroso 
Pra o sertanejo inocente 
O estado não protegia 
Por ser tão incompetente 
Nada tendo a oferecer 
Sendo apenas negligente 

É preciso que a gente 
Procure se aprofundar 
Olhar todo o ocorrido 
Para poder afirmar 
Se havia outro contexto 
Para o sertão povoar 

E por aqui vou parar 
Dando meu simples recado 
Falei de meus ancestrais 
Alguns, lendas do passado 
Perdoem a minha retórica 
Tudo que foi rabiscado 

Cicero Aguiar Ferreira 
22 de outubro de 2022

 A Fazenda Carnaúba será nossa segunda Visita Técnica do Cariri Cangaço Serra Talhada 2022 ; no dia 12 de novembro pela manhã ; sem dúvidas outro dos cenários mais emblemáticos de todo o Pajeú, a Fazenda Carnaúba do lendário Né da Carnauba, foi palco de alguns dos mais significativos e simbólicos episódios do começo do século XX na Pajeú.