Uma verdadeira escola... Por:Eloisa Farias

.
Porfessora Eloisa farias

Caro Manoel Severo,
Venho por meio deste expressar meus sinceros agradecimentos, pela maravilhosa oportunidade que me deu em poder participar, este ano, do Seminário Cariri Cangaço, na condição de conferencista. Pude perceber que o Cariri Cangaço, mais que um seminário de grande valor cultural, é também uma verdadeira escola, pois aprendi bastante nos dias em que estive presente.

Aprendi o quanto os nordestinos são calorosos, amigos e de bem com a vida. Aprendi quanto os mesmo se envolvem com sua história e sua cultura (valor pouco disseminado em um lugar onde se vive praticamente para o trabalho, como no Distrito Federal).

Aprendi também uma nova maneira de "fazer história", pois, enquanto aqui eu convivia apenas coma teoria, pude juntá-la à prática proporcionada pelo Cariri Cangaço!  Foi muito benéfico estar em meio à tantos intelectuais sérios e competentes, em estar diante de filhos de cangaceiros, pessoas que tiveram a oportunidade de estar de frente com coronéis, pessoas que podem relatar a proximidade que tiveram com parentes ou "gente" de Lampião e demais personalidades do sertão nordestino.

É como se um momento considerado passado, estivesse ainda presente naquela seara. A experiência foi tão satisfatória, que me sinto motivada em levar adiante meus estudos acerca desse objeto de pesquisa tão fascinante que é o sertão do Nordeste. Enfim, muito obrigada e tenha muito sucesso!

Abraços!
Eloisa Farias
Brasilia DF
.

9 comentários:

Anônimo disse...

A professora Eloisa Farias, de Brasília, foi uma grata supresa a todos que estiveram no Cariri Cangaço, sua explanação histórica contsxtualizada sobre o grande Delmiro Gouveia, mostrou segurança e conhecimento. Parabens.

Sendo a professora, fora do eixo das pesquisaa cangaceiras: seja muito bem vinda.

Professor Alberto.

Anônimo disse...

DELMIRO GOUVEIA FOI SEM SOMBRA DE DÚVIDAS UM DOS MAIORES BRASILEIROS DE SUA ÉPOCA. A PALESTRA EM MISSÃO VELHA COM A PROFESSORA ELOISA,NOS TROUXE DE FORMA ELUCIDATIVA O CONTEXTO NO QUAL ESSE GRANDE CEARENSE ESTAVA INSERIDO. PROFESSORA ELOISA PARABENS PELO SEU TRABALHO.

RICARDO LIMA VERDE

Anônimo disse...

Concordo caro Ricardo, pena que sobrou pouco tempo para falar de Delmiro e seus empreendimentos no nordeste que foram muitos. Acredito que teremos a grata satisfação de ver a professora Eloisa em outra oportunidade, quem sabe no próximo Cariri Cangaço.
Um forte abraço a todos os confrades e em especial a brilhante professora Eloisa Farias.

Assis Nascimento//Mossoró (Rn)

Anônimo disse...

Seria muito interessante termos novamente Delmiro Gouveia, trazendo novamente a professora Eloisa, que foi brilhante; e também esmiuçar a questão do assassinato do Delmiro, que foi começado pelo pesquisador de Paulo Afono, qiue fez parte da mesa. É isso.

Marcos Assunção.

CARIRI CANGAÇO disse...

Marcos, grande abraço.

O nome do debatedor da noite em Missão Velha, que debateu sobre Delmiro Gouveia é GILMAR TEIXEIRA, grande documentarista e escritor, do eixo : Feira de Santana/Paulo Afonso. Ele está finalizando um trabalho sobre a Morte de Delmiro; com certeza teremos o prazer de apresentar no Cariri Cangaço 2011.

Manoel Severo

Anônimo disse...

A princípio, agradeço a todos pelas palavras! Mais que a manifestação do que sentiram, tais palavras são, para mim, uma fonte de incetivo! Muito Obrigada!

De fato, o tempo disponível para a conferência em Missão Velha foi limitado em vista da imensidão de informações que estão arraigadas à história empreendedora de Delmiro Gouveia.

Sobre o súbio assassinato do mesmo, posso dizer que Delmiro Gouveia colecionou muitos inimigos durante sua trajetória, em razão de suas ações.

Conquistou forte desafeto com donos de armazéns de Recife em razão dos preços baixos oferecidos no Mercado do Dérby, tendo os mesmos recorrido à máquina política para inibir a continuidade de seus negócios - neste caso, entra em ação, contra Delmiro Gouveia, o prefeito de Recife Esmeraldino Bandeira.

Agrediu com bengaladas, em plena rua do Ouvidor, no Rio de Janeiro, o então vice-Presidente da República, Coronel Rosa e Silva (Governo de Campos Sales) que, coincidentemente ou não, era partidário de Esmeraldino.

Ascendeu a ira do Coronel pernambucano Sigismundo Gonçalves ao sequestrar sua filha de 15 anos, pela qual estava enamorado.

A concorrência gerada por sua Fábrica da Pedra desagradou em muito os trustes então formados no país, encabeçados, principalmente, pela empresa escocesa Machine Cottons Limited.

Envolveu-se em questões de terra durante sua permanência em Pedra/AL, desagradando o então chefe político de Piranhas, Coronel José Rodrigues de Lima.

Enfim, com uma coleção de inimigos dessas proporções, desvendar quem matou Delmiro Gouveia é uma missão laboriosa. O coronelato sertanejo? O capitalismo internacional? Os comerciantes de Recife? Alguém envolvido com a oligarquia rosista?

Tais conjeturas poderão encontrar um norte mais preciso na obra de Gilmar Teixeira, pesquisador que se deu a tarefa de debruçar-se acerca de um tema tão instigante.

Vamos aguardar as novidades do próximo Cariri Cangaço!

Eloísa Farias (BSB)

Anônimo disse...

Professora Eloisa, perfeita sua reflexão sobre qual o "fim quase certo" de Delmiro, capítulo para o Cariri Cangaço 2011 com o pesquisador Gilmar Teixeira e vou mais além quando a senhora coloca a coleção de inimigos: Na verdade não teria sido uma união de todos eles tramando a morte de Delmiro? Com a palavra os pesquisadores.

Freitas Junior
Fortaleza

Yuri Luna disse...

O que a professora Eloisa fala tem muito sentido e concordo com o cometário acima de Freitas Junior: Será que a morte de Delmiro não foi justamente resultado de todos esses fatores juntos???!!!! Ou seja, todos esses inimigos de Delmiro, de alguma forma tinham ligações, eram as elites do lugar, então....vamos esperar o trabalho que está sendo programado para o Cariri Cangaço 2011 com o professor Gilmar.

YURI

Marilia e Rui disse...

Demiro Gouveia foi vítima de sua própria arrogância. Numa época em que tudo se resolvia às custas da Lei do Talião; era de se estranhar que um homem com tantos inimigos poderosos não tivessse o fim que teve. Delmiro foi o Barão de Mauá do Nordeste. Parabéns pela postagem e pelos comentários.

Marilia