E Mossoró... Lampião Acovardou-se ?

Bando de Lampião em Limoeiro, retornando de Mossoró

O documentarista e pesquisador do Cangaço, sócio da SBEC e do GECC e Conselheiro Cariri Cangaço, Aderbal Nogueira, reanimou nesta última semana um salutar polêmica sobre o ataque de Lampião a Mossoró, senão vejamos...


"Será que podemos dizer que Lampião ao não entrar em Mossoro ACOVARDOU-SE? ninguém nunca falou nisso mas acho que quando ele viu onde tava se mantendo acabou refugando. O que acham amigos?"

Carlos Henrique... "Eu acho que Massilon botou muita coisa na cabeça dele, então ele não quis se envolver, mas demorou pra perceber que era cilada..."

José Tavares... "Não consigo me convencer que Massilon Leite foi realmente o grande idealizador do ataque a Mossoró. Na verdade, Massilon Leite sempre foi por demais subordinado aos grandes coronéis norte-rio-grandense, com perfil mais próximo a comandante de jagunços, do que de um líder cangaceiro propriamente dito. Sua estreia relação com Quinca e Benedito Saldanha era de enorme dependência. Vivia em suas propriedades e toda as ações comandadas por Massilon passavam necessariamente pelo crivo dos irmãos Saldanha.



Estou cada dia mais apto a crer na possibilidade de ter sido Décio Holanda o grande idealizador do ataque a Mossoró. Principalmente porque Massilon não tinha tanta influencia, nem tamanho poder de persuasão, para de uma só vez conseguir convencer os coronéis (financiadores) e cangaceiros (executores), que sequer ele os conheciam. "

Massilon

E continua José Tavares... "Assim, creio que o plano do ataque a Mossoró deve ter começado de cima para baixo: Décio Holanda convenceu o seu sogro Tilon Gurgel e o cel Isaías Arruda, só então os grupos cangaceiros foram por eles arregimentados para a execução do plano. 


Eu não diria que Lampião se acovardou. Ele estava em um ambiente em que não lhe era propicio, já que a sua especialização era nas caatingas. Ele percebeu que se fosse em frente haveria a grande chance dos cangaceiros passarem pela mesma situação que aconteceu com as volantes na batalha de Serra Grande. Portanto, acho que foi uma retirada estratégica e necessária para evitar uma iminente derrota em um terreno que lhe era completamente desconhecido."

Codinome "Volta Seca" opina..."Esse Aderbal Nogueira atira de ponto na suas indagações. A resposta à sua indagação, pode ser vista de vários ângulos: 1º ) Acovardou-se; 2º ) Estratégia de combate ; 3º) Esperar como as coisas ficam e depois meter o peito; 4º ) Viu que aquele ambiente, não lhe era propício para o tipo de luta que sempre enfrentara e ganhara......Faço minhas as palavras do pesquisador José Tavares, ditas , logo acima, e, acrescento: a) Lampião perdeu o elemento " surpresa ", que sempre estava ao seu favor nos ataques que realizava; b) A sua visão estratégica lhe aguçou a mente, ao perceber, que a cidade estava muito bem armada; cerca de 300 defensores contras algo em torno de 50 cangaceiros; e todos bem colocados em locais estratégicos, e, com excelente visão ; campanários das igreja; em cimas das casas;etc. 

Uma das frentes de defesa nas trincheiras de Mossoró

E continua "Volta Seca"... "Logo, inteligente como ele era, deliberou no sentido de que Massilon, Sabino e Jararaca, cada um fizesse uma frente, e atacassem, no sentido de chegar na casa do Prefeito Rodolfo Fernandes, que estava municiado e sendo defendido por muitos atiradores postados em cima de sua residência - Intendência , e nas casas circunvizinhas. c) Lampião ficou com alguns homens, no local do cemitério esperando o desfecho e, não disparou nem um tiro; desse local para o cenário da refrega; dá em torno de uns 200 metros. Pressentido que o combate lhe era desfavorável, retirou-se, de imediato, tendo perdido dois importantes cangaceiros: Colchete e Jararaca. Além de alguns outros feridos, um deles, veio a falecer depois. Indago: Esse fato de Lampião ter ficado no cemitério, enquanto o combate se desenrolava, pode ser considerado como COVARDIA ou como ESTRATÉGIA MILITAR prudente ? Com a palavra os estudiosos .

Aderbal Nogueira: "Estrategia ? nesse caso não sei... Mandar outros enquanto ele estava a salvo... Que ele era um grande estrategia isso não tenho duvidas, mas nesse caso acho que quando viu a "coisa" disse "vou é nada, mando os outros pra fogueira" se fosse tu, ia?

