O Coronelismo em Salgueiro, novo livro de Waldemar Alves da Silva


 Matriz de Santo Antônio; foto:Portal Salgueiro

"O Coronelismo em Salgueiro" do autor Waldemar Alves da Silva Júnior é fruto de sua tese de Mestrado em História, quando o autor analisa a trajetória política do Cel. Veremundo Soares, da cidade de Salgueiro/PE.

O trabalho faz uma análise sobre o coronelismo no município de Salgueiro, em Pernambuco, tendo como destaque a trajetória política do coronel Veremundo Soares, que se constituiu numa importante liderança política local e regional do sertão nordestino. Trata-se de uma biografia contextualizada, analisando as mutações que ocorreram no coronelismo notocante à construção e manutenção do poder político entre os anos de 1920 e 1945, período no qual o município apresentou sinais de desenvolvimento urbano, comercial e agroindustrial.Nessa análise pode-se perceber que paralelamente a esse desenvolvimento estão entrelaçados conflitos sociais e lutas de classes como o cangaço e os messianismos, provocados pelassecas, pelo mandonismo exacerbado, pela força de coação e uso de violência, pelo empreguismo, analfabetismo, fraudes eleitorais e clientelismo que reforçavam os laços de dependência e relações de dominação pessoal. 

O trabalho é resultado de pesquisas realizadas no Arquivo Público do Estado de Pernambuco (APEJE) e na Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ), tendo sido feito um levantamento de fontes documentais compostas de vários jornais da capital e do interior, além de telegramas e correspondências pessoais do coronel Veremundo Soares com a elite política da capital pernambucana. A seleção dessas fontes possibilitou uma análise e reconstrução de fragmentos da história política de Salgueiro, desvelando as alianças dos coronéis da região com a facções políticas do estado de Pernambuco.

 
Fonte: lampiaoaceso.blogspot.com & universia.net
PARA AQUISIÇÃO DO LIVRO :
Email: wladjalves@gmail.com

NOTA CARIRI CANGAÇO: Abaixo transcrevemos "correspondencia" do Rei do Cangaço, capitão Virgulino Ferreira, endereçada ao Coronel Veremundo Soares, de Salgueiro. Referida missiva se encontra no Museu do Sertão, Petrolina - Pernambuco.

"Sr. Veremundo Soares

Suas saudações,
O fim desta é somente para saber qual seu plano, que após em minha passagem o senhor mandou uma força a ir atrás d’eu mesmo. Pilheriou bastante de mim!
Em outras hora nós já fomos inimigos, porém para o presente eu pensava que nós era amigo, para o senhor eu era, mas para si me parece que o senhor era meu inimigo; portanto eu lhe faço esta para saber qual é o seu destino. Avisei ao padre Cícero que nesta diligência, quem alterou-se contra mim foi o Município de Salgueiro. Tenha muita cautela. Eu não volto para o mesmo que eu era bem outrora. Eu quero virar santo e fazer a felicidade de você mesmo.Sem mais assunto,


Capitão Virgulino Ferreira."



6 comentários:

Lima Verde disse...

Severo, o coronel Veremundo Soares é um personagem fenomenal, no cariri cangaço deste ano teremos o tema: Coronéis, Beatos e Cangaceiros,; rapaz vamos trazer uma palestra sobre o Coronel do salgueiro.

Abração de seu irmão.

Fernando.

Anônimo disse...

O Coronel Veremundo Soares,o grande coronel de Salgueiro, realmente viria a se tornar um ferrenho inimigo de Lampião. Na época da grande perseguição ao Rei do Cangaço, movida pelo o governo de Estácio Coimbra, em 1926, o
Coronel Veremundo foi um dos expoentes e não pensou duas vezes em arregimentar seus homens junto às forças do governo contra Lampião.

saudações,

Pedro Peixoto Graça - Recife , Pernambuco

Anônimo disse...

Prezado amigo Manoel Severo,

Fico feliz que tenha gostado do meu trabalho e li com muita satisfação a matéria sobre o meu livro no site do cariricangaço que se destaca entre outros sites que tratam do assunto em tela sobre coronelismo, cangaço e messianismos.

Sou natural de Salgueiro e tenho muitos amigos no Ceará em Brejo Santo, Porteiras, Crato e Juazeiro do Norte. Com certeza este ano participarei em agosto do CaririCangaço pra gente se conhecer e trocar algumas idéias, pois já está em fase avançada a produção de um novo livro sobre a história política de Salgueiro de 1946-1988, momento em que os descendentes dos coronéis perdem o poder político assumindo por 3 mandatos Cleuza Pereira, hoje assessora especial do governador Eduardo Campos.

Esse material já faz parte do projeto de Seleção do Doutorado que com certeza estarei concorrendo em Dezembro na UFPE. Estou a disposição para estreitarmos os laços acadêmicos para discutirmos num futuro breve considerações sobre temas empolgantes como os que fazem a História do Norte-Nordeste. Um muito obrigado pela consideração e divulgação do meu trabalho.

Saudações Fraternas
Waldemar Alves da Silva Junior

CARIRI CANGAÇO disse...

Prezado Professor Waldemar,

A satisfação é toda nossa em poder divulgar o que de melhor temos em nossa história e cultura, nordestinas. Saiba que estaremos sempre a disposição dos amigos.

Quando a sua participação no Cariri Cangaço, em muito nos honrará e engradecerá o evento. Seja bem vindo a família Cariri Cangaço.

Abraços,

Manoel Severo - Cariri Cangaço

Anônimo disse...

Senhores verifianco uma seção de Sertão Sangrento: Luta e Resistência de Jovenildo Pinheiro de Souza vamos encontrar esta "Pérola" que confirma o cuidado de Veremundo em não encontrar o Rei do Cangaço Lampião, senão vejamos:

"Quando necessitava vir ao Recife, o Coronel fazia um percurso que tinha duas alternativas: Salgueiro,“via Juazeiro da Bahia e Salvador”, ou então, “descendo pelo São Francisco,via Penedo, ou via Salvador”, até chegar ao Recife. Esse tortuoso,complicado e custoso percurso tinha um único objetivo para o Coronel Veremundo Soares: “escapar do perigo de um encontro com Lampião,tornado o seu inimigo rancoroso” .

Texto de Jovenildo Pereira de Sousa

Abraços a todos
parabéns ao professor Waldemar

Francisco de Assis Lóssio

Romero Siqueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.