Exu


Exu e a Grande Noite de Abertura 

do Cariri Cangaço


YouTube


A noite do dia 20 de julho de 2017, quinta-feira, marcou a chegada do Cariri Cangaço ao município de Exu, na exuberante Chapada do Araripe, em Pernambuco; terra do Rei do Baião. O auditório da escola Bárbara de Alencar no centro de Exu recebeu um público extraordinário de mais de quatrocentas pessoas, entre autoridades, pesquisadores, escritores e personalidades de todo o Brasil, configurando-se como um dos maiores públicos do Cariri Cangaço.

A recepção aos convidados a cargo da Orquestra Sonata de Exu, que também executou o Hino Nacional, trouxe a elegância e o talento dos artistas de Exu para a abertura do grande evento, que teve em um de seus números a união entre a música de câmara e o som sertanejo do acordeom, numa execução maravilhosa com o musico Jonêz Bezerra. O Prefeito Raimundinho Saraiva ao lado do presidente da Câmara Municipal, Davi Moreira e ainda do secretário de cultura Rodrigo Honorato, representaram o município que acolheu nessa noite representantes de 14 estados brasileiros. O inicio da noite marcou a apresentação do Cariri Cangaço pelos Conselheiros Wescley Rodrigues e Cristina Couto, que traçaram a trajetória do empreendimento desde sua origem até os dias de hoje, nestes oito anos de atividades.

 Sonata de Exu e Jonêz Bezerra em noite de abertura do Cariri Cangaço Exu 2017
 O Brasil de alma nordestina se encontrou em Exu...

”Já são oito anos de Cariri Cangaço, 5 estados, 21 municípios, mais de 600 pesquisadores, mais de 90 conferências, 75 visitas técnicas,65 livros lançados e mais de 30 mil participantes na maior festa do gênero no Brasil” Confirma Wescley Rodrigues no que foi auxiliado por Cristina Couto, ”O Cariri Cangaço une não só a memória e a história de nosso sertão, mas e principalmente une a alma verdadeiramente nordestina”.

 Os Conselheiros, Wescley Rodrigues e Cristina Couto fizeram a apresentação do Cariri Cangaço aos presentes na noite em Exu

Em seguida Manoel Severo, curador do Cariri Cangaço, em suas palavras emocionadas confessou a enorme alegria em “desembarcar em Exu, berço do maior ícone cultural do nordeste, terra de muita tradição e história e de um povo acolhedor e que recebeu com carinho ao Cariri Cangaço desde a primeira vez que chegamos aqui; por isso estamos testemunhando hoje essa espetacular festa da alma nordestina”, na oportunidade o Curador do Cariri Cangaço agradeceu a todos que se empenharam para realização do Cariri Cangaço Exu: "Agradecemos de forma grandiosa ao Prefeito Raimundinho Saraiva, ao Secretário Rodrigo, aos amigos queridos Bibi Saraiva, Helenilda Moreira, Alvenir Peixoto, Cicero Marcelino, Eliana Galdino e toda a equipe da prefeitura". Manoel Severo dedicou também a noite de abertura ao escritor João Monteiro Neto, vitima de acidente naquele mesmo dia e que estaria lançado sua obra nessa mesma noite de abertura. 

Rodrigo Honorato, Davi Moreira, Manoel Severo e Raimundinho Saraiva na noite de  Abertura em Exu.
"Dedicamos essa noite de abertura ao querido amigo e grande escritor João Monteiro Neto, que sem dúvidas estaria celebrando ao nosso lado nesta noite, em Exu, o verdadeiro encontro da alma nordestina"

Em suas palavras o Secretário de Cultura de Exu, Rodrigo Saraiva externou toda a alegria de Exu em receber o Cariri Cangaço:"Nunca houve um momento como esse em nossa Exu, recebendo tantos e tantos pesquisadores de todo o Brasil, sem dúvidas o Cariri Cangaço trouxe uma emoção sem igual a Exu,e é como nosso Curador Manoel Severo sempre diz: O Cariri Cangaço é mais que um evento, é um sentimento". Já o Prefeito Raimundinho Saraiva confirmou "estamos realmente honrados com a chegada do grande Cariri Cangaço a Exu, todos estamos de parabéns e é uma grande honra receber a todos em nossa cidade, queria parabenizar ao grande trabalho de meu amigo Manoel Severo, que trabalho maravilhoso e dizer que Exu está e estará sempre a disposição do Cariri Cangaço".

 Prefeito de Exu, Raimundinho Saraiva recebe das mãos do Prefeito de Poço Redondo, o Titulo de "Amigo do Cariri Cangaço"
Secretário de Cultura de Exu, Rodrigo Honorato recebe das mãos do Secretário de Cultura de Crato, Wilton Dedê, o Titulo de "Amigo do Cariri Cangaço"

A noite solene marcou também a entrega de várias comendas por parte das Instituições promotoras do evento, o Conselho Cariri Cangaço Alcino Alves Costa: O prefeito Raimundinho Saraiva recebeu das mãos de um dos convidados da noite, Junior Chagas, prefeito de Poço Redondo em Sergipe o titulo de Amigo do Cariri Cangaço e o Secretario de Cultura de Crato, Wilton Dedê passou às mãos do Secretário de Cultura de Exu Rodrigo Honorato sua honraria.

Através dos Conselheiros, João de Sousa Lima e Múcio Procópio, além do pesquisador Getúlio Bezerra foram entregues os Títulos de "Amigo do Cariri Cangaço", a Alvenir Peixoto, Helenilda Moreira, Eliana Galdino e Cicero Marcelino; todos de Exu como também o Conselheiro Cariri Cangaço, escritor e artista plástico, Archimedes Marques e sua esposa, escritora Elane Marques entregaram ao pesquisador Kiko Monteiro, também Conselheiro Cariri Cangaço, uma representação do rei e rainha do cangaço, obra em papel machê, feita por Archimedes Marques.

  Helenilda Moreira recebe o Titulo das mãos de Getúlio Bezerra
 Alvenir Peixoto recebe o Titulo das mãos de João de Sousa Lima
Cícero Marcelino recebe o Titulo das mãos de Múcio Procópio
Homenageados da Noite
 Eliana Galdino recebe das mãos do curador do Cariri Cangaço Manoel Severo
Conselheiro Archimedes Marques ao lado de Elane Marques presenteiam Kiko Monteiro

Um dos momentos altos da noite ficou a cargo da entrega por parte dos Conselheiros Juliana Pereira e Kydelmir Dantas; em nome do Conselho do Cariri Cangaço; a Joquinha Gonzaga, representando a família do Rei do Baião, o Título de "Personalidade Eterna do Sertão" a Luiz Gonzaga, trazendo a emoção a todos os presentes na noite de abertura. 

Conselheiros Kydelmir Dantas e Juliana Pereira entregam Diploma a Joquinha Gonzaga: "Luiz Gonzaga Personalidade Eterna do Sertão"
"Hoje sem dúvidas é uma noite muito especial e de muita emoção o que muito nos orgulha receber esse Título em nome do Tio Gonzaga, por parte do Cariri Cangaço", revela Joquinha Gonzaga.

O pesquisador e escritor Wilson Seraine, de Teresina; foi o grande responsável pela Conferencia da Noite de Abertura com o Tema: "A Influência do Cangaço na Obra de Luiz Gonzaga" como também o espetacular lançamento das obras “Cordéis Gonzaguianos - Antologia" e "A Festa da Asa Branca” ao lado do grande "Gonzaguiano" Reginaldo Silva, que participou do lançamento do livro, "12 anos com o Rei do Baião" traduzindo na noite de abertura em Exu a grande reverencia ao Rei Luiz Lua Gonzaga, momentos inigualáveis.

Rafael Lima, Wilson Seraine e Reginaldo Silva em noite de Cariri Cangaço
Wilson Seraine em sua conferencia de abertura do Cariri Cangaço Exu
Conselheiro Cariri Cangaço, Leandro Cardoso em Exu
 Joquinha Gonzaga e Leonardo do Acordeon ao lado da Orquestra Sanfonica de Exu

Para finalizar a festa que marcaria a historia do Cariri Cangaço; pela primeira vez no Araripe e no berço de Luiz Gonzaga; foi oferecido um Coquetel aos presentes no ginásio da escola Bárbara de Alencar, quando os convidados foram brindados pela espetacular apresentação de Leonardo do Acordeon ao lado da Orquestra Sanfonica de Exu e ainda com a participação especial de Joquinha Gonzaga tocando uma "oito baixos" de forma simplesmente espetacular.

Cariri Cangaço Exu
Noite de Abertura, Escola Bárbara de Alencar
20 de Julho de 2017, Centro-Exu



O Cariri Cangaço Exu foi uma Realização do Instituto Cariri do Brasil e da Prefeitura Municipal de Exu com o patrocínio do Programa a Hora do Rei do Baião e apoio da SBEC, GECC, GPEC, GFEC, Parque Aza Branca, ICC e Fundação Padre João Cancio.

Exu ,Capital da Alma Nordestina...

Manoel Severo e Cecília do Acordeon

Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Tocantins e Rio Grande do Sul... Exu nos últimos quatro dias acabou se tornando a capital da alma nordestina do Brasil. Pesquisadores de 15 estados da federação estiveram presentes ao Cariri Cangaço Exu 2017, numa das mais autenticas demonstrações da força da integração da nação sertaneja.

A noite de abertura do evento acontecido no auditório do Colégio Bárbara de Alencar , neste último dia 20 de julho, demonstrou também o imenso compromisso da comunidade exuense com suas tradições e memória, quando lotou as dependências do colégio dando as boas vindas aos muitos pesquisadores e escritores que visitavam a terra do rei do baião.


Joanisa Belém, Prefeito Raimundinho Saraiva e Manoel Severo
 Sérgio Breyner, Hérica e Manoel Severo
Manoel Severo, Luiz Ruben e Wilson Seraine
Junior Almeida, Manoel Severo, Lena Costa
 Gil e Luma Holanda
 Juliana Pereira e Getúlio Bezerra
Gerlane e Alcides Carneiro
Cristina Couto e Wescley Rodrigues

Pesquisadores, escritores, poetas, cordelistas, artistas plásticos, documentaristas, fotógrafos, jornalistas, radialistas, enfim, uma plêiade de personalidade de todos os cantos do Brasil esteve presente em Exu prestigiando essa edição do Cariri Cangaço que pela primeira vez visitava o município de Exu. A noite de abertura seguida de coquete aos presentes deu o tom que viria a ser todo o evento que ainda estava em seu primeiro dia.

Pedro Poppof, Cecília do Acordeon, Manoel Severo e Pedro Lucas do Museu
 Edvaldo Feitosa e Zilda Lima
Manoel Severo e Célia Maria
 Wilma, Vice prefeito de Água Branca, Maciel Silva e Mariana
Prefeito Junior Chagas de Poço Redondo
Wescley Rodrigues, Elane e Archimedes Marques e Ivanildo Silveira

"Agradeço de público aos organizadores do congresso Cariri Cangaço - Exu pelo convite de proferir a palestra de abertura do aludido congresso, intitulada: A influencia do cangaço na obra de Luiz Gonzaga.Fiquei assaz honrado pelo convite. Na oportunidade lançamos nosso novo livro: Reginaldo Silva - 12 anos com o Rei do Baião. Com a presença do próprio Reginaldo Silva e muito obrigado ao seleto público de 300 pessoas que estavam presentes em especial o Curador do evento Manoel Severo." Ressalta o pesquisador gonzaguiano Wilson Seraine, de Teresina, Piauí.

"Primeiramente quero Agradecer a Deus por colocar esse casal lindo; Severo e Ingrid; que amo muito em minha vida por eles fazerem parte da minha história e agora tenho mais uma nova família, a família Cariri Cangaço, agora tive meu sonho realizado" revela a pequena e encantadora Cecília Araujo, ou; Cecília do Acordeon.

 Ingrid Rebouças, Cecília do Acordeon e Sara Gonzaga
  Givaldo Peixoto, Manoel Severo e Theraza Oldam Alencar
Secretário Rodrigo Honorato, Valéria Alencar e Paula Bezerra
 Narciso Dias e Catarina Venâncio
 Ana Lúcia Gomes, Noádia Costa e Aline Melo
 Ivanildo Silveira e Evanilson Sousa
Pedro Lucas, Zé Tavares e Pedro Popoff
Louro Teles e Carlos Mendonça

Louro Teles, pesquisador e escritor de Calumbi : "Está em Exu na terra de Luiz Gonzaga, Rei do Baião o homem que mais amou e divulgou a cultura do nordeste com esse casal maravilhoso Manoel Severo e Ingrid, e com a oportunidade de lançar o meu livro - A maior batalha de Lampião Serra Grande e a Invasão de Calumbi - é realmente maravilhoso, obrigado Severo". Alvenir Peixoto, Presidente do Fórum de Turismo de Exu comenta:"A semente da alegria, do bem, da amorosidade e do cuidado que o Cariri Cangaço plantou ficará guardada em nossos corações."

A noite de abertura em Exu foi realmente surpreendente, desde os cuidados mínimos com toda a infraestrutura do espaço para acolher de forma confortável as mais de 400 pessoas que foram ao Bárbara de Alencar, ao coquetel impecável e as preciosas apresentações artísticas tendo como grande astro da noite o "Acordeon" e não poderia deixar de ser, uma vez que o Cariri Cangaço pisava o solo sagrado do Rei do Baião. "É uma emoção enorme e uma grande honra receber esse povo todo do Cariri Cangaço, que festa maravilhosa!" Revela Joquinha Gonzaga, sobrinho e herdeiro do Mestre Lua Gonzaga.

 Carlos Mendonça, Manoel Severo, Amélia Alencar, Alvenir Peixoto e João de Sousa Lima
 Leandro Cardoso, João Paulo e Manoel Severo
Zé Tavares e Maria Oliveira
 Manoel Severo, Divonildo, Cristina Couto e Ingrid Rebouças
Manoel Severo, Louro Teles e Junior Almeida
 Verluce Ferraz e Manoel Severo
Professor Pereira, Ivanildo Silveira, José Irari, Narciso Dias e Zé Tavares
Ana Gleide Souza, Manoel Severo, Betinho Numeriano e Manoel Serafim
Sara Gonzaga, Ingrid Rebouças, Joquinha Gonzaga e José Nobre

"Meus parabéns a Manoel Severo e a todos os organizadores do Cariri Cangaço, evento incrível! Reencontramos grandes amigos e fizemos grandes amizades, até o próximo!" Sara Gonzaga; filha de Joquinha Gonzaga. Para Quirino Silva, de João Pessoa, "O Cariri Cangaço é um verdadeiro encontro de feras, uma família maravilhosa, maior representatividade da cultura sertaneje, é tudo ! Parabéns por mais esse espetacular evento". Verluce Ferraz, escritora de Recife: "Isso é Cariri Cangaço, o maior grupo de estudos da cultura nordestina. Que festa este ano, na cidade de Exu-PE. Com um dos ícones da cultura pernambucana, maravilhoso!"

