Aguas Belas e a Fazenda Nova de Audálio Tenório Por:Patricia Melo

.
Casa sede da Fazenda Nova de Audálio Tenório

Bom, me senti quase que obrigada a postar um comentário aqui pois esta fazenda faz parte da minha vida, passei toda a minha infância e adolescência andando a cavalo indo ver o casarão ouvindo estórias, e convivi com pessoas lindas, realmente me emociono ao ver essas fotos.

Tudo começou da amizade do meu bisavô o Coronel Lucena de Santana do Ipanema que tinha uma filha Tereza Lucena, filha de Jacy que faleceu quando Tereza havia 4 anos, Dona Dasdores, como era chamada a mulher de Audálio Tenório, que nunca havera filhos, perguntou ao Coronel Lucena um certo dia porque ele não deixava Tereza em Águas Belas para ela estudar no Damas, Colégio interno de freiras muito respeitado e conhecido em Garanhuns, então assim foi Tereza se criou na fazenda Nova até a fase adulta quando conheceu o Alagoano Rubens Quintella e se casaram em Maceió tiveram 6 filhos, Jacy Maria Lucena Quintella Cavalcanti, Rubens Lucena Quintela Cavalvanti, Sergio Lucena Quintella Cavalcanti, Vera Maria Lucena Quintela Cavalvanti, Ruth Maria Lucena Quintela Cavalvanti e Noemi Maria Lucena Quintela Cavalvanti.



Imagens da Fazenda Nova em Águas Belas, Pernambuco.
 
Começo eu, Patricia, a fazer parte dessa historia; Sou filha de Jacy, a filha mais velha de Tereza e Rubens, "bisneta" de Vovó Dasdores e do Vovô Audálio, pois, minha avó Tereza seria a filha que o casal nunca teve de sangue, temos ainda hoje fotos trocadas por Dasdores e Tereza onde Dasdores a chama de Filhinha e Tereza enviava fotos iniciando com Mamãezinha. Bom, assim fomo, a família que não era de sangue, mas que cresceu ali como netos e bisnetos.

Um certo dia resolvemos organizar a festa de 80 anos da vovó Dasdores, vovô Audalio já havia falecido; faleceu de diabetes, lá para as tantas, em meios da organização da festa, ela, Dasdores vira para a minha mãe e fala: " Jacy milha filha, eu queria fazer uma coisa, já estou velha e começo a pensar mais na morte, tenho o desejo de viver meus últimos dias aqui na fazenda e por aqui mesmo ficar, e assim como eu, pessoas que nasceram e se criaram aqui devem querer fazer o mesmo, gostaria de repartir alguns pedaços de terra para as famílias que nasceram e se criaram aqui".

Então assim fizemos; fomos pegar os nomes das pessoas direitinho, fizemos as escrituras e no dia da festa de 80 anos , ela fez um discurso, entregando a cada um um pedaço de terra. Me emociono aqui escrevendo, lembro o quão forte foi aquele momento, para ela, que lembrara do falecido marido Audálio, de toda trajetoria vivida na Fazenda Nova e da ligação com aquele povo e para eles, gente que se criou ali naquele pedaço de terra, que sempre viveram e trabalharam ali, a terra era agora parte efetiva da vida de cada um.

Audálio Tenório ao centro, ao lado, Gerson Maranhão

Bem, isso é só uma das belas historias que posso ilustrar aqui do que era a vida desses dois icones dessa região, e que fazem muita falta na nossa "Família". Nossa Vovó Dasdores faleceu em Maceió sob os cuidados de minha Mãe Jacy Médica, e deixou a Fazenda Nova em testamento, que fez quando ainda era viva, para a família da filha Tereza, mas infelizmente, não podemos entrar mais na fazenda, pois os sobrinhos indignados com a vontade dela, invadiram e brigam pela posse, nós não brigamos esperamos que a justiça julgue e faça valer a vontade que Dasdores expressou em vida, afinal, para nós o que realmente importa nao é o bem material, mas sim as recordações dos momentos que vivemos com eles e com todos que ali vivem, que infelizmente esses que agora vivem lá, nunca tiveram.

Atualmente vivo em Milão, faço mestrado em arquitetura, e são em momentos assim como esse, que eu agradeço ao inventor da internet e a tecnologia pela oportunidade de me transportar a um lugar virtualmente, onde não posso mais ir materialmente, espero que tudo se resolva e eu possa voltar a reviver minha infância e a dar aquelas velhas cavalgadas na Fazenda Nova.

