E por falar em Luis Pedro... Por:Sabino Bassetti

Sabino Bassetti, ao lado de Antônio Amaury e Aderbal Nogueira no debate "Angico" no Cariri Cangaço 2011

Luis Pedro Cordeiro, ou simplesmente, o cabra Luis Pedro, nasceu na fazenda Almas, próximo ao lugar Retiro no município de Triunfo PE. Foi sem nenhuma dúvida o cangaceiro que acompanhou Lampião por mais tempo. Entrou para o grupo de Lampião no final de 1923 ou inicio de 1924, ou seja, justamente quando  o futuro rei do cangaço "veraneava" alí pelas regiões de Triunfo PE e Princesa PB, tendo como base uma fazenda do coronel Marçal Diniz na pequenina Patos, hoje Irere. 

Luis Pedro tinha nessa época por volta de 18 anos de idade, era um homem de estatura mediana e pele clara. Luis Pedro foi também um dos poucos cangaceiros que sempre respondeu unicamente pelo nome de batismo, no bando jamais teve apelido. Pelo menos apelido que se tornasse conhecido. Embora sendo homem da maior confiânça de Lampião, Luis Pedro jamais teve um grupo que lhe pertencesse, ou seja, um grupo que fosse "o grupo de Luiz Pedro". Claro que muitas vezes chefiou grupos em várias missões, porém, nessas vezes  sempre chefiando cabras de outros grupos, principamente cabras pertencentes ao grupo de Lampião. 

Luis Pedro, não era homem que gostasse de ostentação, não ligava para a fama... 

...tanto é que, mesmo nas ocasiões que estava chefiando algum grupo, ao se apresentar em algum lugar dizia: "meu nome é Luis Pedro, CABRA de Lampião" Como tantos outros cangaceiros, durante certo tempo Luis Pedro também  teve sua companheira no bando. Era Neném, uma baiana que o acompanhou por bastante tempo, ou seja, até o dia que veio a morrer, a morte de Neném aconteceu exatamente um dia após a entrada de Sila no cangaço em novembro de 1936, num ataque da volante do sargento Deluz ocorrido na fazenda Mocambo no estado de Sergipe.

A viuva D. Delfina Fernades, coiteira de cangaceiros e propretária da fazenda Pedra dágua, chegou a comentar que certa vez quando o bando de Lampião fazia uma travessia  no rio São Francisco, Maria Bonita teria arrastado uma asa para o cabra Luis Pedro. 

Até aí nada de mais, pois, é comum isso acontecer onde convivem homens e mulheres. 

Mas será que algum dia D.Delfina chegou a navegar no rio São Francisco em companhia do grupo de Lampião? Luis Pedro, sempre fiel, sempre respeitado pelos outros cabras e também pelo próprio Lampião, veio a tombar brigando em Angico em 1938 ao lado de Lampião e mais 9 companheiros. Luis Pedro era um cangaceiro que amealhou fortuna no cangaço. De acordo com o soldado Antonio Jacó, matador de Luis Pedro, que confessou ter ficado com todos os pertences do  cangaceiro, que carregava consigo na ocasião, além de muitas jóias e ouro, quantia acima de 200 contos em dinheiro. O cabra Luis Pedro acompanhou Lampião por quase 15 anos.
 
Sabino Bassetti
Salto-SP

6 comentários:

Anônimo disse...

Caro Sabino,
Como de costume, seu texto é fluido e cristalino. Explica em rápidas pinceladas o convívio de Luis Pedro no grupo de Lampião e, ao abordar declarações de D. Delfina sobre diabruras sexuais no Velho Chico, abre possibilidades para alguém icluir o personagem que falta na triangulação amorosa tão em moda !!!
Eu me abstenho.
Grande abraço
William White

josé sabino bassetti disse...

Olá pessoal.

Vamos consertar.
Embora por todo tempo, todos pesquisadores do cangaço,(e eu também)sempre tenham chamado Luiz Pedro de Luiz Pedro Cordeiro,temos que fazer uma ratificação. Meu amigo Sérgio Dantas entrou em contato comigo, e disse que esteve na região de Triunfo com familiares de Luiz Pedro, e teve a informação segura que o nome correto do cabra é LUIZ PEDRO SIQUEIRA.Que Pedro não é nome próprio e sim sobrenome.LUIZ é o nome, e PEDRO SIQUEIRA é sobrenome.
Como contra fatos não existe argumentos, está feita a ratiticação. O nome do cabra é LUIZ PEDRO SIQUEIRA.

Obrigado Sergião!

Sabino Bassetti

Sergio Dantas.'. disse...

Amigo Sabino:

Isso foi colhido 'in loco', na antiga fazenda Retiro, não muito longe de Triunfo/PE. O responsável pela informação foi o Sr. Antônio PEDRO DE SIQUEIRA, sobrinho do próprio. Abs

Anônimo disse...

Caro Sabino Bassetti, parabens pelo texto, doutor Sergio Dantas, o nome de Luiz Pedro confere mesmo com suas pesquisas, é SIQUEIRA mesmo, parabens aos senhores.

Ronivaldo Maia

Anônimo disse...

Sr. José Sabino Bassetti parabéns pelo texto sobre o cangaceiro Luiz Pedro. Muito esclarecedor, para quem como eu ainda conhece pouco mas admira muito o tema Cangaço.
A maior parte das informações que tenho foram de ouvir os relatos de minha sogra Sila com quem muito convivi.
Grata por poder estar aqui aprendendo um pouco mais com o senhor e com todos os Historiadores e Pesquisadores deste grande fenômeno Histórico da História do Brasil e do Nordeste!

Susi Ribeiro Campos disse...

Boa noite Sr. José Sabino Bassetti.
Como sempre, estou a cada dia aprendendo um pouco mais sobre o tema Cangaço com seus textos que tanto admiro.
Muita informação, Parabéns!
Susi Ribeiro Campos, nora de Sila e Zé Sereno.