 Louro Teles e Stella Lobão
 Joquinha Gonzaga e Manoel Severo
 Cecília do Acordeon e Paulo Vanderley
Aline Melo e Manoel Severo
Nerizangela, Kydelmir Dantas, Ingrid Rebouças, Ivanildo Silveira e José Nobre
Helenilda Moreira, Manoel Severo, Ramires Albuquerque e Evanilson Sousa

"Sucesso total foi o Cariri Cangaço Exu 2017... Pesquisadores e interessados nos diversos assuntos, abrangendo a obra Gonzaguiana, estiveram nele, culminando com a 47ª Missa do Vaqueiro em Serrita, numa parceria perfeita entre o Cariri Cangaço e a Fundação Padre João Câncio de Helena Câncio e a Prefeitura Municipal de Exu-PE, fantástico." Afirma Kydelmir Dantas, poeta e escritor, Conselheiro Cariri Cangaço.

Para Nerizangela Silva de Nova Floresta: "Fomos a Exu, participar do Cariri Cangaço. Fiquei maravilhada com o evento onde contemplou aprendizado, alegria , clima fraternal e não poderia ter sido escolhida frase melhor : "Mais que um evento, um sentimento." 

 Paulo Vanderley, Manoel Severo e Rafael Lima
 José Nobre e Manoel Severo
Edvaldo Feitosa, Junior Almeida e Zé Tavares
Kydelmir Dantas, José Bezerra Lima Irmão, Antonio Edson, Manoel Severo, Luiz Antonio e José Tavares
Nerizangela Silva, Manoel Severo e Salete Feitosa
Antônio Edson, Abreu Mendes, Zé Tavares e Veridiano Dias Clemente
Ivanildo Silveira, Manoel Severo e Louro Teles
Emmanuel Arruda, Juliana Pereira e Getúlio Bezerra

"Sem palavras para descrever o Cariri Cangaço de Exu. Muita emoção, conhecimento, amizades fortalecidas e novas amizades conquistadas. Simplesmente espetacular" confirma a pesquisadora de Teresina, Noádia Costa. "No Cariri Cangaço existe a ousadia da resistência aos valores mais nobres da cultura: o talento, o abraço e o sorriso. Portanto, ao participar do Cariri Cangaço ninguém sai impune. Conviver com os cangaceiros da cultura é ganhar mais inteligência, engenho e arte. Eles tem a magia da valorização da memória e da cultura na alma." Fala Ney Vital Guedes de Petrolina.

 Manoel Severo e Luma Holanda
 Grande Família Cariri Cangaço "invadiu" Exu...
José Tavares, Manoel Serafim, Ivanildo Silveira e Betinho Numeriano
Ney Vital Guedes e Manoel Severo

O jornalista de Petrolina, Ney Vital Guedes reforça: "Parabenizo a Manoel Severo, curador do Cariri Cangaço. Severo um defensor da cultura com capacidade de liderar uma equipe de valentes e valiosos cangaceiros da cultura. Cangaceiros culturais do bom combate. Na condição de convidado (serei sempre de muito grato) impressionou-me a tarefa dos membros do Cariri Cangaço a missão de serem ousados. Ousadia de enfrentar a crise cultural e mostrar a riqueza de valores da cultura brasileira/universal."

Cariri Cangaço Exu
Noite de Abertura, Escola Bárbara de Alencar
20 de Julho de 2017, Centro-Exu

O Fogo da Ipueira dos Xavier no Cariri Cangaço Exu 2017...


O sol da manhã teimava em esconder-se por entre as nuvens do Araripe quando a Caravana Cariri Cangaço saia de Exu rumo a Serrita, município vizinho, destino: A famosa vila de Ipueira dos Xavier; um dos poucos lugares que resistiu ao rei do cangaço, Virgulino Ferreira da Silva no ano de 1927. No trajeto a chuva fina parecia abençoar a visita dos vaqueiros da história àquele cenário tão marcante e forte dentro da historiografia do cangaço.

"Realmente é um momento muito especial visitar e conhecer de perto a Ipueira dos Xavier, devemos isso ao Cariri Cangaço e a família do seu Eimar Xavier, sem dúvidas sairemos daqui mais que recompensados" afirma o Conselheiro Cariri Cangaço, João de Sousa Lima. Já o pesquisador e colecionar do cangaço, Conselheiro Cariri Cangaço, Ivanildo Silveira, "o Cariri Cangaço marca um tento importante no caminho do fortalecimento do estudo do cangaço, trazer hoje essa espetacular caravana a Ipueira dos Xavier para conhecer de perto esta história tão pouco explorada pela literatura do tema, parabéns ao Cariri Cangaço e a Família Xavier por nos acolher de forma tão cordial".

Manoel Severo entre Eimar e Eliete Xavier
Célia Maria, Ingrid Rebouças, Quirino Silva e Jorge Remígio
José Irari, Noádia Costa, Juliana Pereira, Wescley Rodrigues, José Tavares e Aline Melo

Saiba como foi...
1925...Naquela época mandava em Serrita o coronel Chico Romão. Lampião era useiro e vezeiro em visitar a Chapada do Araripe, entrando sempre pelos municípios de Jardim, Barbalha, Porteiras e Missão Velha, todos no Ceará, sob as bênçãos do coronel Santana , da Serra do Mato. Nesse mesmo 1925,  o rei dos cangaceiros pediu a Chico Romão para ser recebido em suas terras por ocasião de sua passagem por Serrita rumo ao Ceará. Naquela ocasião o mandatário de Serrita ajuizou não ser conveniente receber em suas terras o cangaceiro. Por manter laços de parentesco e amizade com a família Xavier; possuía 3 familiares casados com 3 familiares daquela família; se dirigiu ao patriarca das Ipueira, Coronel Pedro Xavier e lhe pediu que pela conveniência recebesse nas Ipueira, Lampião e seu bando.

O consentimento de Pedro Xavier se revelou logo em seguida em um grande constrangimento. Na passagem do bando de Lampião naquele ano de 1925 pelas Ipueira dos Xavier, foi recebido com cordialidade e a todos foi servida refeição com  a marca da anfitriã família Xavier. O inesperado acabaria acontecendo a partir de um "gracejo" dirigido por um dos cangaceiros do bando a uma das filhas do cel. Pedro Xavier, Maria Xavier, na época com 25 anos. Já prontos para seguirem viagem, o cel. Pedro Xavier se dirigiu a Lampião afirmando que não iria mais recebê-lo nas Ipueira em função do desrespeito do cabra com relação à sua filha. O chefe do bando perguntou qual seria a punição que deveria dá ao cabra, mas o cel. Pedro disse que a providência seria Lampião sair de suas terras imediatamente. Virgulino desceu do cavalo e diante de todos afirmou que quando voltasse à Ipueira seria para ver muito choro e sangue...

Patriarca Pedro Xavier
Jair Tavares, José Irari, Zuza Camelo, Eimar Xavier, Manoel Severo, Eliete Xavier
e Junior Almeida
Parte da Família Cariri Cangaço em Ipueira dos Xavier

A Caravana Cariri Cangaço composta por mais de 200 pesquisadores chegou a Vila da Ipueira dos Xavier perto das 10 horas da manhã, uma chuva fina caia e um tímido sol ensaiava mostrar seus raios quando a Capela de São José se tornava palco de mais um significativo momento do Cariri Cangaço Exu 2017: O Fogo da Ipueira dos Xavier.

A família Xavier, anfitriã da manhã; representada pelo casal Eimar e Eliete Xavier; além de abrirem as portas da Ipueira dos Xavier ainda foram os protagonistas da Conferencia sobre este que foi um dos poucos episódios em que o rei do cangaço precisou recuar e desistir de sua sanha de vingança contra a valorosa família de Pedro Xavier e seus parentes, entre esses, Dezim Xavier, um dos mais valentes e pai do anfitrião do dia, Eimar.

 Manoel Severo e as boas vindas em Ipueira dos Xavier
 A Capela de São José ficou pequena para a imensa família Cariri Cangaço

Continuando a Saga...
Passaram dois anos e em fevereiro de 1927 Lampião buscou cumprir com o prometido ao Cel. Pedro Xavier. Novamente vindo do Ceará, desta vez trazendo como refém Pedro Vieira, acercava-se das Ipueira para o combate de choro e sangue para a família Xavier. O fogo não se demorou muito, da casa grande foi rechaçado a bala por Dezim Xavier e poucos homens, Pedro Xavier que se encontrava na vila, do outro lado da estrada, seguiu para a casa, tendo uma crise de asma no caminho, todos pensavam que o mesmo havia sido atingido. 

Dezim logo alvejou a primeira e única vitima do combate, o cangaceiro Tempero, ou Musqueiro; o desenrolar do ataque era ouvido ao longe e logo muitos homens das redondezas ligados a Chico Romão e à família Xavier acorreram ao local, no total já se encontravam cerca de 120 homens para defender Pedro Xavier. Lampião ao perceber a nítida desvantagem na peleja e ao notar um de seus amuletos, tipo patuá, cortados a bala, se fez em retirada, não sem antes matar o refém Pedro Vieira e outro rapaz que havia anunciado sua chegada à Ipueira. Dessa forma a famosa Ipueira dos Xavier se uniu a Uiraúna na Paraíba e a Mossoró no Rio Grande do Norte como uma daquelas que expulsou Virgulino Lampião.

Eimar Xavier, Manoel Severo, Eliete Xavier e Ivanildo Silveira contam a Saga do Fogo da Ipueira dos Xavier
 Olhos e ouvidos atentos a Saga dos Xavier...

A Capela de São José foi o palco da conferencia na Ipueira dos Xavier. Manoel Severo, curador do Cariri Cangaço deu as boas vindas aos presentes, agradeceu imensamente a família Xavier e ao povo da Ipueira pela acolhida e fez a introdução ao episódio de 1927. Em seguida Eliete e depois Eimar Xavier tiveram a oportunidade de contar a historia do povoado e passo a passo como se deu o embate entre seu antepassado, coronel Pedro Xavier e Virgulino Ferreira da Silva. 

"Meu avô passou dois anos esperando que Lampião viesse cumprir a promessa de atacar a Ipueira, se preparou por todo esse tempo e quando já não esperava mais, o homem chega a Ipueira, ainda bem que a família teve tempo de se organizar e segurar o ataque até que um cangaceiro foi atingido mortalmente e a empreitada começou a ficar difícil pros cangaceiros, daí Lampião acabou recuando e com a chegada eminente de retaguarda por parte dos homens de Chico Romão e outros amigos de meu avô, os cangaceiros bateram em retirada, não sem antes matarem Pedro Vieira ali naquela baixa" Aponta Eimar Xavier.

 O Cariri Cangaço resgata uma dívida para com o valente povo da Ipueira dos Xavier...
 Eimar Xavier e Manoel Severo
O trio de ouro: Pedro Popoff, Pedro Lucas e Cecília do Acordeon em Ipueira
Pedro Mota Popoff e o cordel para Nossa Senhora
 Padre Agustinho, "Capelão do Cariri Cangaço" e a benção na Ipueira dos Xavier 

Após a conferencia sobre o Fogo da Ipueira os convidados Cariri Cangaço ouviram o cordel feito por um dos mais ilustres convidados do Cariri Cangaço Exu, o "Menino Pedro, do Cordel e do Baião", o notável Pedro Mota Popoff, apresentou aos presentes um cordel que fez para Nossa Senhora sendo seguido pelas bençãos do "capelão do Cariri Cangaço", Padre Agustinho. 

A caravana Cariri Cangaço ainda teve a oportunidade de visitar o local onde antigamente se localizava a casa grande de Pedro Xavier, hoje no mesmo lugar foi erguida uma casa de alvenaria, como também o local onde foi sepultado a vítima dos cangaceiros, Pedro Vieira, para ao final da visita ao cenário do combate serem recepcionados no clube local com um autentico almoço sertanejo preparado pelos moradores do lugar, sob a coordenação de Cicinha, uma simpática e talentosa "mestre cuca do sertão", sensacional.

A caravana Cariri Cangaço rumo ao local do combate
Louro Teles e o registro dos vaqueiros da historia em Ipueira dos Xavier
 Quirino Lampião e Pedro Vieira Junior Almeida
Avante Cariri Cangaço...
Francimary Oliveira, José Tavares e Jorge Remígio
 Pedro Mota Popoff 
 Célia Maria, Pedro Lucas Feitosa e Quirino Silva

"Hoje testemunhamos um momento realmente especial dentro de nosso Cariri Cangaço Exu; trazer à Ipueira dos Xavier mais de 200 pesquisadores de todo o Brasil é algo que  nos enche de alegria e ainda sermos recebidos com toda essa atenção pelo meu amigo irmão Eimar Xavier, sua esposa, dona Eliete e o povo hospitaleiro da Ipueira dos Xavier, esse dia 21 de julho entrará para a historia de nosso Cariri Cangaço" ressalta Manoel Severo, Curador do Cariri Cangaço.

Cariri Cangaço Exu
Visita a Ipueira dos Xavier , Fogo da Ipueira
21 de Julho de 2017, Ipueira dos Xavier-Serrita

Com Quantos Amigos se Faz um Cariri Cangaço?

Cariri Cangaço na Ipueira dos Xavier

Ipueira dos Xavier, uma das vilas mais emblemáticas do cangaço, no município de Serrita, em Pernambuco, recebeu na manha do dia 21 de julho de 2017 a caravana Cariri Cangaço dentro da programação do Cariri Cangaço Exu. Por todos os lados da simpática e acolhedora vila, berço dos Xavier, podia-se encontrar pedaços do mapa do Brasil...

Numa das mais autenticas demonstrações da integração da verdadeiramente alma nordestina, o Cariri Cangaço se consolida como um dos mais ousados e exitosos empreendimentos do Brasil; dentro de sua natureza; reunindo em torno de uma programação dinâmica e plural o que o sertão tem de melhor para mostrar... E contar.

Manoel Belarmino e Ricardo; de Poço Redondo, Sergipe e Manoel Severo
 Ana Lúcia de Petrolina entre Raimundo Araujo e Daniel Walker, de Juazeiro do Norte
Wescley Rodrigues de Souza e Juliana Pereira de Quixadá
 Pedro Mota Popoff de Bauru, São Paulo entre os paraibanos, Francisco de Assis e Quirino Silva
De Teresina, Ana Lucia Gomes
 Paulo Vanderley, Cecília do Acordeon, Pedro Lucas e Pedro Mota Popoff
Oleone Coelho Fontes, Antonio Edson, José Bezerra Lima Irmão e Leandro Cardoso

"Com certeza a cada novo evento do Cariri Cangaço, a Instituição fica mais fortalecida. Mesmo estando de longe, posso entender o potencial desse dedicado grupo, tendo a frente um cidadão do quilate do professor Manoel Severo Barbosa e sua tamanha credibilidade. Parabéns a esses companheiros que deixam seus lares e formam uma coesão tão importante em torno da História e da cultura do Nordeste." Antônio José, pesquisador baiano.

"Nosso legado é estabelecer de forma concreta o Cariri Cangaço como indutor forte do fortalecimento de nosso memória e historia. Hoje o Cariri Cangaço se traduz como a mais surpreendente e vitoriosa iniciativa do gênero, integrando todo o território nordestino em torno do tema central :Cangaço e Nordeste." Reforça o Curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo.