Adriano Pinheiro: "Eu usaria outra palavra para classificar a atitude de Lampião, esperteza, pois com tudo que ocorreu no trajeto até chegarem a Mossoró;  invasões, sequestros, a ida de Massilon a Apodi, etc...; com as patacoadas de Massilon, o tamanho da cidade e a estratégia de defesa, montada pelos sitiados ele deve ter pensado: " Vôte, te dana, quem pariu Mateus, que balance, eu vou voltar é daqui mesmo..." é o que eu penso."

Prefeito Rodolfo Fernandes

Danilo David Carvalho "Acho que não foi covardia, foi estrategia mesmo, vamos pensar um pouco como ele: , "a cidade era grande, a maior de todas que já foram atacadas, se a resistência fosse pouca ele chegaria com sua tropa para findar o combate e sua tropa alojada no cemitério poderia esta na chamada retaguarda , no caso de uma retirada o que aconteceu, sua tropa daria cobertura, e por aí vai..."

Manoel Severo... "Caros amigos, essa questão de Mossoró é outro "nó" dentro da historiografia do cangaço, e Aderbal para não perder o jeito, acaba sempre "cutucando" a onça com vara curta !!! Mas me permitam opinar : Quando nos aprofundamos sobre esse ataque de Virgulino a Mossoró, vamos encontrar, e ainda mais a partir de várias reflexões de Honório de Medeiros; um forte componente político "potiguar" por traz da empreitada; certamente houveram erros desde o inicio, na própria marcha a caminho de Mossoró com as bestiais barbáries dos cangaceiros, como que estivessem alardeando o que viria... 

Mossoró, não fazia parte do habitat de Virgulino; suas ligações perigosas e suas conveniências não foram suficientes para colocá-lo a frente do combate numa situação desfavorável. Lampião não tinha "rei nem lei" ; nunca enfrentou o desfavorável a não ser quando inevitável, daí me permitam: Não teria sido covardia, foi como sempre aconteceu: instinto de sobrevivência, que acabou perpetuando seu reinado por vinte anos, esse era Virgulino Lampião, e em Mossoró não seria difidente. Vejam também os exemplos de Uiraúna, Ipueira dos Xavier e inclusive a própria propalada vingança em Frei Paulo, quando da morte de Zé Baiano, sem falar nas vinganças sobre Saturnino e Lucena... Vamos em frente..."

Jararaca, baleado e preso na empreitada de Mossoró

Paulo Guerra: " Ser valente não é sinônimo de besta...
Ele era valente e estrategista viu que ele tinha mais a perder que ganhar se insistisse, foi sensato e tomou a decisão certa recuar e poupar seus comandados daquela arapuca."


Codinome Volta Seca: "Esse Aderbal não tem jeito...Fica na espreita e dá uma cutucada dessa ? A discussão está boa e traz á lume, um fato novo que está sendo estudado: LAMPIÃO...COVARDE OU ESTRATEGISTA NO ATAQUE A MOSSORÓ ? Alguém duvida que Lampião era valente ? É, como o Paulo Guerra falou acima.." Ser valente não é sinônimo de besta..."....Vou só lembrar a vocês, um fato que aconteceu. Certa Vez Lampião e seus cabras cercaram a casa do bravo ex-cangaceiro e, agora, militar Quelé no distrito de Baixa Verde-PE, fogo acirrado, já com alguns mortos por parte da família de Quele, e, de algum cangaceiro. Livino, irmão de Lampião, queria a todo custo, entrar na casa, e lutar com Quelé a ferro frio.Tal atitude, Lampião não consentiu...Ele, Livino muito agitado chamou Lampião de covarde, por não invadir a casa, ao que o rei caolho do cangaço respondeu, mais ou menos nesses termos: " sei com quem estou brigando, e, não quero perder você com sua burrice.." Como se constata, essa personalidade e visão das coisas Lampião tinha de sobra, o que fez com que o mesmo sobrevivesse por quase 20 anos no cangaço conforme falou acima o Dr. Manoel Severo. Assunto aberto e, ainda, em discussão..."


Memorial da Ressistência em Mossoró, imagens gigantes dos invasores

Antonio Correa Sobrinho... "Penso que não há que falar em covardia de cangaceiros e volantes do naipe de um Lampião, Corisco, Luis Pedro, Manuel Neto, Rufino. Pelo menos diante da morte, estes indivíduos demonstraram à exaustão nada temer. Mossoró, para mim, foi um caso atípico na tribulada vida de Lampião. Como disse o valoroso Manoel Severo, Lampião encontrava-se fora do seu habitat, que acrescento além da caatinga, a região drenada pelo rio São Francisco e seus tributários. Mossoró, cidade grande, tipo das que Lampião jamais atacou, e que não havia a seu favor o fator surpresa, eis que já lhe esperava, bastante aguerrida, para completar. 