Patricia Quintella Mélo

NOTA CARIRI CANGAÇO: O Cariri Cangaço se sente feliz e honrado por fazer parte desse maravilhoso reencontro entre Patricia e sua inesquecível Fazenda Nova; cenário marcante para todos os que conheceram e compartilharam a história de vida do Doutor Audálio Tenório.
.

26 comentários:

Narciso disse...

Bela história de vida Patrícia,tive uma infância parecida com a sua e hoje quando
retorno as minhas origens fico envolvido em
felicidade e angústia ao mesmo tempo uma coisa
inexplicável,porém serve de bálssamo para alma.

Yuri Luna disse...

Patrícia lendo sua matéria tive a sensação, como o amigo Narciso, de retornar à minha infancia em Pau dos Ferros, no nosso querido Rio Grande do Norte. Parabens pela bela matéria e ressaltamos a grande figura que foi o Doutor Audálio Tenório,uma das maiores personalidades politicas de sua época e com passagens importantes e polemicas com o Capitão Virgulino Lampião.

YURI

Anônimo disse...

Quem desejar conhecer um pouco mais a história do coronel Audalio ver o livro do professor Vilela, o Incrivel Mundo do Cangaço.

SDS

Marcos Brito

bijuzinha disse...

Oi professor, queria saber se está interessado em me ajudar, se quiser me contate pelo e-mail saritabiju10@hotmail.com, é sobre um projeto!
obrigado pela compreensão.

Anônimo disse...

Muito Legal, parabens a esse homem extraordoinário que é Severo, juntando histórias e emoções de todos os cantos do Brasil e do mundo!

Renata Lemos

gustavo disse...

Bonita e verdadeira, a historia escrita por Patricia. Por ter amizade com seus tios tive oportunidade de conhecer D. Dasdores e a Fazenda Nova.(Que muito ouvia falar. Ora contada por Sr. Cante Teixeira da Cha Preta-AL, emocionado detalhava dizendo que seu pai Titonho foi a uma pega de boi na fazenda Nova tirou a primeira colocacao e chamou o casal Audalio-Dasdores para serem padrinhos de seu unico filho homem. O compadrio, era laco de amizade muito forte naquela epoca. E das diversas vezes que ouvi falar do Dr. Audalio, amizade com Lampiao e com o Cel. Lucena ente outras coisas, passagens ditas pelo amigo Jader Tenorio e por meu querido tio Jarsen Costa.)
Alem da delicadeza de D. Dasdores (Vera o moco ja comeu),as belezas naturais desfrutadas no lombo de cavalo e mesmo a pe, acudes,mata atlantica em pleno sertao, paisagens inesqueciveis, a casa grande, curral, a casa antiga(pouso de Lampiao e Maria Bonita, segundo moradores), a asa branca e seu canto, as criacoes , bodes, jardim, etc.
Patricia a justica, tarda mas nao falha.
Parabens.
Abracos Gustavo.

Anônimo disse...

Patrícia, preciso entrar em contato com vc urgente pelo email, tenho uma história mto interessante sobre seu tio Sérgio Lucena Quintella Cavalcanti. Me adc por favor é muito importante. Um Abraço

thiagotavareslima2010@hotmail.com

De: Thiago Tavares

Anônimo disse...

Patrcia,gostaria de entrar em contato com vc. esse é o meu email:izaura.frança@bol.com.br

cgg@petronras.com.br disse...

Eu sou provável pentaneto de Lourenço Cavalcanti de Albuquerque. Cujas as iniciais estão grafadas na Casa Grande desta propriedade. Casa esta que fica no alto morro das Antas. Sou tetraneto de Manel Ramos de Vasconcelos ( descendente de João Rodrigues Cardoso e primo Irmão de Constantino Lins de Albuquerque,marido da antiga Sebnhora deste Engenho:Josefa de Albuquerque Maranão)casada com Lourença Cavalcanti de Albuquerque.

Anônimo disse...

Bezerra das Antas

Construi a casa lá no alto destas terras para morar com minha esposa Josefa Florentina de Albuquerque Maranhão.

Patrícia disse...

Obrigada Cariri pelo post e a todos pelos comentários de carinho.

Anônimo disse...

Patrícia, preciso entrar em contato com vc urgente pelo email, tenho uma história mto interessante sobre seu tio Sérgio Lucena Quintella Cavalcanti. Me adc por favor é muito importante. Um Abraço email novo: soreggae_18@hotmail.com

luiza albuquerque disse...