 Ingrid Rebouças de Fortaleza e entre as meninas de Redenção, Ceará: Jairlanda, Neidinha e Cecília
 Camilo Lemos de Natal
 Paulo Vanderley, Ney Guedes e José Nobre
Jorge Remígio, Zé Tavares, Cicero Aguiar e Irari
 Poço Redondo com Lena Costa e Caruaru com o poeta Veridiano Dias
 Leandro Cardoso de Teresina, Luiz Ruben de Paulo Afonso, Jorge Remígio de Custódia
Evanilson Sousa de Maranguape
 Catarina Venâncio e Narciso Dias de João Pessoa
Tereza Barros de Água Branca e Francimary Oliveira de Teresina
Leonel Alencar, Cicero Marcelino, Carlina Alencar e Alvenir Peixoto: Exu

"Testemunhamos nesta manha, aqui em Ipueira dos Xavier o resultado de um trabalho sério de toda uma equipe comprometida e que pensa nos mínimos detalhes. A união da família Cariri Cangaço, a retidão do trabalho, a credibilidade, enfim, não poderiam ter outro resultado, essa visita a Ipueira dos Xavier entra para a história do Cariri Cangaço" diz o Conselheiro Cariri Cangaço, pesquisador Narciso Dias, também presidente do GPEC.

Por algumas horas a atmosfera calma do lugar foi transformada em um caldeirão de emoções e sentimentos, a imensa maioria dos vaqueiros da história pisavam na Ipueira dos Xavier pela primeira vez, e era impossível não sentir a força do lugar, bem parecida com a que sentimos quando estamos em Nazaré do Pico, ambas possuem uma mesma sina: Ter escrito seus nomes nos livros de historia como lugares onde o rei do cangaço se rendeu a coragem e valentia de um povo.

A Alma Gonzaguiana de Paulo Vanderley de Fortaleza e José Nobre de Campina Grande
 Caruaru de Urbano Silva e Edna
Rio de Janeiro
Capoeiras de Ranaisse e Yasmim Almeida
 Milla Ferreira, Rangel e Vera Costa de Poço Redondo
Jurivaldo poeta 
 Elane e Archimedes Marques de Aracaju
Afrânio Oliveira de Belo Horizonte
Rafael Lima de Crato e Paulo Vanderley de Fortaleza
 Elane Marques, Ingrid Rebouças, Manoel Severo e Wescley Rodrigues
Ivanildo Silveira, Natal; Aninha, Petrolina; Eimar Xavier, Serrita e Ze Tavares, Pombal
Manoel Severo e Oleone Coelho Fontes, Salvador,Bahia
Manoel Severo, Pedro Lucas de Crato, Pedro Popoff de Bauru, Cecília do Acordeon de Redenção e Zé Tavares de Pombal

"No meu entendimento esse é um dos maiores eventos do Cariri Cangaço. Emocionante em muitos momentos e rico em Cultura e em novos conhecimentos em todos os momentos. Valeu muito, nobre Manoel Severo Barbosa. Esse seminário itinerante está fazendo História. Aliás, ele é a própria História." Fala o Conselheiro Cariri Cangaço, pesquisador Jorge Remígio. 

"Um encontro de sentimentos especiais, de calor humano, de amorosidade com partilhamento de saberes gratificantes. Fica uma grande saudade com a certeza de novos encontros. Carinhosamente parabenizo a todos do Cariri Cangaço e forte abraço no querido Severo." Carlina Alencar. "É como se ainda estivesse no Cariri Cangaço, ainda estamos embebidos dessa sinergia maravilhosa, que foi a passagem do Cariri Cangaço na Vila da Ipueiras​ do Xavier,forte abraço comandante Manuel Severo!" Luiz Abreu da Bahia.

 Nerizangela Silva, Salete, Jairlanda, Neidinha, Cecília, Antonio Feitosa e Manoel Severo
 Grande Família Cariri Cangaço na Ipueira dos Xavier
Casal Veridiano Dias Clemente e Zé Tavares
Os paraibanos de Pombal, Francisco de Assis e Glícia
Kydelmir Dantas e Nerizangela Silva: Nova Floresta...
 Ingrid Rebouças e Ana Lucia Gomes
 Quirino Silva e Zé Tavares
 Família Alencar Xavier, representada por Leonel Xavier, José Bezerra Lima Irmão e Jair Tavares
Manoel Severo e Professor Pereira
 José Nobre, Maria Oliveira e caravana de Poço Redondo
 Oleone Coelho Fontes e Manoel Severo
Wescley Rodrigues e Luiz Ruben

Ipueira dos Xavier, uma das vilas mais emblemáticas do cangaço, no município de Serrita, em Pernambuco, recebeu na manha do dia 21 de julho de 2017 a caravana Cariri Cangaço dentro da programação do Cariri Canga

 O Brasil de Alma Nordestina foi a Ipueira dos Xavier
Célia Maria, Ingrid Rebouças, Quirino Silva e Jorge Remígio
Thiago Câncio, Ivanildo Silveira, Manoel Serafim, Manoel Severo e Ingrid Rebouças
Ranaise Almeida e Ana Lucia Granja Sousa
Diana e Aparecida: Pombal em foco ! 
A Alma Gonzaguina em Ipueira dos Xavier
Cangaceira Luizinha de João Pessoa
Archimedes Marques, Afranio Oliveira, Elane Marques, Wescley Rodrigues, Aninha, Thiago Câncio, Manoel Severo e Ingrid Rebouças e Amanda (Missa do Vaqueiro)
Tereza Barros e Liz Alves

"Obrigada Manoel Severo,por visitar a Ipueira dos Xavier,sinto-me na obrigação de te agradecer,pois sou bisneta do Cel. Pedro Xavier de Souza.Que faz parte da história deste lugar." Isa Xavier. "Parabéns mais uma vez Manoel Severo por tão arrojada realização, com estudos de tema tão importante para o Nordeste." Maria do Socorro Xavier, autora do livro "A Saga de Ipueiras".

Ingrid e o carneiro assado da "Cicinha"...
Pedro Lucas Feitosa
 Jorge Remigio, Pedro Popoff, Ana Gleide, Diana, Emmanuel Arruda, Ingrid, 
Aparecida, Célia Maria 
 José Irari, Cícero Aguiar e Zé Tavares
Louro Teles de Calumbi
Leandro Cardoso, Paulo Vanderley, Luiz Ruben, João de Sousa Lima e Kiko Monteiro
Milla Ferreira e Rangel Alves Costa
Oleone Coelho Fontes e Leonel Xavier Alencar

Juliana Pereira: "O Cariri Cangaço não tem fronteiras, graças a Manoel Severo que nos juntou e divide esse sonho de forma tão generosa. Ao infinito e além! Graças a Deus, o futuro da cultura nordestina é promissor !!! Salve a cultura a nordestina!!! Salve o Cariri Cangaço, Salve Gonzaga e os demais ícones da nossa formação cultural!!!"

 A isso chamo Cariri Cangaço !
Quirino Silva, Pedro Popoff, Jurivaldo e Célia Silva
Thiago Câncio, Elane Marques e Manoel Severo 
A bela Família da Ipueira dos Xavier...
Luiz Ruben, João Paulo, de Dores; Rafael Lima e João de Sousa Lima
Luiz Abreu e Claudiana e Zé Tavares
Pombal se encontra na Ipueira dos Xavier

Ipueira dos Xavier ; no município de Serrita, terra de Pedro Xavier e seus parentes; terra de bravos, de gente ordeira e trabalhadora que em fevereiro de 1927, em defesa da honra e da vida de seu povo combateu Lampião e venceu ! Ipueira dos Xavier em 21 de julho de 2017 entrou para a história do Cariri Cangaço.

Cariri Cangaço Exu
Visita a Ipueira dos Xavier , Fogo da Ipueira
21 de Julho de 2017, Ipueira dos Xavier-Serrita


Bárbara de Alencar no Cariri Cangaço Exu


Bárbara Pereira de Alencar, ou simplesmente "Dona Bárbara" , sem dúvida um dos maiores símbolos da força da mulher sertaneja e nordestina de raiz. Guerreira, idealista, líder da revolução de 1817 no Cariri e no Araripe, nasceu na Fazenda Caiçara em Exu, Bárbara de Alencar terminou sendo presa em nome dos seus ideais libertários. 

Na tarde do último dia 21 de julho de 2017 a Caravana Cariri Cangaço teve a honra de visitar, dentro da Programação do Cariri Cangaço Exu, a Fazenda Caiçara e o Museu de Dona Barbara. Acolhidos e recepcionados pelos descendentes de Bárbara, tendo a frente, Amparo Alencar, os convidados do Cariri Cangaço puderam conhecer mais de perto a história e a personalidade desta que tornou-se um mito depois de mais de 170 anos de sua morte. Bárbara de Alencar;  heroína idealista; morreu no Sítio Touro no estado do Piauí em 1832, uma de suas exigências teria sido ser enterrada como seus amigos: Os escravos; num enterro simples e dentro de uma rede .

Ingrid Rebouças e o Museu de dona Bàrbara na Caiçara
 Leandro Cardoso, Kiko  Monteiro, Manoel Severo, Daniel Walker e Raimundo Araujo
 Alvenir Peixoto, Manoel Severo e Carlos Mendonça
 Wescley Rodrigues
Emmanuel Arruda e Manoel Severo
Luizinha e José Tavares

Para o pesquisador paraibano de Pombal, José Tavares de Araujo Neto, "O Cariri Cangaço é um evento que mexe muito com as emoções, por isso fica muito difícil de descrevê-lo. Só estando presente se pode mensurar a dimensão da sua grandiosidade", já o pesquisador e Conselheiro do Cariri Cangaço Dr Leandro Cardoso brinca,"para todas as outras coisas existe Mastercard,mas participar do Cariri Cangaço, não tem preço".

Amparo Alencar, representante e mantenedora do Museu de Dona Barbara ressaltou a grande e importante visita da Caravana Cariri Cangaço à Caiçara: "É uma grande honra receber pesquisadores de todo o Brasil e o Dr Manoel Severo, o Cariri Cangaço desenvolve um trabalho elogiável e hoje estamos todos 
muito honrados."

 Francisco de Assis, João de Sousa Lima, Amparo Alencar e Manoel Severo
 Manoel Severo e a honra do Cariri Cangaço chegar ao Museu de Dona Bárbara 
 Dr Marcelo Alves e Manoel Serafim entregam o Título ao Museu de Dona Bárbara
João de Sousa Lima, Manoel Serafim, Amparo Alencar, Marcelo Alves e Manoel Severo

Por ocasião da programação, o Curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo convidou ao Conselheiro Manoel Serafim e ao pesquisador de Teixeira, Dr Marcelo Alves, para passarem às mãos de Amparo Alencar, representando o Museu, o Diploma de "Equipamento Imprescindível para a Perpetuação da Memória do Sertão"; Título conferido pelo Conselho Alcino Alves Costa do Cariri Cangaço. 

Entenda o ideal de Bárbara...
O Crato projetou-se no cenário político da colônia com as lutas pró-independência, quando representante da aristocracia agrária — principalmente a família Alencar — engajaram-se na Revolução Pernambucana de 1817 e envolveram a Vila Real do Crato e Jardim, no projeto revolucionário de 1817: Independência de Portugal e instituição de um sistema republicano de governo. Apesar da repressão sofrida, o espírito de luta desta elite local a faz proclamar antecipadamente a independência, em 1º de setembro. Igualmente ocorre em 1824, quando essa mesma elite liberal se engaja na Confederação do Equador, contrária a política absolutista de Dom Pedro I e favorável à idéia de uma República Separatista. 

O aumento abusivo dos impostos e da dominação política exercida pela Coroa Portuguesa no país, gerou insatisfação das províncias. Estas organizaram um movimento contra Dom Pedro I. A Revolução Pernambucana de 1817 lutava pela Independência do Brasil de Portugal. O ato espalhou-se por todo o Nordeste e chegou ao Crato. José Martiniano, após missa no púlpito da igreja da Sé catedral, proclamou a independência do Brasil no dia 03 de Maio de 1817. Foi apoiado por sua mãe; Bárbara de Alencar, e pelo irmão Tristão Gonçalves de Alencar Araripe, que tinham ideais republicanos. Esta atitude deixou muitas personalidades influentes da época insatisfeitas; dentre elas Leandro Bezerra Monteiro, o mais importante latifundiário da região, católico e cheio de ideais monárquicos; mandou prende-los..

Tristão Gonçalves,Bárbara de Alencar (aos 57 anos de idade) e José Martiniano são encontrados e presos em Jardim, em 05 de maio de 1817, pelo Capitão Mor José Pereira Filgueira, quando buscavam apoio do tio Leonel Pereira de Alencar, para a causa republicana. Enviados às masmorras de Fortaleza, depois para Salvador e Recife onde foram humilhados e torturados. Posteriormente receberam anistia da coroa e foram soltos. Os presos políticos foram denominados de “Infames Cabeças”. Enviados para Icó, no Ceará, em seguida para Fortaleza; de lá transferidos para Recife, em Pernambuco e finalmente para a Bahia. Dentre eles estava D. Bárbara, a primeira mulher presa por motivos políticos no Brasil.


José Tavares, José Bezerra Lima Irmão e Givaldo Peixoto

 Grande Família Cariri Cangaço no Museu de dona Bárbara 
 Luizinha, Maricô, Diana, Gilka, Gerlane, Glícia, Aparecida e Ingrid Rebouças 
Ranaise e Junior Almeida, Noádia Costa e Aline Melo
Carlina Alencar, Cícero Marcelino e Manoel Severo

Para Juliana Pereira; Conselheira do Cariri Cangaço; "está hoje testemunhando a entrega desse importante Título ao Museu de dona Bárbara, é reconhecer toda a representatividade dela na historia não só do nordeste, mas de todo o Brasil. Hoje é um dia histórico para nós que fazemos o Cariri Cangaço." Para Alvenir Peixoto, também descendente de dona Bárbara, "O Cariri Cangaço trouxe ares novos para a cultura do Exu e do Araripe, que maravilha receber a todos nesta grande festa que muito nos honra".

A Dor da Separação...
Durante os três anos e meio que passou na prisão, D. Bárbara foi afastada de sua família, tratada com crueldade e submetida a diversos tipos de humilhações, porém nunca desistiu de seus ideais. Foi libertada em 1820. Veio à óbito em 1832, aos 72 anos, .em na fazenda Touro, no Piauí.

Em 1824 Tristão Gonçalves, aderiu ao movimento da Confederação do Equador e foi aclamado pelos rebeldes presidente da Província do Ceará. Faleceu em combate com as forças contrárias ao movimento em 31 de outubro de 1825.O Crato ficou dividido entre monarquista e republicanos. Merece destaque o monarquista que ordenou a prisão dos revolucionários: Capitão Joaquim Pinto Madeira, chefe político da Vila de Jardim. Com a renúncia de D. Pedro I em 07 de Abril de 1831, inimigos da monarquia aproveitaram para se vingar de Pinto Madeira, que, na ocasião, armou dois mil Jagunços, com ajuda do vigário de Jardim, Antônio Manuel de Sousa e invadiu o Crato em 1832. Sua tropa Começou vencendo a batalha, porém sucumbiu.
Pinto Madeira e Padre Antonio foram presos e Enviados à Recife e ao Maranhão. Em 1834 Pinto Madeira foi condenado a forca, em Crato. Porém, alegando patente de coronel, morreu fuzilado.Fechando um parêntese da história do cariri, faleceu em 15 de março de 1860, o Senador José Martiniano de Alencar, sem nunca ter desistido de lutar pelas causas republicanas .
 Francimary Oliveira e Carla Mota
 Manoel Severo, Múcio Procópio, Kydelmir Dantas e Leonel Alencar
 Manoel Severo e Maciel Silva
 José Irari e José Tavares
 Ivanildo Silveira e Junior Almeida
 Yasmim, Ranaise e Junior Almeida
 Louro Teles e Ana Lúcia
Marcelo Alves, Rivaldo e Cícero Aguiar e Junior Almeida

Mas não paramos por aqui, ali, também na Fazenda Caiçara haveria de nascer outros dois vultos da historia de Exu e do nordeste: Gualter Martiniano de Alencar, o Barão de Exu e o grande Rei do Baião, Luiz Gonzaga do Nascimento; eita Caiçara abençoada! A Caravana Cariri Cangaço esteve visitando o "marco" onde estava a casa que nasceu o maior embaixador do baião e do sertão.  

