Sonhos que nos deixam mais perto da Paz Por:Manoel Severo

Alcino Alves Costa

Muito se tem dedicado ao longo da história do desenvolvimento humano sobre o estudo do real  significado dos sonhos; reflexões, constatações, provocações, e... o universo parece parar para trazer à nossa realidade ou levar para longe a maravilha ou o tormento de algumas dessas mágicas noites, bem ou mal sonhadas.

Com essa pretensiosa introdução gostaria de também me inserir no contexto dos sonhos que nos acalmam o coração e nos deixam mais perto da paz.

Os que compartilharam a maravilhosa companhia e conheciam mais de perto o nosso amado Decano Caipira de Poço Redondo, o bom Alcino Alves Costa, sabem da grande afinidade que o mesmo possuía com as coisas da espiritualidade. Manifestava isso nos gestos, no olhar, na forma como amava a vida; está a seu lado era a certeza de, além de um espetacular papo sobre as coisas do sertão alegre e do cangaço que nos apaixona, lições de vida sempre calcadas no que é o mais importante: Nossa ligação com o Divino.


Nesta última noite recebi "a visita" do Caipira em um destes sonhos espirituais. O cenário não poderia ser outro senão o árido e belo universo das caatingas; não sei qual sua localização geográfica ou qual ligação com nossa história, mas sei que os mandacarus imperavam fagueiros ostentando o poder e a satisfação de fazerem parte do sertão que teima em encantar a todos mesmo no meio de tanta adversidade.

Personagens haviam, e muitos. Alguns anônimos e muitos, muitos outros de face e coração reconhecidos: Eram parte da família dos Vaqueiros da História, errantes pesquisadores, pessoas queridas da família Cariri Cangaço. Cenas rápidas, dinâmicas, côncavas e convexas... O sonhar quase acordado "prega esse tipo de peça". No meio de tantos e tantas, me surpreendi e parei naquele olhar... E naquele sorriso... 

Eram tão reais que pareciam encher todo o meu ser; trazendo harmonia, gratidão e felicidade. Era o bom e velho Caipira de Poço Redondo.

Não saberia definir por quanto tempo o sonho sertanejo da mata branca continuou, apenas compreendi depois, que ele me trazia um dos momentos vividos e a viver por todos nós em mais um encontro de nosso Cariri Cangaço, momento onde todos estaremos juntos buscando e rebuscando os fragmentos da história, isso para mim  ficou muito claro. 

Daí percebi enfim o real significado daquele sonho: Não estaremos sós ! Obrigado amigo querido, obrigado Decano, obrigado Caipira do Poço Redondo, obrigado Alcino. Estaremos esperando por você, seja bem vindo.

Manoel Severo
Curador do Cariri Cangaço

3 comentários:

José Sabino Bassetti disse...

Olá Pessoal.

Severo. Claro que o nosso querido amigo Alcino estará presente no Cariri Cangaço. Ele vai estar rondando por alí, esbanjando conhecimento e alegria. Vai estar com aquele sorriso maroto e aquele olhar malicioso o tempo todo. Todos nós aprendemos a gostar, a admirar o Alcino. Talvez a "modéstia" de alguns não admita,mas qual o pesquisador que não aprendeu um pouco com ele? Com seus livros.

Para nós que aqui ficamos, sobrou somente a saudade de mais esse amigo que se foi.

Abraço a todos.

Sabino Bassetti


Anônimo disse...

Severo, certamente meu pai estará mesmo presente no Cariri Cangaço.
Garanto que estarei por lá lançando sua biografia, que já nos próximos dias estará seguindo para a gráfica.
Trata-se do livro TODO O SERTÃO NUM SÓ CORAÇÃO: Vida e obra de Alcino Alves Costa.
Um abraço afetuoso.
Rangel Alves da Costa

IVANILDO SILVEIRA disse...

AMIGOS SABINO E RANGEL,

JÁ FOI DADO O SINAL VERDE, E, NO PRÓXIMO CARIRI-CANGAÇO, ESTAREMOS EM NOME DOS ESTUDIOSOS/PESQUISADORES E AMIGOS, PRESTANDO UMA HOMENAGEM AO " GRANDE ALCINO ALVES COSTA "...
CONTAMOS COM A COLABORAÇÃO DE VOCÊS...E, DE TANTOS OUTROS..

ABRAÇO A TODOS
IVANILDO ALVES SILVEIRA
Colecionador do cangaço
Membro do CARIRI-CANGAÇO e da SBEC
Natal/RN