Oi Patricia, fiquei emocionada com sua historia,tive o previlegio de conhece-los e conviver com eles.
Luiza

Anônimo disse...

meu nome e paulo maranao nao sou da familia de gersson maranhao mais sim deuma familia maranhao q originousse na faseda nova antes mesmo de odalio conprala meu pai e tios naicerao todos na fasenda nova pois meu avo antonio maranhao mais conhecido por cabocro maranhao era morador da fasenda omem de confiaca de odalio tenorio

Thiago Tavares disse...

Patrícia, preciso entrar em contato com vc urgente pelo email, tenho uma história mto interessante sobre seu tio Sérgio Lucena Quintella Cavalcanti. Me adc por favor é muito importante(assunto de família). Um Abraço!

thiaguinho_tlds@hotmail.com

Thiago Tavares disse...

Patrícia, preciso entrar em contato com vc urgente pelo email, tenho uma história mto interessante sobre seu tio Sérgio Lucena Quintella Cavalcanti. Me adc por favor é muito importante. Um Abraço

Marcelo Vilela disse...

Patrícia, a historia da fazenda nova é linda, mas a disputa dela na justiça que você falou na sua historia, ceifou a vida do Promotor de Ítaiba, segunda feira 14/10/2013. O promotor comprou 25 ectares da fazenda nova e estava morando lá com sua noiva que descendente de D. Dasdores e do Dr. Audalio, foi tragédia.

Mirian Telpis disse...

Me lembro muito bem desse local. A minha tia Aurora foi cozinheira de Dr, Audálio e Dona das Dores.Ele era amigo de Deda Alexandre do Caldeirão do Imburana.meu nome é maria do socorro dos Santos e moro em São Paulo atualmente .Vejo que nada mudou desde a minha infância.
Eu filha de maria Nuna e irmâ de Aurora .Meu pai chamava-se Natalício
moraes .

Lima_Sueli@Hotmail.com.br disse...

Bom está estória me chama atenção...porque não tenho conhecimento com minha família paterna q era de s.bento do una e ,por sinal o mesmo sobrenome é faz falta as origens...

Samuel Albuquerque disse...

Prezados do Cariri-Cangaço,
Sou Samuel Albuquerque, presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe e professor da UFS.
Já conhecia o blog, por conta de Alcino Alves Costa, meu padrasto recém falecido. Todavia, essa postagem chamou minha atenção, pois estou escrevendo sobre minha família paterna, que é de Águas Belas/PE. Sou pentaneto de Lourenço Bezerra Cavalcanti de Albuquerque, o Lourenço das Antas. Fiquei muito curioso com um comentário anônimo nesta postagem que diz:"Anônimo disse.../Bezerra das Antas/Construi a casa lá no alto destas terras para morar com minha esposa Josefa Florentina de Albuquerque Maranhão./13 de fevereiro de 2011 18:47"
Pareceu-me tratar-se da transcrição de um trecho do testamento de Lourenço.
Gostaria de manter contato com quem fez o comentário.
Como devo proceder, já que o e-mail do autor do comentário do aparece?
Att,
Samuel

CARIRI CANGAÇO disse...

Estimado Samuel, satisfação cumprimentá-lo.
Vamos fazer um esforço para tentar encontrar a informação que o amigo pede.
Receba nosso abraço fraterno,
Manoel Severo

jaciara disse...

Meu pai trabalhou nessa fazenda,e ficou conheçido como Zé pereira da fazenda nova.

jaciara disse...

Patricia queria saber mais a respeito do meu pai,não fui criada com ele,só sei que trabalhou nessa fazenda, preciso falar com VC. Jaciara.araujosiiva75@gmail.com

valter alves da silva disse...

olá,me identifico muito com a fazenda nova,pois nasci no Buguerão entre a fazenda nova e o sitio Espingarda na beira da estrada.Andei muito nas terras da fazenda nova.meu tio Zezinho foi o braço direito do Dr.Audálio por alguns anos na administração da fazenda.Certa vez até almoçei com os mesmos na fazenda.sou o valter alves da silva,moro no Rio de janeiro-farmacêutico.Tenho saudades deste luga....abraços e obrigado pela postagem...

Expedito Leandro disse...

Patrícia obrigado pela bela narrativa. Não sou de Águas Belas, amo aquela gente.

Aurora disse...

Bom dia pessoal

Sou Aurora, moro em SBC - SP, estou a procura de informações sobre minha avó paterna, nascida em Águas Belas nos idos de 189..., de nome Aurora. falecida em Pe, nos idos de abr de 1925. Foi casada com Joaquim Tenório Cavalcanti (este nascido e enterrado em Barreiros - Pe). Só sei q ela era das famílias Lins e Albuquer. Quem puder me ajudar agradeço de coração.

Aurora