José Tavares no marco da Casa onde nasceu Luiz Gonzaga


"Por essas coisas que parecem uma bela articulação do destino, Luiz Gonzaga nasceu em uma propriedade muito especial, em torno da Casa Grande da Fazenda Caiçara, hoje museu da heroína Bárbara de Alencar.
Talvez tenha sido sua presença na cozinha da casa onde nasceu a primeira presa política brasileira, que tenha lhe dado tanta audácia." Mariana Albanese.
Cariri Cangaço Exu
Visita a Fazenda Caiçara, Museu de Dona Bárbara
21 de Julho de 2017, Exu, Pernambuco

O Barão de Exu chega ao Cariri Cangaço


A programação Cariri Cangaço Exu ainda prometia. Perto das 15 horas nos deslocamos da Fazenda Caiçara e cerca de 800 metros a frente , na direção de quem retorna para Exu, chegávamos a outro cenário deslumbrante e cheio de história: A lendária Fazenda Araripe e sua vila. Aqui nos defrontaríamos com a pequena entrada da vila, onde desponta por entre casinhas de um lado e de outro a escolinha municipal Luiz Gonzaga; começávamos a voltar no tempo...

A estradinha de pouco mais de 600 metros nos levam ao núcleo principal da Fazenda Araripe, não sem antes passarmos em um ponto obrigatório de visita: A Casa de Januário. Aqui nessa casinha amarela morava Januário e Santana, pais do Rei do Baião, e foi aqui o cenário inspirador para a famosa música "Respeita Januário", quando o já famoso filho, retorna a casa paterna.
  Manoel Severo e Rodrigo Honorato: A Casa de Januário no Araripe: 
"Luiz respeita Januário"... 
Foi nesta janela da casa de Januário que em 1946 o rei Luiz Gonzaga ao chegar de madrugada bateu e disse:
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Cícero Aguiar, Dona Raimunda e José Tavares
Manoel Severo e Jamile

Os mais de 200 pesquisadores que participavam do Cariri Cangaço Exu estavam tendo a oportunidade de adentrar ao núcleo da Fazenda Araripe, berço de uma das mais tradicionais famílias nordestinas: Alencar. A beleza do lugar se une a seu enigmatístico significativo. A casa do Barão de Exu, datada do século XIX se destaca pela imponência e beleza, a igreja de São João Batista com seu piso de tijolo batido e seu teto inigualável, a casa dos Alencar, berço do clã da família que fundou o município de Exu, um conjunto verdadeiramente encantador e cheio de força histórica.

Casa atual da Familia Alencar no Araripe
 Casa do Barão do Exu
Vila do Araripe
Pedro Lucas, Ney Vital Guedes, Paulo Vanderley e Rafael Lima
Ney Vital Guedes e Manoel Severo


Para o pesquisador e escritor de Juazeiro do Norte, Daniel Walker : "Todos nós vivemos nesse Cariri Cangaço Exu momentos inesquecíveis e de muita história, além do aconchego amigável dos colegas. Foi um imenso prazer estar junto de tanta gente boa. Aprendi muito sobre o cangaço com os colegas mais experientes. O Cariri Cangaço é história viva feita por gente que sabe o que faz. Até o próximo!" 

Já Quirino Silva, pesquisador e grande artista paraibano: "Venho aqui para testemunhar o quanto me sinto feliz, e dizer que: parte desta felicidade vem do maravilhoso círculo de amizade que adquiri durante o passar dos anos e especialmente dos amigos que fiz no GPEC da Paraíba e Cariri Cangaço do Brasil. Agradeço a Deus e a todos, por me tornar uma pessoa melhor e mais feliz. Peço que me ajudem a disseminar a arte e a cultural do meu povo, porque ela é valiosa e precisa ser elevada. "
Igreja de São João do Araripe em Exu
 Ingrid Rebouças e a Fazenda Araripe
Sob as bençãos de São João do Araripe: Marcelo e Liz Alves...
A bela e singela Igreja de São João Araripe em Exu
 
 Ranaise e Junior Almeida
 Sob o sol que nos protege e sob o sino do Araripe
 
Aqui tudo nos remete a história dos Alencar, de Gonzaga e sua imensa repercussão na própria historia do nordeste. Na visita à igreja de São João Batista e à própria Casa do Barão de Exu, gentilmente cedida para a visitação do Cariri Cangaço pelos descendentes do Barão; Guálter Martiniano de Alencar Araripe, primeiro e único barão de Exu.

A Igreja de São Batista do Araripe, resultado de uma promessa do Barão de Exu foi construída em 1868. A cólera avançava por todas as regiões e Gualter Martiniano de Alencar - na época ainda não havia recebido o título de Barão de Exu – e sua esposa, prometeram que, se a doença não chegasse ao Araripe, construiriam uma igreja para São João Batista. Assim se realizou e haveria de se imortalizar por sua beleza. As imagens foram trazidas da França e uma delas também imortalizada pela canção do Rei do Baião…"Ah São João, São João dos Carneirinhos..."

Família Cariri Cangaço nas terras do Araripe
Quirino e Célia Silva
Trio Pé de Serra de Jonez Bezerra
 Rodrigo Honorato: Tudo pronto para Cecília do Acordeon
  O Cariri Cangaço ganhava mais um presente:Cecília...

Entre uma visita e outra, a Caravana Cariri Cangaço viveu momentos realmente especiais e cheios de emoção. O forró pé de serra e o baião imperaram no Araripe, o secretário de cultura de Exu, Rodrigo Honorato convidou a todos para experimentarem a autentica música de raiz com o trio pé de serra capitaneado pelo grande sanfoneiro Jonez Bezerra. Foi neste momento que o Cariri Cangaço apresentou sua mais nova componente, a pequena e talentosa sanfoneirinha de apenas 9 anos: Cecília do Acordeon !

 Cecília do Acordeon
 Cariri Cangaço do Pé de Serra e Baião
 Simplesmente Cecília...
 Yasmim Almeida e "Sanfona Sentida"
Cecília, Menino Pedro e Jorge Remígio

"Cecília, essa menina linda que tem o dom de tocar, cantar e encantar a todos com sua meiguice e carisma. Tenho certeza de que seu nome , assim como o de Lucy Alves e tantos outros que iniciaram a carreira e a paixão pela sanfona soam em todos os recantos. Muito sucesso, grande pequenina, foi sensacional!" confessa Ranaise Almeida... Já o pesquisador Jair Tavares do GPEC fala: "Um show sob o brilho de todos os sóis do mundo. Da pureza infantil da menina cantora aos semblante festivos de todos os presentes. Não tem preço um show desses de Cecília do Acordeon no Cariri Cangaço".

As surpresas não pararam por ai, sob o xote da sanfona sentida, os convidados mirins do Cariri Cangaço entrarem em cena. Yasmim Almeida, filha do casal de pesquisadores, Ranaise e Junior Almeida; ao lado de Cecília de Acordeon encantou a todos com "Sanfona Sentida" de Luiz Gonzaga e o sucesso recente das redes sociais, "Trem Bala". Já outro dos convidados especiais, Pedro Popoff, o "Menino Pedro do Cordel e do Baião" levou todos a muito xote nos pés ao lado de Cecília do Acordeon com direito a uma "canja" do pesquisador Jorge Remígio... Uma emoção atras da outra, a isso chamo Cariri Cangaço!



Por entre as apresentações e o som macio e forte da sanfona, o curador do Cariri Cangaço; Manoel Severo; convidou ao Conselheiro Cariri Cangaço Narciso Dias e a pesquisadora de Teresina, Francimary Oliveira, para passar ás mãos da pequena Cecília do Acordeon seu Título de Amiga do Cariri Cangaço, num dos momentos mais emocionantes de todo o evento.

A emoção de receber o Título do Cariri Cangaço...
"Verdade; a emoção tomou conta de mim, meu coração batia acelerado, meus olhos brilhavam , meu sorriso era de muita felicidade🌵obrigado a toda família Cariri Cangaço"
Cecília 

Um Pouco Mais da Família Alencar...

Alencar, outrora Alancar, Alanquar, Alamquer, Alenquer ligado a povoação portuguesa. Considera-se que o nome provém de Alan ( dos alanos) e Kerk ( templo ou igreja). Os Alanos eram povos nômades e guerreiros de origem árabe, da região do atual Irã, em virtude destas guerras acabaram dispersando-se por diversas regiões da África e Europa, e no Século V, d.C - chegaram a Portugal e fundaram pequenos povoados, entre eles a Freguesia de Alenquer ( nome adotado por Dorotéa de Alenquer = Alencar, mãe de Leonel de Alencar Rego, patriarca da Família Alencar no Brasil).

 Yasmim e Cecília do Acordeon...
 Ana Gleide, de Floresta para o Baião no Araripe... 

"A edição do Cariri Cangaço Exu foi espetacular! Os diálogos, os encontros, as pessoas, os lugares, tudo isso de uma forma intensa e apaixonante. Certamente o matulão de cada um ali presente retornou mais recheado. A isso eu chamo Cariri Cangaço", revela Ana Gleide Souza, pesquisadora de Floresta.

Já Abreu Mendes, pesquisador de Aracaju, Sergipe: "Meu caro Severo , parabéns por levar ao encontro Cariri Cangaço a pequena e grandiosa Cecilia , menina de luz e uma menina anjo de Deus . Fez muito barbado chorar de emoção, mas o Ceará é assim mesmo; de gente de talento : humoristas , poetas , escritores , compositores , cantores e uma gente simples que bem sabe receber .Sou de sangue cearense os Mendes de Antônio Vicente Mendes Maciel , Antônio Conselheiro .Parabéns por bem saber organizar. Valeu  irmão".

Porta Retrato de Cecília do Acordeon...

 Mariana, Wilma Sá, Cecília e Maciel Silva
Gerlane Carneiro e Cecília
Cecília e Aparecida Carneiro

 Edvaldo Feitosa, Cecília e Zilda Lima
 Glicia, Gilka e Cecília
Cecília e Maricô

Cariri Cangaço Exu
Visita a Fazenda Araripe, Casa do Barão de Exu
Igreja de São João do Araripe
21 de Julho de 2017, Exu, Pernambuco

Exu, Tres Séculos de História ...

Givaldo Peixoto, Alvenir Peixoto, Thereza Oldam, Leandro Cardoso e Manoel Severo

A segunda noite do Cariri Cangaço Exu reservou ao publico participante um conjunto de relançamentos de obras de referencia dentro da literatura gonzaguiana e lampiônica. Direto de Juazeiro do Norte, um dos mais gabaritados pesquisadores e conhecedores da história de Padre Cícero, o pesquisador e escritor Daniel Walker fez a apresentação de sua obra: "Padre Cícero, Lampião e Coronéis". Da pernambucana cidade de Calumbi, uma das gratas revelações da pesquisa do cangaço, Lourinaldo Teles, ou simplesmente Louro Teles, trouxe ao público uma obra de fôlego contando como nunca antes foi contada a historia do maior combate de todos os tempos de cangaço: "A Maior Batalha de Lampião - Serra Grande ", cheia de detalhes e revelações inusitadas faz de Louro Teles uma das grandes promessas do rol de pesquisadores da nova geração. 

 Daniel Walker, Manoel Severo, João de Sousa Lima e Louro Teles
 Manoel Severo
Louro Teles, João de Sousa Lima e Daniel Walker 

Por fim, um dos mais destacados pesquisadores e escritores da atualidade, um autentico e espetacular contador de histórias, o incansável Conselheiro Cariri Cangaço, João de Sousa Lima, trouxe através de seu livro "Cem Anos – Luiz Gonzaga" a trajetória, a passagem e a experiencia de sua cidade Paulo Afonso com o rei do baião, Luiz Gonzaga.

O cenário; o mesmo da noite de abertura; Colégio Bárbara de Alencar no centro de Exu, novamente recebeu além da noite de relançamentos e de conferência, uma destacada feira de livros e cordéis voltados para Lampião e para Gonzaga, além de uma Bodega Cultural onde podia-se encontrar souvenires, artesanatos, comidas típicas dentre outra manifestações da cultura exuense.

Thereza Oldam Alencar Peixoto e Dr Leandro Cardoso
Grande Noite de Conferência com Thereza Oldam Peixoto Alencar

Manoel Severo, curador do Cariri Cangaço convidou para subir ao palco a Conferencista da noite, pesquisadora, memorialista e escritora exuense, Thereza Oldam Alencar Peixoto que em uma mesa mediada pelo Conselheiro Cariri Cangaço, Dr Leandro Cardoso e ainda o pesquisador e escritor Givaldo Peixoto e Alvenir Peixoto, proporcionaria a todo o público presente um inesquecível passeio pela história de Exu a partir do tema: "Exu ; Tres Séculos de História".

A escritora Thereza Oldam por mais de uma hora se dedicou com zelo e talento a apresentar os principais pontos, episódios e sentimentos que nortearam a criação, o desenvolvimento e a consolidação do território exuense. Desde a época da colonização, quando a região ainda era primitivamente habitada pelos índios Ançus, do tronco da nação Cariri. Passando pela chegada de seu fundador Leonel de Alencar Rego, até os dias atuais.


Givaldo e Thereza Oldam, Paulo Vanderley e Leandro Cardoso 
 Dona Amélia, Dra Raissa Fernandes e Givaldo Peixoto
Ingrid Rebouças e Thereza Oldam
Manoel Severo e prefeito Raimundinho Saraiva

"A região foi ocupada por fazendas de gado no início do século XVIII, tendo à frente Leonel de Alencar Rego e posteriormente seu filho Joaquim Pereira de Alencar. Após a ocupação, missões jesuíticas viveram na região, onde construíram a capela de Bom Jesus dos Aflitos. Em 1734, foi criada a freguesia do Senhor Bom Jesus dos Aflitos de Exu. O município foi instalado em 7 de junho de 1885, passando a autônomo em 9 de julho de 1893, em face a lei n. 52, de 3 de agosto de 1892. O primeiro prefeito foi Manoel da Silva Parente. O município teve sua denominação de Novo Exu em 1907 e pelo decreto-lei estadual n 235, de 9 de dezembro de 1938, o município de Novo Exu passou a denominar-se Exu"

Além do precursor e fundador de Exu; Leonel de Alencar Rego; a escritora Thereza Oldam escolheu, e não poderia ser diferente, mais três destacados vultos históricos da cidade de Exu, cada um em um século, cada um com sua missão e cada um com sua história, para desvendar os encantos e a força de Exu: Bárbara de Alencar e o Barão de Exu, no século 19 e Luiz Gonzaga do Nascimento, o Rei do Baião no século XX.


