História de uma História Por:Ulisses Germano

.
Poeta Ulisses Germano sob o olhar de Dihelson Mendonça

O meu bisavô Chico Germano morava, no começo do século vinte, em Caririaçu-CE. Ele tinha três filhas bonitas e soube, por volta de um ano que eu não sei precisar, que Lampião iria invadir o município de Caririaçu. Temendo pela sorte das filhas, devido aos boatos de que o bando de Lampião quando chegava numa cidade molestava as mulheres, migrou para velha São Mateus-CE. de mala e cuia com a família. Chegando em São Mateus, que hoje é o município de Jucás_CE, meu futuro avô, José Facundo, se apaixona pela minha futura avó, Ormecinda Leite, filha do brabo Chico Germano e se casam. Meu avô tocava requinta na Filarmônica São Mateuense. Foram morar no sítio Baltazar e uma menina que seria minha futura mãe nasceu. Minha mãe casa com meu pai e aqui estou eu contando esta historia. O que sei é que se o meu bisavô Chico Germano não tivessa saído de Caririaçu com medo das tropas de Lampião, eu talvez não tivesse nascido. Sendo assim, é razoável supor que eu devo a minha vida a Lampião.

 
Parágrafo III
 
"Reviremos a bagagem
do porão da nossa mente
e com o véu da coragem
cobrindo o nosso repente
vamos enfrentar com verso
este tema tão diverso
cruel, forte e envolvente"
 
Josenir Lacerda

 
Parárafo XX

"Muitas famílias fugiram
pra morar n'outro lugar
com receio assim agiram
querendo a paz encontrar
quem tinha filha bonita
temendo alguma desdita
a escolha era migrar"
 
Ulisses Germano
 
Do folheto A Poética do Cangaço (Josenir Lacerda e Ulisses Germano)
O Folheto "A Poética do Cangaço teve seu lançamento durante o Cariri Cangaço 2010.
. 
Blog do Crato
..

2 comentários:

Anônimo disse...

CARO SEVERO, VEMOS O SEU CARINHO PARA COM MISSÃO VELHA E NÓS AGRADECEMOS PENHORADOS. AO VER A FOTO DA VELHA ESTAÇÃO, LEMBREI-ME DE LHE PASSAR FATO OCORRIDO POR OCASIÃO DA SUA INAUGURAÇÃO E A CHEGADA DO 1º TREM, ISSO NO DIA 10 DE SETEMBRO DE 1925, À ÉPOCA O TREM ERA PUXADO PELA VELHA "MARIA FUMAÇA" MOVIDA A LENHA E QUANDO O TREM PAROU NA ESTAÇÃO, UM POPULAR DE MISSÃO VELHA, DE NOME ZÉ BONGA, CORREU E BEIJOU A MÁQUINA, TENDO DEIXADO O SEU BEIJO NA MARIA FUMAÇA, REGISTRADO COM O COURO DOS SEUS LÁBIOS NA SUA BONECA COBIÇADA.

Mendes e Mendes disse...

Amigo Ulisses Germano:
Você tem razão. O nosso destino é sem dúvida, traçado pelo pai celestial. Se realmente o seu avô Chico Germano se mudou de Caririaçu para velha São Mateus-CE, de mala e cuia com a família, como afirma você, houve uma intervenção de Deus, dizendo que ao teu avô que haveria de partir para outras terras, na finalidade de salvar um futuro poeta que haveria de vir ao mundo. É claro que Lampião mudou os destinos do seu avô, mas com o consentimento de Deus que te acobertava para deixar o seu amado recado aqui na terra, no caso a poesia. Parabéns para tua mãe que não passou pelas mãos vingativas de Lampião.
José Mendes Pereira - Mossoró.-Rn.