As motivações de Lampião para se deslocar para tão longe dos seus, dificilmente saberemos com certeza. Leio em "A Arte da Guerra" que os bons generais comprometem-se até a morte, porém não se aferram à esperança de sobreviver; atuam de acordo com os acontecimentos, em forma racional e realista, sem deixar-se levar pelas emoções, nem estar sujeitos a ficar confusos. Quando veem uma boa oportunidade, são como tigres, em caso contrário cerram suas portas. Sua ação e sua não ação são questões de estratégia". Lampião foi um grande estrategista, e os comandantes mais prudentes situam-se sempre na retaguarda. 


Arte de Carybé

Por oportuno, trago aqui algumas opiniões sobre a coragem e valentia de Lampião: "Acabou-se um homem valente que tinha a vaidade de querer dominar o mundo" - Davi Jurubeba. "Morreu um cabra macho!" - Euclides Flor. "Um gênio em tudo." - Optato Gueiros. "Lampião tinha o espírito de Napoleão." - General Liberato de Carvalho. "Ao intrépido forasteiro Capitão Virgulino Ferreira da Silva, vulgo Lampião, com um abraço de Jackson Alves de Carvalho. Capela, 25 de novembro de 1929". Salvo este último, são opiniões de militares que o conheceram e lhe combateram. Já o capelense Jackson Alves, comerciante, era um homem esclarecido, malgrado a pressão que no momento recebia de Lampião, podia utilizar um outro adjetivo no seu elogio ao famanaz, no oferecimento feito no livro da adventista Ellen G. White, mas preferiu qualificá-lo de 'intrépido', que é aquele que não receia o perigo, que não tem medo; arrojado, corajoso. 

De modo que, sinceramente, não vejo como lógico, factível, um fora da lei, um criminoso, uma pessoa com tantos inimigos, desafetos, jurado de morte, de vingança, um fugitivo da Justiça, cangaceiro perseguido por forças civis e militares de sete Estados, sem poder laborar decentemente, e em meio a tudo isto, conseguir articular com tanta gente, pobres, médios e ricos, do povo, donos do poder, a ponto de tecer uma rede de proteção das mais eficazes; fazer marketing, ironizar governantes, comandar levas de cangaceiros, alguns muito mais perversos e cruéis do que ele, e, no final de todas as contas, conseguir ganhar a atenção de milhões de pessoas, para amá-lo ou odiá-lo, contestá-lo ou apoiá-lo, adorá-lo, venerá-lo, detestá-lo, isso já desde seus primeiros anos de ilicitudes, e ainda hoje, quase 78 anos de sua morte, pessoas como eu e os amigos, num grupo do Facebook especialmente para tratar de um tema - cangaço - cuja figura central termina sendo sempre ele, Virgulino Lampião - como disse em cima, não vejo como lógico, factível este cabra ter sido um fraco, um medroso, covarde, sem inteligência, sem argúcia, sem perspicácia, sem estratégia, imprudente, desleal."



Juliana Pereira..."Não, Lampião não acovardou-se. Um indivíduo como Lampião, que sobreviveu por mais de 15 anos no comando de verdadeiras feras assassinas, homens atrozes, não pode, em momento algum, ser observado ou julgado isoladamente. Digo, por um fato isolado, dentro de um fenômeno social como foi o cangaço no nordeste brasileiro. Existe uma coisinha chamada "tirocínio" e, foi exatamente isto, que o manteve no comando por tantos anos e com as polícias de quase todos os Estados do Nordeste em seu encalce. "Refugar", não é sinônimo de acovardar-se, numa briga de rua, de bar, talvez... mas dentro de um exército, grupo organizado ou algo que o valha, com objetivo comum (leia-se objetivo, e não ideologia) não é, e nunca será "acovardar-se", e sim, uma tática que até Alexandre, o grande, Napoleão Bonaparte e outros grande comandantes usaram, para sobrevivência do própria grupo, por isto, todos eles, foram grandes comandantes, por saber o exato momento de ir além ou refugar... TIROCÍNIO!"

Partes transcritas do Grupo Lampião, Cangaço e Nordeste
Facebook

Um comentário:

francisco das chagas oliveira disse...

De rifle na mão são poucos que não são valentes .