Rodrigo Honorato, Manoel Severo, José Tavares e Ivanildo Silveira
 Catarina Venancio, Narciso Dias, Francinaldo e Manoel Severo
Louro Teles, Manoel Severo e Betinho Numeriano
Encontro de Amigos na segunda grande noite de Cariri Cangaço Exu
Prefeito Raimundinho Saraiva e a conferencista da noite, Thereza Oldam
Raimundo Araujo, Daniel Walker, Manoel Severo, Padre Fábio e De Assis
Evanilson Sousa, Manoel Severo, Veridiano Dias e Luzinete

"Deve-se considerar que devido a influência dos cristãos novos (muito abundantes em Pernambuco naquela época) o nome da freguesia "Aflitos de Exu" pode aludir à aflição que os marranos sentiam por serem perseguidos pelo Tribunal do Santo Oficio que os perseguiu desde Espanha e Portugal até ao Brasil. Para fugir da Inquisição, aqueles marranos buscaram se instalar cada vez mais no interior de Pernambuco. Ieshu (ou IEXU em português) é uma palavra hebraica (a língua dos marranos pernambucanos) e significa Jesus"

Cariri Cangaço Exu
2ª Noite de Conferências, Colégio Bárbara de Alencar
21 de Julho de 2017, Exu, Pernambuco


SBEC Entrega Comenda Alcino Alves Costa no Cariri Cangaço Exu 2017

Manoel Severo, Professor Pereira, Juliana Pereira e Benedito Vasconcelos na entrega da Comenda Alcino Alves Costa

Sábado, 22 de julho, no terceiro dia de Cariri Cangaço Exu 2017; no Parque Aza Branca em Exu,  a programação Cariri Cangaço teve seu inicio de maneira festiva com muito baião e xaxado com a performance do casal Quirino Silva e Célia Maria. Manoel Severo, curador do Cariri Cangaço, fez a abertura da programação da manhã convidando ao Presidente da SBEC - Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço, professor Benedito Vasconcelos para em ato solene fazer entrega das Comendas Alcino Alves Costa a personalidades de destaque no universo da pesquisa e estudo do tema cangaço nordestino.


 Presidente da SBEC, Professor Benedito Vasconcelos Mendes
 Manoel Severo , primeiro "comendador" Alcino Alves Costa
 Comunidade da pesquisa do cangaço no Cariri Cangaço Exu na entrega da Comenda
"Tenho a honra de entregar ao Curador do Cariri Cangaço, senhor Manoel Severo Barbosa, a primeira Comenda Alcino Alves Costa, conferida pela SBEC neste ato solene, e reconhecimento ao grande e respeitável trabalho que desenvolve em defesa da cultura e do estudo da temática do cangaço, Manoel Severo dessa forma é o primeiro comendador a receber essa distinção pela SBEC, no Brasil", palavras do presidente da SBEC, professor Benedito Vasconcelos Mendes.


 Manoel Severo, curador do Cariri Cangaço e Benedito Vasconcelos, presidente da SBEC

Já o curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo, visivelmente emocionado confessou: "Sem dúvidas é uma emoção sem tamanho, inicialmente por ser distinguido como o primeiro comendador de tão honrosa medalha, depois pela distinção da SBEC, que na verdade é nossa entidade mãe, foi aqui que tudo começou, e terceiro por ter, a comenda, o patrono que é nosso inesquecível Alcino Alves Costa e quis o destino que nesta manhã de Cariri Cangaço estivéssemos aqui com boa parte de sua família e amigos de Poço Redondo, formando um das maiores caravanas neste evento em Exu, Professor Benedito, muito obrigado de coração".


 Juliana Pereira recebe a Comenda Alcino Alves Costa
 Juliana Pereira e Benedito Vasconcelos
Juliana Pereira e suas palavras de agradecimento


Em seguida o presidente da SBEC, professor Benedito Vasconcelos Mendes fez a entrega da Comenda Alcino Alves Costa aos Conselheiros Cariri Cangaço,advogada e pesquisadora da cidade de Quixadá, Juliana Pereira; primeira mulher a receber a comenda e ao pesquisador e livreiro de Cajazeiras, professor Pereira. "Duas personalidades mais que ilustres do mundo da pesquisa do cangaço que ao lado de Manoel Severo, são os três primeiros a receber a Comenda Alcino Alves Costa" revela Benedito Vasconcelos Mendes.


Para a agraciada pela comenda Alcino Alves Costa, pesquisadora Juliana Pereira: "Realmente um momento inesquecível,  receber das mãos do Presidente da SBEC, professor Benedito Vasconcelos, a comenda Alcino Alves Costa. Não bastasse a minha relação de amor profundo pelo o nordeste, por Gonzaga e por está em EXU, recebi uma comenda que leva o nome do meu pai espiritual, meu querido amigo, amado e eterno mestre. Só Deus sabe o tamanho que ficou meu coração, só Deus sabe a gratidão e a emoção que estou sentindo".


Professor Pereira e Benedito Vasconcelos
 Manoel Severo, Professor Pereira, Juliana Pereira e Benedito Vasconcelos
 Os tres primeiros agraciados pela Comenda Alcino Alves Costa pela SBEC

Outro dos agraciados com a comenda, pesquisador de Cajazeiras, Conselheiro Cariri Cangaço, Professor Pereira, ressaltou a importância e o significado do momento e lembrou "que justamente hoje no momento em que recebemos essa honraria temos conosco uma enorme caravana de Poço Redondo, com Rangel, filho de Alcino, dona Vera, irmã de Alcino e Lena, sobrinha que o acompanhava em todos os momentos, realmente um dia de festa para a família Cariri Cangaço".


 Rangel Alves da Costa, Manoel Severo, Vera Lúcia, Juliana Pereira, 
Professor Pereira e Lena Costa
Manoel Severo, Vera Lucia, Juliana Pereira
Familia de Alcino Alves Costa no Cariri Cangaço Exu
Rangel Alves da Costa, filho de Alcino Alves da Costa na festa da Comenda da SBEC no Cariri Cangaço Exu 2017

A Entrega da Comenda Alcino Alves Costa, iniciativa da SBEC - Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço, através de seu Presidente Benedito Vasconcelos Mendes, foi sem dúvidas um dos momentos mais marcantes do Cariri Cangaço Exu 2017.


Cariri Cangaço Exu
Comenda Alcino Alves Costa- SBEC
Parque Aza Branca 
22 de Julho de 2017, Exu, Pernambuco


Todos os Caminhos Levam a Exu !

O Cariri Cangaço Invade o Parque Aza Branca...

E pensar que em Exu iríamos reunir tantos amigos de todos os cantos e lados do Brasil. O Cariri Cangaço antes de tudo, promove o Encontro das Pessoas e a vida "É a Arte do Encontro", nos cabe fazer valer cada encontro e em Exu, como valeu... Vale a pena ver a grande festa da Família Cariri Cangaço para a Reunião de Trabalho e Apresentação da Agenda Cariri Cangaço, pelo Conselho Alcino Alves Costa... Cenário: Parque Aza Branca em Exu.
 Prefeito Raimundinho Saraiva e Manoel Severo
José Tavares
 Quirino Silva, Jorge Remigio, Emmanuel Arruda, Veridiano Dias e Célia Maria
 Rodrigo Honorato e Manoel Severo
 A Festa de Cecília do Acordeon
 Manoel Severo, Djalma Feitosa e Dico
 Manoel Severo, Dona Salete e Pedro Lucas Feitosa
 Célia Maria, Edvaldo Feitosa e Quirino Silva
Padre Fabio Mota e Emmanuel Arruda
 Glicia Araujo e Benedito Vasconcelos
 Camilo Lemos
Zé Tavares Neto e João Tavares Calixto Junior
 Ivanildo Silveira e Elane Marques
 Oleone Fontes, Rafael Lima, Carla Mota e Elane Marques
 Padre Agustinho e Jurivaldo
Jurivaldo e Zé Tavares
 Rafael Lima
 Gilvan Sales
 Ana Gleide, Zuza Camelo, Wescley Rodrigues e Louro Teles
  Joao Paulo e Kiko Monteiro
  Juliana Pereira e Noadia Costa
 Múcio Procópio e Ivanildo Silveira
 Juliana Pereira e Kiko Monteiro
 Célia Maria, Ingrid Rebouças e Juliana Pereira

 Juliana Pereira, Ingrid Rebouças, Pedro Popoff, Narciso e Catarina, Ana Lucia Souza
 Ingrid Rebouças e Ana Lucia Souza
 Ingrid Rebouças e Pedro Popoff
 Ingrid Rebouças e Wescley Rodrigues
 Emmanuel Arruda
Padre Fabio Mota e Juliana Pereira
 Marcelo e Liz Alves e Veridiano Dias
 Louro Teles e Camilo Lemos
 Evanilson Sousa e Cecília do Acordeon
 Juliana Pereira
 Manoel Severo e Kydelmir Dantas
 Maciel Silva e Vilma 
Noádia Costa, Manoel Serafim e José Bezerra Lima Irmão
 Celia, Quirino, Pedro Popoff e Eliana Galdino
 Getulio Bezerra e Juliana Pereira
 Sarinha Gonzaga, Joquinha e Rodrigo Honorato
 Catarina Venâncio
 Ingrid Rebouças e Ana Gleide Souza Leal
 Joquinha Gonzaga e Celsinho Rodrigues
 Narciso Dias e Joquinha Gonzaga
 Yasmim, Ingrid Rebouças, Celsinho e Ranaise Almeida
 Família Cariri Cangaço Exu no Parque Aza Branca
  Antônio Edson, Narciso Dias e Junior Almeida
 Piloto, Ney Vital, Junior Almeida e Joquinha Gonzaga
 Junior Almeida e Marcelo Leal
 Ranaise Almeida, Praxedes e Junior Almeida
  Junior Almeida, Quirino, Benedito, Zé Tavares e Célia Maria
 Pedro Popoff, Célia Maria, Narciso Dias e Quirino Silva
 Oleone Fontes, Ivanildo Silveira, Narciso Dias, Zé Tavares, João de Sousa Lima, Kiko Monteiro e Marcelo Leal
 Francimary Oliveira, Catarina Venâncio, Narciso Dias e Jorge Remigio
 Manoel Severo e Verluce Ferraz
 De Assis e Ivaldo Batista
 Vaqueiro Praxedes e José Nobre
 Carava de Floresta sob o comando da vereadora Bia Numeriano
 Juliana Pereira, Veridiano Dias, Joquinha Gonzaga e Luiz Antonio
 Marcelo Alves e Liz
 Ivanildo Silveira
 Betinho Numeriano, Manoel Serafim e Ana Gleide
 Cícero Marcelino, Calinda Alencar e Alvenir Peixoto
 Padre Fabio Mota, Nerizangela Silva e Ana Lucia Sousa
Aline Melo, Noadia Costa, Francimary Oliveira, Ana Lucia Gomes e Verluce Ferraz
 Louro Teles e Ingrid Rebouças
 Alcides e Gerlane Carneiro
 Manoel Severo e Eliana Galdino
 Benedito Vasconcelos e Manoel Severo
 Stela Lobão
 Givaldo Peixoto e Thereza Oldam
 Toinha do Assaré
 Elane Marques, Ana Lucia Souza e Ingrid Rebouças
 Givaldo Peixoto, Thereza Oldam, Manoel Severo e Rafael
 Zilda Lima e Tereza Barros
 Manoel Severo e Ivaldo Batista
 Mucio Procópio e Celsinho Rodrigues
 Ingrid Rebouças e Celsinho Rodrigues
 Pedro Popoff, Celsinho Rodrigues e Manoel Severo
 Zuza Camelo e Professor Pereira
 Manoel Severo e Januário "Gonzaga"
 Stela Lobão e Carlos Mendonça
 Oleone Coelho Fontes
 Secretário de Cultura do Crato, Wilton Dede
 Padre Agustinho e Ingrid Rebouças
 Evanilson Sousa e Sarinha Joquinha
 Edna Ferreira e Ingrid Rebouças
 Elane Marques, Manoel Serafim e Mabel Nogueira
 Rodrigo Honorato, Manoel Severo e Alvenir Peixoto
 Ingrid Rebouças e Evanilson Sousa
 Sarinha Gonzaga
 Padre Fabio Mota e Joquinha Gonzaga
Rafael e Manoel Severo

Cariri Cangaço Exu 2017
Onde o Brasil de Alma Nordestina se Encontra


Os Dias que Virão...

Caravana de Poço Redondo no Cariri Cangaço Exu

O terceiro dia de Cariri Cangaço Exu reuniu pesquisadores de todo o Brasil no Parque Aza Branca, berço do rei do baião em Exu. No cenário que abriga o Museu do Gonzagão e que foi erguido para perpetuar a memória de um dos maiores sertanejos de todos os tempos,  a programação do Cariri Cangaço ainda reservava muitas surpresas.

Célia Maria e Quirino Silva

A programação teve inicio com as apresentações espetaculares de um dos casais mais queridos do Cariri Cangaço: A arte e o talento da representação artística ao som e passos do xaxado dos grandes Quirino Silva e Célia Maria; direto de João Pessoa, para logo em seguida o publico presente entrar em contato mais uma vez com a arte e o talento do baião, desta vez com a mais nova aquisição do Cariri Cangaço; direto de Redenção no Ceará, mais uma vez a pequena Cecília do Acordeon, do alto de seus 9 anos, encantava a todos.

 Cecília do Acordeon por Jorge Remígio

A manha deste dia 22 de julho de 2017 teria ainda uma reunião extraordinária do Conselho Curador Alcino Alves Costa do Cariri Cangaço, convocada e aberta pelo curador Manoel Severo Barbosa para a apresentação aos presentes da Agenda do Cariri Cangaço para os próximos meses. "Aproveitamos a grande presença de nossos ilustres convidados em Exu, para apresentarmos nossa agenda mais próxima, sem dúvidas uma agenda espetacular em que teremos novamente a oportunidade de consolidar essa paixão por nossas raízes e nossa historia, em setembro teremos o esperado "TRILOGIA" , em outubro "FLORESTA E NAZARÉ" e em 2018 o aguardado e festejado "POÇO REDONDO" , será sensacional" revela Manoel Severo. 

 Manoel Severo e apresentação da agenda Cariri Cangaço

Setembro: Trilogia...
Celsinho Rodrigues, Conselheiro Cariri Cangaço, representando na ocasião o prefeito de Delmiro Gouveia, Padre Eraldo, como também o grupo organizador em Piranhas, ressaltou:"Trago o abraço e o compromisso do prefeito padre Eraldo, que manda dizer que Delmiro Gouveia esta de braços e coração aberto para acolher em setembro o grande Cariri Cangaço Trilogia, e diz mais, que realizará uma das maiores festas da marca Cariri Cangaço entre os dias 7 e 10 de setembro, dessa forma já estamos trabalhando com a Comissão Organizadora, comigo, com os Conselheiros João de Sousa Lima e Edvaldo Feitosa;  a secretária de cultura de Delmiro, Patrícia Brasil Rodrigues e o Vice-prefeito de Água Branca, também presente hoje em Exu o querido amigo Maciel Silva".

 Manoel Severo e Celsinho Rodrigues
 Edvaldo Feitosa, Maciel Silva, Manoel Severo, Celsinho Rodrigues e João de Sousa Lima

O Conselheiro Edvaldo Feitosa, representante de Água Branca ao revelar parte da programação reservada para o "Cariri Cangaço Trilogia" ressaltou o forte e firme compromisso dos gestores, prefeito Zé Carlos e vice, Maciel em realizar um Cariri Cangaço inesquecível, e conclui: "Estamos aguardando a todos entre os dias 7 a 10 de setembro e como Severo sempre diz, o Cariri Cangaço reúne a alma nordestina e Água Branca se sente honrada em fazer parte dessa festa, até lá !" 

Já o vice-prefeito de Água Branca, Maciel Silva "não vejo a hora de receber em nossa Água Branca a imensa família Cariri Cangaço de todo o Brasil, faremos uma grande festa sertaneja e vocês serão muito bem recebidos em nossa terra, temos orgulho de fazer parte dessa família Cariri Cangaço" e se dirigindo ao curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo, arrematou: "E fazemos questão de levar a Cecília do Acordeon e o nosso amigo Joquinha Gonzaga, para nosso Cariri Cangaço Trilogia em Água Branca".

 Cariri Cangaço Trilogia lançado em Exu...
 Maciel Silva, Edvaldo Feitosa e Manoel Severo
 Vice prefeito de Água Branca, Maciel Silva 

E prossegue Manoel Severo: "Termos um empreendimento reunindo dois dos municípios mais bonitos e ricos em historia do nordeste; a serrana e exuberante Água Branca e a “Lapinha do Sertão”, a encantadora Piranhas; já seria algo fantástico, e dai, conseguirmos trazer a emblemática e tradicional Delmiro Gouveia para consolidar o Cariri Cangaço nesta TRILOGIA que se mostra a mais forte do Baixo São Francisco será excepcional, os amigos de todo o Brasil não perdem por esperar".

 Água Branca, Delmiro Gouveia e Piranhas fazem o Trilogia em Setembro...

Outubro: Floresta e Nazaré...
Logo após a apresentação do "Trilogia" o curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo convidou a Comissão Organizadora do "Cariri Cangaço Floresta - Centenário de Nazaré", que se realiza entre os dias 12 a 15 de outubro de 2017; o Conselheiro Manoel Serafim e a Presidente da Autarquia Belenense, professora Ana Gleide Souza Leal para a apresentação do evento.

Manoel Serafim falou em nome de toda Comissão: "Estamos realmente comprometidos com a realização de nosso segundo Cariri Cangaço Floresta, em outubro vamos nos esforçar para produzir um evento ainda muito melhor e muito mais qualificado que o do ano passado. Para isso toda a equipe; eu, Ana Gleide, Amélia, Marcos de Carmelita, Betinho, Cristiano, Mabel, Rubelvan, Leo Gominho, Dilma Marques, enfim, todos; estamos nos preparando para um grande momento em nossa cidade e será uma honra receber a todos em outubro."

 Manoel Severo e Manoel Serafim
 Manoel Severo, Manoel Serafim e Ana Gleide
Ana Gleide Souza Leal

Para a professora Ana Gleide realizar mais uma vez o Cariri Cangaço em Floresta "é motivo de muita alegria e muita honra, estamos com a programação quase toda formatada e em breve vamos divulgar, sem dúvidas teremos mais um grande encontro da marca Cariri Cangaço". "Olhem um dos pontos altos de nosso Cariri Cangaço Floresta 2017 será sem sombra de dúvidas nossa homenagem ao Centenário de Nazaré, que ocorre agora em agosto, dessa forma, em outubro será a vez do Cariri Cangaço reder mais uma vez suas homenagens aos bravos nazarenos" lembra a Conselheira Juliana Pereira.

2018: Poço Redondo...
A última apresentação da manhã ficou reservada para uma das mais esperadas iniciativas da marca Cariri Cangaço: O berço do eterno caipira, patrono do Conselho do Cariri Cangaço, Alcino Alves Costa; Poço Redondo, será palco de uma das edições no ano de 2018. "A imensa caravana de Poço Redondo, presente hoje em Exu, demostram o enorme interesse e o grande compromisso com a realização do Cariri Cangaço em nossa cidade, de todos nós" revela Maria Eliene Costa, sobrinha e companheira de jornada, de Alcino Alves Costa.

Rangel Alves Costa, pesquisador, poeta e escritor; filho de Alcino Alves Costa; ao lado do pesquisador Manoel Belarmino, representaram a Caravana de Poço Redondo na reunião do Conselho, ao mesmo tempo em que asseveraram o compromisso do município de Poço Redondo em realizar uma inesquecível edição do Cariri Cangaço nessa que é uma das mais emblemáticas cidades dentro da historiografia do cangaço. Em Poço Redondo a Comissão Organizadora terá ainda o Conselheiro Cariri Cangaço Archimedes Marques e a pesquisadora e escritora Elane Marques.

 Cecília do Acordeon, Manoel Belarmino, Manoel Severo e Rangel Alves Costa

"Todos que pesquisam o tema Cangaço estão acostumados a identificar diversos e diversos municípios e localidades que possuem estreita ligação com a época de Lampião. Poço Redondo no estado de Sergipe, certamente é um daqueles que mais se destacam. Foi ali, na segunda metade do reinado do líder mais famoso do cangaço, que viu inúmeros de seus filhos e filhas trilhar o caminho errante das caatingas bravas do sertão. Ali, em um dos cenários mais emblemáticos desta saga, nasceu também um dos mais festejados pesquisadores e escritores da temática: Alcino Alves Costa."

Rangel Alves Costa comandou a Caravana de Poço Redondo

Um dos pontos altos da programação do Cariri Cangaço em Poço Redondo, além dos debates e visitas técnicas imperdíveis, será a visita ao Memorial Alcino Alves Costa; mantido pelo filho do escritor; pesquisador e escritor Rangel Alves Costa; e que guarda o maior acervo da memória do grande Caipira de Poço Redondo.

"Severo foi grande e fiel amigo de meu pai Alcino Alves Costa, Severo também é amigo do filho de Alcino, da família de Alcino, de Poço Redondo, de todo o sertão sergipano. Cada vez que o ouço citando o Conselho Consultivo Alcino Alves Costa e relembro que seu peito brilhou uma comenda de nome Alcino Alves Costa - esta outorgada pela SBEC -, é como se a permanência e valorização de Alcino também fosse também um atributo seu. Obrigado, Severo!"
Rangel Alves Costa

"Orgulha-me ser seu amigo, Severo. E em nome de Alcino, de seus familiares e de todo o Poço Redondo, e também de toda a comitiva que presente esteve no Cariri Cangaço Exu/Serrita 2017, dizer do agradecimento à acolhida de todos nas terras gonzaguianas e jacozeiras. E dizer ainda: Poço Redondo é seu. De braços abertos! Que venha o Cariri Cangaço Poço Redondo 2018."
Rangel Alves Costa

Cariri Cangaço Exu
Parque Aza Branca, Reunião Conselho Cariri Cangaço
22 de Julho de 2017


Exu: Homenagens e Muito Xaxado...

Rodrigo Honorato, Junior Parente, Zé Tavares, Camilo Lemos e Manoel Severo

Pontos altos dentro da programação Cariri Cangaço Exu foram o conjunto de homenagens prestadas pelo Conselho Consultivo Alcino Alves Costa do Cariri Cangaço. Uma das grandes homenagens dentro do evento foi sem dúvidas a entrega do Diploma de "Equipamento Imprescindível para a Perpetuação da Memória do Sertão" ao Museu do Gonzagão, equipamento localizado dentro do Parque Aza Branca e que possui o mais completo acervo de documentos e objetos pertencentes ao Rei do Baião.

O Diploma foi entregue ao presidente da ONG Aza Branca, Dr. Junior Parente por dois destacados pesquisadores do Cariri Cangaço; de Pombal na Paraíba, José Tavares Araujo Neto e de Natal, o artista plastico e músico, Camilo Lemos, contando ainda com as presenças do Curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo e do secretário de cultura de Exu, Rodrigo Honorato, num reconhecimento ao papel preponderante tanto do Museu do Gonzagão como da ONG Aza Branca na defesa de memória do maior embaixador do sertão de todos os tempos, Luiz Gonzaga do Nascimento.

 Grupo de Xaxado da APAE de Serra Talhada

Logo após, a emoção tomou conta do Parque Aza Branca e de todos os convidados do Cariri Cangaço Exu, a partir de espetacular apresentação do Grupo de Xaxado da APAE de Serra Talhada. Com uma performance extraordinária e um talento cheio de nordestinidade, os alunos da APAE de Serra Talhada mostraram a todos a maravilha da arte do xaxado do sertão, numa autentica festa da alma nordestina.

"Receber a apresentação destes maravilhosos artistas do Grupo de Xaxado da APAE de Serra Talhada, a convite de nosso estimado amigo Sérgio Brayner, foi uma grande honra e emoção. O compromisso com a arte e a memória do sertão, a alegria contagiante e o talento desses jovens encheu nosso coração de esperança" revela Manoel Severo. Ainda dentro da programação da APAE de Serra Talhada, o curador do Cariri Cangaço recebeu das mãos de Sérgio Brayner e da responsável pelo grupo de Xaxado, senhora Zilvaneide, uma lembrança do artesanato local, tendo como personagem principal, Luiz Gonzaga.

 Sérgio Brayner e Zilvaneide entregam presente a Manoel Severo
Grupo de Xaxado da APAE de Serra Talhada

Outro momento inesperado e emocionante foi a apresentação dos quatro talentosos "pequenos" que abrilhantaram a edição Cariri Cangaço Exu 2017. Cecília do Acordeon, Pedro Mota Popoff, Yasmim Almeida e Pedro Lucas Feitosa. Momento que consolidou a verdadeira essência da paixão pela tradição e memória do nordeste, paixão que não tem idade. Para o Conselheiro Cariri Cangaço, pesquisador e escritor de Paulo Afonso, João de Sousa Lima comenta: "A presença desses verdadeiros talentos mirins em nosso Cariri Cangaço Exu mostra o tamanho da força do nordeste, o Pedro Popoff, as lindas Cecília do Acordeon e Yasmim e o Pedrinho do Museu, foram atrações mais que fantásticas, valew e muito".

Em princípio Manoel Severo convidou ao pequeno Pedro Lucas Feitosa, mantenedor do Museu de Luiz Gonzaga no distrito de Dom Quintino em Crato no Ceará, que contou a sua história ao lado dos "pais/avós"; seu Antonio e dona Salete; que pela primeira vez participavam de um grande evento como o Cariri Cangaço.

 Cecília do Acordeon, Pedro Popoff, Manoel Severo, Pedro Lucas e Yasmim Almeida 
No lado direito da foto, seu Antonio e dona Salete
 Pedro Lucas Feitosa o "Menino do Museu do Gonzaga de Crato"

Pedro Lucas revelou sua paixão pelo Rei do Baião ainda aos cinco anos de idade e aos 9 depois de uma visita a Exu com o avô, resolveu montar seu próprio museu na casa de taipa da bisavó em Crato, lá encontramos cerca de 250 peças devidamente dispostas em todos os locais com destaque para os discos, fotos, artefatos de toda natureza que possuem ligação com o sertão e com o Rei do Baião. O avô, Seu Antonio, explica:"Quando as pessoas souberam do museu ai começaram a fazer doação e depois muitos pesquisadores de Luiz Gonzaga começaram a trazer presentes para o Museu do Pedro".

Do "Pedro do Museu" para o "Pedro do Baião e do Cordel". Logo após a apresentação de Pedro Lucas foi a vez do paulista de Bauru, Pedro Mota Popoff que também foi apresentado aos convidados do Cariri Cangaço Exu 2017. Pedrinho Popoff veio ao Cariri Cangaço Exu ao lado da mãe, dona Carla Mota, incentivadora e fã incondicional do filho talentoso, não sem antes receberem homenagens do poeta  e pesquisador Francisco de Assis, da Paraíba e do cordelista Ernane Tavares de Crato.

 Cordelista Ernane Tavares de Crato...
Francisco de Assis e Manoel Severo
 Pedro Mota Popoff emocionou a todos com seu talento e profundo amor pelas 
coisas do sertão.
Para encerrar a participação do "Quarteto de Ouro" mirim no Cariri Cangaço Exu 2017, novamente sobem ao palco a pimentinha do forró, Cecília do Acordeon em dueto com Yasmim Almeida e participação também especial de Pedro Popoff, 
dai: Tome xaxado e baião... 
Secretário Rodrigo Honorato apresenta o Quarteto de Ouro do Cariri Cangaço Exu...
Cecília do Acordeon, Yasmim Almeida e Pedro Popoff

Encerrando a extensa programação da manhã de sábado do Cariri Cangaço Exu 2017, Manoel Severo haveria de fazer um dos justos registros do evento ao ressaltar o compromisso, a retidão e o trabalho do secretário de cultura de Exu, Rodrigo Honorato, a frente de uma briosa e talentosa equipe de profissionais e colaboradores.

"Quando chegamos aos locais de nossa programação, muitas vezes não lembramos que uma equipe de profissionais já esteve aqui antes para nos proporcionar tudo isso: Montar palco, cadeiras, mesas, som, cuidar para que tudo possa correr bem. Ontem as duas da manha, após um dia corrido de atividades, este senhor aqui a meu lado, que também é o secretário de cultura de Exu, grande amigo irmão Rodrigo Honorato; estava aqui com sua equipe no Parque Aza Branca arrumando e providenciando tudo para essa grande programação pudesse acontecer. Muito obrigado Rodrigo por nos dá esse grande exemplo de trabalho e compromisso, Exu está de parabéns pela bela equipe que tem como grande timoneiro o prefeito Raimundinho Saraiva" completa o curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo.

 Manoel Severo e o reconhecimento ao secretário de cultura de Exu, Rodrigo Honorato
Secretário de cultura de exu, Rodrigo Honorato

Cariri Cangaço Exu
22 de Julho de 2017
Parque Aza Branca, Exu-Pernambuco


Joquinha, Piloto e a Festa do Cariri Cangaço Exu 2017

Joquinha Gonzaga ao lado de Piloto e Tacyo Carvalho na festa do Cariri Cangaço Exu


A tarde do terceiro dia de Cariri Cangaço Exu começou com o mais autentico forró pé serra e baião, genuinamente da lavra do Rei do Baião. João Januário Maciel ou simplesmente Joquinha Gonzaga, e seu irmão, Fausto Luiz Maciel ou simplesmente Piloto, sobrinhos, herdeiros musicais e companheiros de palco do grande Luiz Gonzaga, subiram ao palco do Parque Aza Branca para ao lado do cantor e músico Tacyo Carvalho, proporcionarem um espetacular show a todos os presentes, interpretando sucessos próprios e do Rei do Baião. 

Joquinha que nasceu no dia da mentira; 01 de abril de 1952; acabou se tornando uma grande verdade; neto de peixe, peixinho é !!! Nasceu  no Rio de Janeiro e é filho de dona Raimunda Januário; Dona Muniz, segunda irmã de Luiz Gonzaga, herdou do avô Januário e do tio Luiz Gonzaga o talento e amor para a música e a sanfona. Atualmente casado com dona Nice, mora em Exu ao lado dos filhos; sarinha de 17 anos e Luiz Januário de 11. 

 Joquinha Gonzaga com a filha e guardiã: Sara Gonzaga
 Piloto e Juliana Pereira 
Sara Gonzaga

Piloto, ou seja, Fausto Luiz Maciel, também filho de dona Muniz; irmã de Luiz Gonzaga; nasceu em Crato,  Ceará e no ano de 1975 passou a acompanhar o tio famoso, tanto fazendo parte de seu grupo, tocando zabumba como sendo seu motorista de confiança, estando ao lado do rei do Baião até seu falecimento em 1989.

No final da década de 1940, o “Rei do Baião” Luiz Gonzaga formou o primeiro núcleo Nordestino no Sul do país trazendo sua família composta pelo seu pai Januário, sua mãe Santana, suas irmãs Muniz, Geni, Socorro e Chiquinha Gonzaga e seus irmãos Aluízio, Zé Gonzaga e Severino Gonzaga. Se instalaram em um Sítio em Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias-RJ, mais conhecido como Sítio dos Gonzagas, onde eram realizadas grandes festas como casamentos, batizados, aniversários, novenas, etc., sempre com muitos convidados, músicas, comidas típicas nordestinas e a presença de grandes artistas famosos como Maria Inês, Abdias, Trio Nordestino, Dominguinhos entre outros. Foi neste meio que nasceu e cresceu Joquinha Gonzaga, nome artístico dado por seu tio Gonzagão, que o presenteou com uma sanfona de oito baixos (pé de Bode) quando ele tinha apenas 12 anos.


 Sara, dona Nice e Joquinha Gonzaga
Manoel Severo, Piloto e Tacyo Carvalho
 Joquinha Gonzaga e a festa da Família Cariri Cangaço

Continuando a historia de Joquinha: "Após dois anos, reconhecendo o talento do seu sobrinho, Gonzagão trocou os oito baixos por um Acordeon. Joquinha começou sua escola tocando em festas e forrós no Rio de Janeiro e, posteriormente, viajando por todo o Nordeste acompanhando o Rei do Baião como músico (sanfoneiro). Sua maior alegria foi receber o seu primeiro Diploma, quando o Rei declarou em público, registrando oficialmente, que Joquinha seria o seguidor cultural da Família Gonzaga...

 Joquinha Gonzaga ao lado de Quirino Silva e Célia Maria
 O Xaxado e o Baião na Festa do Cariri Cangaço Exu

Depois da apresentação de Joquinha Gonzaga, Piloto e Tacyo Carvalho, o Conselheiro Cariri Cangaço Kydelmir Dantas subiu ao palco para ao lado do secretário de cultura de Exu, Rodrigo Honorato, passar às mãos de Joquinha "um presente que tenho certeza que você não tem..." E com muita emoção entregou ao herdeiro musical de Gonzagão um exemplar de seu primeiro LP. 

Joquinha reagiu com os olhos brilhando de emoção e fez uma confissão: "Fizemos várias fotos para montar essa capa, muitas fotos mesmo, e fomos escolher, quando eu vi o cara colocou na capa a única foto que eu não gostei, caramba, como é que pode ? " encerrou um emocionado Joquinha Gonzaga.

 Secretario Rodrigo Honorato, Kydelmir Dantas e a homenagem a Joquinha Gonzaga
 O primeiro LP do artista
 "O cara colocou na capa a única foto que eu não gostei, caramba !!!"
Kydelmir Dantas e a homenagem a Joquinha Gonzaga

O Ponto alto da participação dos sobrinhos de Gonzagão ainda estava por vir. Tendo como moderadora e provocadora a Conselheira Cariri Cangaço, Juliana Pereira, uma apaixonada pesquisadora da vida e da obra de Luiz Gonzaga, tivemos Joquinha Gonzaga e Piloto como protagonistas de um dos momentos mais ricos de todo o evento.

A proposta da organização do evento foi proporcionar um olhar diferenciado sobre Luiz Gonzaga, não sobre o mito, o musico, o compositor e interprete famoso, não sobre o Rei do Baião, mas sobre o homem, seu cotidiano, sua face no dia a dia, ou seja, queríamos conhecer mais de perto "tio Gonzaga".

Por mais de uma hora Joquinha e Piloto, sob o olhar atento de pesquisadores de todo o Brasil contaram as muitas experiencias ao lado do tio famoso, as intuições, as manias, os rompantes, enfim, a face muitas vezes desconhecida desde que se configura como o maior embaixador da cultura nordestina de todos os tempos, transformando sem dúvidas o momento como um dos mais esperados do Cariri Cangaço Exu 2017.

Juliana Pereira, Joquinha Gonzaga e Piloto: Um dos momentos mais marcantes em Exu sobre a Vida do "Tio Gonzaga"
Manoel Severo e Juliana Pereira entregam a Joquinha e Piloto o Título de
 "Amigo do Cariri Cangaço"

"O Cariri Cangaço Exu conseguiu algo extraordinário, temos aqui verdadeiros craques no que diz respeito a obra e legado de Luiz Gonzaga como: Wilson Seraine, Reginaldo Silva, Paulo Vanderley, José Nobre, Kydelmir Dantas, Rafael Lima, Marcelo Leal, enfim, mas trazer os sobrinhos de seu Luiz, Joquinha e Piloto, para nos falar de seu tio, foi simplesmente fenomenal" reforça o Conselheiro Cariri Cangaço, presidente do GPEC, Narciso Dias. 

Ao final do momento com a família Gonzaga, o curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo ao lado da pesquisadora Juliana Pereira, passaram às mãos dos irmãos, Joquinha e Piloto, seus Diplomas de "Amigo do Cariri Cangaço" num reconhecimento a tudo que representam para a cultura do sertão.

Cariri Cangaço Exu
Joquinha Gonzaga, Piloto em "Tio Gonzaga"
Parque Aza Branca, Exu-Pernambuco
22 de Julho de 2017

Gonzagão, Cidadão de Floresta e do Mundo !

Caravana de Floresta e o Título de Cidadão a Luiz Gonzaga

A programação do Cariri Cangaço Exu 2017, por toda tarde do ultimo dia 22 de julho contemplaria ainda um conjunto significativo de homenagens ao Rei do Baião. O Parque Aza Branca foi também cenário da solenidade de entrega do Título de Cidadão do município de Floresta a Luiz Gonzaga do Nascimento, o Rei do Baião.

"Luiz Gonzaga havia recebido o titulo de cidadão de Floresta ainda em dezembro de 1979, titulo que foi aprovado por unanimidade, mas que nunca havia sido entregue oficialmente, dai tomamos a iniciativa; após consultar a atual Mesa Diretora do Câmara Municipal de Floresta, que tem a frente o vereador Beto Souza; de fazer essa entrega aqui mesmo em Exu, e não poderia ser em momento mais espetacular: Dentro do nosso querido Cariri Cangaço e no Museu do Gonzagão, aqui no Parque Aza Branca, para nós foi uma honra" ressalta Bia Numeriano, vereadora de Floresta, responsável pela iniciativa.

Manoel Severo e a solenidade de entrega do 
Título de Cidadão de Floresta a Luiz Gonzaga

A solenidade contou com a presença do Prefeito do município de Exu, Raimundinho Saraiva, com o Presidente da Câmara Municipal de Floresta, Vereador Beto Souza, da Vereadora Bia Numeriano, do Curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo, dos representantes da família do homenageado, Joquinha Gonzaga e Piloto, além de pesquisadores e historiadores de todo o Brasil que participavam do Cariri Cangaço Exu.

 Vereador Beto Souza, Presidente da Câmara Municipal de Floresta
Joquinha e o Museu do Gonzagão recebem em nome do Rei do Baião o Título de Floresta
 Joquinha Gonzaga fala em noma da Família do Homenageado

Para Manoel Severo "quando a querida vereadora Bia Numeriano conversou comigo sobre a possibilidade de entregarmos no Cariri Cangaço Exu o Título de Cidadão Florestano a Luiz Gonzaga, concedido ainda em 1979 por aquela augusta casa legislativa de Floresta, a emoção foi muito grande. Mais uma vez tivemos a oportunidade de perpetuar a memória de nossas raízes e esse ato aqui protagonizado pela Bia Numeriano, pelo Presidente Beto Souza, foi realmente precioso".

 Manoel Severo, Bia Numeriano e Manoel Serafim
 Manoel Severo e a emoção diante das palavras da vereadora Bia Numeriano
"Gostaría de dizer a todos e aproveitar esse momento para comunicar que neste próximo mês de agosto, no inicio do período legislativo de nossa Câmara Municipal de Floresta, estaremos dando entrada num Projeto de Lei concedendo desta vez, o Titulo de Cidadão Florestano ao Curador do Cariri Cangaço, meu amigo Manoel Severo Barbosa" Bia Numeriano

"Luiz Gonzaga é um cidadão do mundo e mais uma vez essa homenagem da Bia, do Beto Souza, da Câmara de Floresta, mostram isso e nada mais espetacular do que esse momento ter sido no Cariri Cangaço Exu" comemora Manoel Serafim, Conselheiro Cariri Cangaço.

Para o Conselheiro Cariri Cangaço, pesquisador e colecionador de Natal, Ivanildo Silveira, "Esse Cariri Cangaço surpreendeu a todos por sua dimensão, sua capacidade de unir pesquisadores de vários assuntos, temas importantes e palpitantes, a presença destas crianças maravilhosas: os dois Pedros, a Yasmim e linda Cecilia do Acordeon, enfim e ainda as grandes homenagens ao Rei do Baião como essa que acabamos de testemunhar da Câmara Municipal de Floresta".

Raimundinho Saraiva prefeito de Exu
Vice Prefeito de Água Branca, Maciel Silva, Prefeito Raimundinho Saraiva 
e Edvaldo Feitosa
Betinho Numeriano, Beto Souza, Ana Gleide Souza Leal e Manoel Serafim

"Exu vive um momento de festa, receber o Cariri Cangaço é uma honra e hoje testemunhamos realmente um dia especial, não só pelas palestras, as apresentações, a riqueza dos debates, mas também pela visita da Câmara Municipal de Floresta, através do presidente Beto Souza e da vereadora Bia, nesta solenidade marcante, o Cariri Cangaço já começa a deixar saudades" fala o Raimundinho Saraiva, prefeito municipal de Exu.

Cariri Cangaço Exu
Entrega de Título de Cidadão de Floresta
Parque Aza Branca
22 de Julho de 2017, Exu-Pernambuco

Viva o Maior Embaixador do Sertão: Luiz Gonzaga do Nascimento !

Paulo Vanderley e Seu Luiz no Cariri Cangaço Exu 2017

E continuamos com a programação do Cariri Cangaço Exu 2017, ainda no Parque Aza Branca com extensa e rica agenda, toda ela voltada para a vida e a obra do Rei do Baião, Luiz Lua Gonzaga. Primeiro tivemos os aguardados lançamentos dos livros dos pesquisadores e escritores gonzaguianos;  Rafael Lima e o seu "O Rei do Baião e a Princesa do Cariri" e Marcelo Leal com o seu "As Mulheres de Luiz Gonzaga".

Rafael Lima e o lançamento de seu livro "O Rei do Baião e a Princesa do Cariri"
 no Cariri Cangaço Exu
Rafael Lima, Gonzaga e Crato  no Cariri Cangaço Exu 2017

Para uma platéia de pesquisadores de todo o Brasil, um simpático e talentoso Rafael Lima; memorialista da obra do Rei do Baião e que há oito anos comanda o Museu da ExpoCrato, que reúne os Gonzaguianos do Brasil inteiro na época da Exposição mais famosa do Ceará; lançou sua obra dentro da Programação do Cariri Cangaço. "O livro O Rei do Baião e a Princesa do Cariri, vai proporcionar a todos uma viagem pelos principais momentos e emoções vividas por seu Luiz , nosso monarca do Baião, na cidade do Crato, seu berço cearense" afirma Rafael Lima em sua primeira participação em edições do Cariri Cangaço.  

Manoel Severo comenta, "já conhecia de nome e o trabalho, cheio de determinação e paixão do Rafael, hoje estamos tendo a oportunidade de lançar seu livro no Cariri Cangaço, uma obra sensacional, gostosa de ler e espetacular por nos trazer a grande ligação de Luiz Gonzaga com o Crato, além de Rafael ser essa pessoa gentil, elegante, cordato, para nós é uma honra tê-lo na Família Cariri Cangaço". 

Mais cedo o Conselho do Cariri Cangaço entregou os Diplomas de "Amigo do Cariri Cangaço" a três dos artistas e músicos que por muito tempo acompanharam o Rei do Baião, de Exu: Enyo Franco, Islanyo Ferreira do Nascimento e Pedro Ivo de Oliveira.  

Kydelmir Dantas lançando seu cordel "A chegada do rei do baião ao inferno"
Manoel Severo, Enio Franco e Eliana Galdino
Professor Urbano Silva e a homenagem ao Rei do Baião e Onildo Almeida

Logo em seguida as homenagens partiram do pesquisador gonzaguiano, professor de Caruaru e membro destacado do Cariri Cangaço, Urbano Silva que trouxe o abraço de Onildo Almeida, um dos mais destacados compositores da musica nordestina e sua obra prima,
 "A Feira de Caruaru".

 Paulo Vanderley: O coração falando mais alto
 Paulo Vanderley e a tarde noite de Luiz Gonzaga no Cariri Cangaço Exu
 Paulo Vanderley
Paulo Vanderley, Kydelmir Dantas e Múcio Procópio

O grande final do terceiro dia de Cariri Cangaço ainda estava por vir, no inicio da noite, quatro dos mais destacados pesquisadores da vida e da obra do Rei do Baião haveriam de proporcionar a todos os presentes uma apresentação de arrepiar. 


Ao moderador da Mesa,  poeta cordelista, pesquisador paraibano de Nova Floresta, também Conselheiro Cariri Cangaço, Kydelmir Dantas, se uniu o pesquisador e estudioso da historia da música brasileira; potiguar de Lages e Conselheiro do Cariri Cangaço; professor Múcio Procópio e duas legendas gonzaguianas: Paulo Vanderley, um dos maiores pesquisadores e colecionadores da obra de Gonzaga, do Brasil e José Nobre, filho de Currais Novos mas radicado em Campina Grande onde mantém um dos maiores Museus Fonográficos do Mundo, para realizarem um dos momentos mais preciosos e esperados do Cariri Cangaço Exu 2017. 

Paulo Vanderley e Kydelmir Dantas
 "Falar de Gonzaga é falar da alma do Sertão, é falar da alma do sertanejo e de todos nós, a emoção toma conta de todo o meu ser na noite de hoje aqui no Cariri Cangaço Exu neste momento em que juntos homenageamos o grande Luiz Gonzaga" revela um emocionado Múcio Procópio. 

Paulo Vanderley, um abnegado rastejador da historia e cultura sertaneja, incorrigível apaixonado pela música genuinamente nordestina, por tudo que se refere a ela e especialmente a tudo que diz respeito ao Gigante Luiz Gonzaga nos proporcionou a partir sua apresentação a grandeza do universo Gonzaguiano. Por mais de uma hora nos presenteou com fragmentos preciosos de seu rico acervo sobre Lua Gonzaga. Paulo Vanderley é uma dessas pessoas que encantam fácil, por sua dedicação e sua simplicidade, a simplicidade daqueles que emprestam o que possuem de melhor na direção de realizar sonhos, e o mais importante: Compartilhar sonhos, foi assim em sua apresentação no Cariri Cangaço Exu 2017, com o coração nos trouxe o Rei do Baião.

Múcio Procópio e a emoção de sua relaçaõ com a obra de Luiz Gonzaga
José Nobre e Seu Praxedes, tendo o Rei do Baião por testemunha...

Destacamos aqui a última apresentação da noite , o professor e pesquisador de Currais Novos, radicado em Campina Grande, José Nobre; criador, fundador e mantenedor do Museu Fonográfico Luiz Gonzaga, também na cidade de Campina Grande que dedicou a sua apresentação a relíquias do universo fonográfico gonzaguiano, uma viagem musical poucas vezes vista, trazendo o saudosismo e a emoção a essa que sem dúvidas foi uma das noites mais marcantes do Cariri Cangaço.

O Museu Fonográfico Luiz Gonzaga é um dos mais ricos espaços culturais do nordeste, por 30 anos José Nobre reuniu um acervo considerável, rico em expressão e grandeza, são mais de 6 mil discos, mais de 70 livros sobre a vida e obra de Luiz Gonzaga, teses de doutorado, revistas, recortes de jornais, instrumentos e peças que pertenceram a Gonzaga e muito mais, tudo isso perpetuando a memoria do maior embaixador do sertão, de todos os tempos. 

Cariri Cangaço Exu
"Luiz Gonzaga, o Mito e a Obra"
22 de Julho de 2017 Parque Aza Branca,
Exu-Pernambuco

O Cariri Cangaço e a Missa do Jacó !


Helena Câncio e Manoel Severo

O encerramento do emblemático Cariri Cangaço Exu 2017 se deu em grande estilo. A participação na 47ª edição da Missa do Vaqueiro de Serrita acabou consolidando a união entre o Instituto Cariri do Brasil, promotor do Cariri Cangaço e a Fundação Padre João Câncio, uma das promotoras desta que é uma das maiores festa do sertão, a Missa do Vaqueiro de Serrita. Na oportunidade o curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo e mais de 150 convidados do evento estiveram participando da memorável celebração em homenagem ao vaqueiro Raimundo Jacó, inspirador da momento.

A tradicional Missa do Vaqueiro de Serrita é o resultado da homenagem prestada pelo povo do sertão ao vaqueiro Raimundo Jacó, célebre por sua coragem e talento na arte da lida e oficio com o gado. Jacó foi assassinado nesta mesma fazenda Lages, local atual do parque, em julho de 1954. A missa teve como idealizadores, seu primo Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, o Padre João Câncio e o poeta Pedro Bandeira. O Cariri Cangaço foi anfitrionado por Helena Câncio e seu filho, Tiago Câncio.

O Cariri Cangaço se une a Missa do Vaqueiro de Serrita
Prefeito de Exu, Raimundinho Saraiva e Manoel Severo
Liz e Marcelo Teixeira e José Tavares Neto
Betinho Numeriano, Mabel Nogueira e Manoel Severo
Celsinho Rodrigues e Manoel Severo
Edna Ferreira e Urbano Silva
Manoel Severo e Stela Lobão
Luiz Abreu e Flavio Leandro
Benedito Vasconcelos e Dra Susana

Toda a celebração, pontuada pela mais absoluta fé sertaneja impressiona pela grandiosidade, tanto em simbolismo espiritual como em sua dimensão material. São mais de 800 vaqueiros "encourados e montados", um público que girou em torno de 70 mil pessoas em todo o período da festa e da celebração, traduzindo-se como uma das maiores manifestações culturais e religiosas do Brasil.

Paulo Vanderley, Celsinho Rodrigues e Manoel Severo
Noádia Costa, Juliana Pereira e Aline Melo
Pedro Mota Popoff e Amélia Araujo
Helena Câncio e José Tavares Neto
Mucio Procópio e Bia Numeriano
Ney Vital Guedes, Manoel Severo e Camelo
Pedro Mota Popoff
Elane Marques e Aninha Lucia
Ana Lúcia Gomes, Kydelmir Dantas, 
Milla e Rangel Alves da Costa, Elane Marques e Ingrid Rebouças
Cecilia do Acordeon, Ingrid Rebouças e Elane Marques

 Um dos pontos altos da 47ª Edição da Missa do Vaqueiro de Serrita foi a entrega por parte do Conselho Curador do Cariri Cangaço através de seu presidente, Manoel Severo, do Título de "Personalidade Eterna do Sertão" ao Padre João Câncio, in memoriam, honraria recebida por sua esposa, Helena Câncio, em um dos momentos mais emocionantes do evento.

Ingrid Rebouças, Helena Câncio e Manoel Severo: "Personalidade Eterna do Sertão" a Padre João Cancio
Ana Gleide, Bia Numeriano, Helena Câncio, Manoel Severo e Betinho Numeriano
Helena Câncio e Ingrid Rebouças
O parque Raimundo Jacó, localizado no município de Serrita, sertão pernambucano, sedia a Missa do Vaqueiro; evento cultural e religioso que chegou a sua 47ª edição reunindo vaqueiros de todo o nordeste. Além da celebração ecumênica o evento ainda contou com vaquejadas, pegas de boi e rodas de forró, com sanfoneiros e apresentações de repentistas e aboiadores.

Ivanildo Silveira
Juliana Pereira e a Festa da Missa do Jacó...
Ingrid Rebouças, Tiago Câncio e Manoel Severo
Amelia Araujo
Caravana Cariri Cangaço na Missa do Vaqueiro de Serrita
 José Nobre, Pedro Lucas e José Tavares Neto
 Casal Francisco de Assis
Ana Gleide, Manoel Serafim, Francimary Oliveira e Mabel Nogueira
Elane Marques , Ingrid Rebouças e Archimedes Marques
Kydelmir Dantas
Divonildo, Manoel Severo e Cristina Couto
José Tavares Neto
Benedito Vasconcelos e Manoel Severo
Marcelo e Liz Teixeira
Kydelmir Dantas e Nerizangela Silva
Elane Marques, Ingrid Rebouças e Stela Lobão
 Célia Maria, Quirino Silva, Padre Fábio Mota e Manoel Severo
Francisco de Assis e a Procissão de Fé...
Marcelo Teixeira e Manoel Severo
Rangel Alves da Costa e Leo Cangaceiro
Ingrid Rebouças
Emmanuel Arruda e Manoel Severo
Paulo Vanderley e Rafael Lima
Cecília do Acordeon
Manoel Severo, Ingrid Rebouças, Juliana Pereira e Getulio Bezerra
Maria Amelia Araujo e Manoel Severo
A emoção do Cariri Cangaço no Jacó
Manoel Severo e Lena Costa
Família Cariri Cangaço no Jacó

Raimundo Jacó Mendes, nasceu em Exu no dia 16 de Julho de 1912 , e era primo legítimo do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. Já bem jovem o vaqueiro Jacó já se destacava como exímio aboiador de muita inteligência e coragem que acabaram por lhe render fama o que acabaria sendo; segundo se conta, a causa de seu assassinato em julho de 1954. 
"O sertão canta e conta a história de Jacó"... Narra a lenda que, o dono da fazenda Lages em Serrita, pela fama de Jacó o contratou como vaqueiro, certo dia haveria de ordenar que Jacó e um outro vaqueiro, Miguel Lopes, fossem pegar na caatinga uma rês, arisca e estimada, que se afastou do rebanho, a data era 8 de julho de 1954.
Ao fim do dia Miguel Lopes volta à sede da fazenda, sozinho, sem comentar sobre Jacó e a rês. Os outros vaqueiros preocupados, no dia seguinte saíram à procura de Raimundo Jacó e em meio a caatinga encontraram-no morto, ao lado da rês ainda amarrada e o seu fiel cachorro latindo, sem sair de perto. Uma pedra manchada de sangue denunciava a covardia do assassinato.
Miguel Lopes foi incriminado, abriu-se um processo, mas foi arquivado por falta de prova e o crime ficou sem solução, caindo no esquecimento. Tomando conhecimento disso, Luiz Gonzaga protestou com música A Morte do Vaqueiro.
Manoel Serafim, Mabel Nogueira e Maria Amélia
Ivanildo Silveira, Pedro Mota Popoff e Quirino Silva
Carlos Mendonça e Manoel Severo
Amelia Araujo, Noadia Costa, Mucio Procópio e Jorge Remígio
Mucio Procópio e Ingrid Rebouças
Cicero Marcelino e Manoel Severo
Cecília do Acordeon e Mabel Nogueira
Viva o Cariri Cangaço no Jacó
Jair Tavares
Catarina Venancio, Wescley Rodrigues, Manoel Severo e Mucio Procópio
Veridiano Dias, Leo Cangaceiro e Manoel Severo
Noadia Costa, Ingrid Rebouças, Leo Cangaceiro, Francimary Oliveira
Coral de Aboios de Serrita
Betinho Numeriano, Tiago Cancio, Manoel Severo
Archimedes Marques
Elane Marques, Ivanildo Silveira e Cecília do Acordeon

Para Juliana Pereira, Conselheira do Cariri Cangaço, "O encerramento de nosso Cariri Cangaço Exu aqui participando da 47ª edição da Missa do Vaqueiro de Serrita, quando homenageamos ao lado de vaqueiros de todo o sertão a memória do grande Raimundo Jacó, nos enche de emoção. Mais uma vez tivemos a certeza de que estamos no caminho correto, reunindo todos aqueles que acreditam que podem construir um futuro diferente enaltecendo nossas raízes e memoria, esse Cariri Cangaço Exu ficará em nosso coração por todo o seu significado e por tudo que conseguiu realizar".

"Foi um momento ímpar, sem igual, pelo menos eu nunca vi nada parecido, unir pesquisadores do cangaço, de Luiz Gonzaga, de Bárbara de Alencar, dos vaqueiros, enfim, nunca havia visto nada parecido e numa dimensão como foi esse Cariri Cangaço Exu, companheiros de 15 estados do Brasil, sem dúvidas um momento em que nos sentimos felizes por ter testemunhado e ter vivido tantas emoções" ressalta o pesquisador de Custódia, Conselheiro Cariri Cangaço, Jorge Remígio.

Ingrid Rebouças e Narciso Dias
Manoel Belarmino e Manoel Severo
Ivanildo Silveira e Cecília do Acordeon
Vera Costa, Manoel Severo, Rangel Alves da Costa e Ivanildo Silveira
Cicero Marcelino, Alvenir Peixoto, Helena Câncio e Helenilda Moreira
Quirino Silva, Maciel Silva, Ivanildo Silveira, José Tavares Neto, Pedro Popoff e Mariana
Narciso Dias, Ivanildo Silveira e Manoel Severo
Seu Antonio Feitosa e dona Salete, avós de Pedro Lucas do Museu de Luiz Gonzaga 
Coral de Aboio de Serrita e Pedro Mota Popoff
Ingrid Rebouças, Paulo Vanderley e Manoel Severo
Quirino Silva, Maciel Silva e Ivanildo Silveira
Wilton Dedê, Paulo Vanderley, Manoel Severo e Ivanildo Silveira
Clã de Pombal no Cariri Cangaço Exu em Serrita

"Sem palavras para definir este Cariri Cangaço Exu, superou todas as nossas expectativas, em todos os aspectos; organização, logística, riqueza das visitas, as conferencias riquíssimas, um povo super acolhedor, tanto em Exu como em Serrita, realmente não poderia ter um encerramento mais fantástico do que esse aqui na Missa do Vaqueiro e ainda ouvir Ave Maria Sertaneja com esse coral de aboio maravilhoso, entrou para a historia esse Cariri Cangaço" comenta Gerlane Carneiro de João Pessoa.

"Olha eu me surpreendi com essa festa da Missa do Vaqueiro, desde a primeira vez que conversamos com Helena Câncio para fechar a parceria do Cariri Cangaço com a Fundação Padre João Câncio, ainda  no começo do ano, que ficava pensando na dimensão dessa missa, mas tudo foi muito além do que eu imaginava, uma coisa realmente sem igual, aqui respira-se um ar diferente, uma energia diferente, cheia de amor e devoção, que coisa bacana, foi lindo ter estado com o Cariri Cangaço e tantos amigos nesta grande festa" diz Ingrid Rebouças de Fortaleza.

Prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra, Manoel Severo e Ingrid Rebouças
Prefeito Arnon Bezerra e o Cariri Cangaço em Juazeiro em 2019
Rafael Lima, Arnon Bezerra, Manoel Severo, Expedito Seleiro, Paulo Vanderley 
e Ney Vital
Edvaldo Feitos e Manoel Severo
Aline Melo e Noadia Costa
Bia Numeriano e Ingrid Rebouças
Caravana de Floresta e o Cariri Cangaço no Jacó
Manoel Severo, Expedito Seleiro e Paulo Vanderley
O abraço em prol da cultura e da arte
Expedito Seleiro e Ingrid Rebouças
Cecília do Acordeon, Expedito Seleiro, Ingrid Rebouças e Manoel Severo
Cecília do Acordeon, Expedito Seleiro, Ingrid Rebouças e Manoel Severo
Paulo Vanderley, Cecília do Acordeon, Expedito Seleiro, Ingrid Rebouças e Manoel Severo
Pedro Lucas e Expedito Seleiro
Paulo Vanderley, Pedro Lucas, Expedito Seleiro, Manoel Severo e Rafael Lima
Expedito Seleiro e Camilo Lemos
Wilton Dede, Ingrid Rebouças, Expedito Seleiro, Manoel Severo e Cristina Couto
Expedito Seleiro e Manoel Severo
Jorge Remígio, Manoel Severo, Seleiro, Camilo Lemos e Paulo Vanderley
Ivanildo Silveira, Manoel Severo, Louro e Joseane Teles, Marcelo Teixeira e José Tavares Neto
Leo Cangaceiro, Manoel Severo e Quirino Silva
Maricô e Ingrid Rebouças
Cãmara Municipal de Barbalha no Cariri Cangaço Exu e Jacó
Mabel Nogueira
Leo Cangaceiro, Ingrid Rebouças e Quirino Silva
Kydelmir Dantas, Célia Maria, Quirino Silva, Padre Fábio Mota, Manoel Severo, 
Rafael Lima e Ingrid Rebouças


Para a pesquisadora e escritora de Sergipe, Elane Marques "olhe tem coisas que só o Cariri Cangaço pode proporcionar, olhe um evento como esse em Exu e Serrita não dá nem para comentar de tão maravilhoso, reunindo tanta gente importante e bacana, nunca vi tanta gente em um Cariri Cangaço, e de todo o Brasil, agora fica a saudade, mas logo logo vamos ter nova oportunidade; em setembro e outubro, é como Severo diz: Não podemos parar!"

O Cariri Cangaço Exu 2017 teve seu encerramento de forma magistral participando das celebrações da 47ª Missa do Vaqueiro de Serrita no Parque João Câncio, quando seus mais de 150 pesquisadores presentes se uniram às milhares de pessoas vindas de todo o sertão para reverenciar a alma e fibra do vaqueiro  nordestino. O Cariri Cangaço Exu, evento como um todo foi coroado de êxito, tanto para as centenas de participantes que vieram de todo o Brasil, mas e principalmente para as famílias que nos acolheram, consolidam a máxima de que com trabalho duro, união, humildade, dedicação e seriedade podemos sim construir grandes obras. Parabéns Família Cariri Cangaço, vocês são os responsáveis por tudo isso...

Cariri Cangaço Exu
Missa do Vaqueiro de Serrita
Fazenda Lages, Parque Raimundo Jacó
23 de Julho de 2017, Serrita-Pernambuco

Nenhum comentário: