Um homem de bem... Por:Carlos Eduardo


Carlos Eduardo Gomes

Recentemente comentei aqui no blog Cariri Cangaço um artigo onde Alcino Costa disse que apesar de cangaceiro, Luis Pedro era um homem de bem. Eu não podia concordar com essa afirmação, apesar de estar de acordo com a linha de pensamento do autor, que no meu entender queria dizer que o cangaceiro de Triunfo, apesar de fazer parte do bando criminoso, conservava dentro de si alguns princípios morais que faziam parte do código de valores do sertanejo naquela época.


Refletindo um pouco mais sobre essa classificação de “homem de bem”, gostaria de reafirmar meu ponto de vista, pois um homem de bem é exatamente Alcino Alves Costa. Conheci esse bom amigo no ano de 2000, em Piranhas. Desde essa época assisti várias apresentações do Caipira, como ele mesmo gosta de ser chamado, bem como inúmeras intervenções em outras palestras, conversas informais sobre o cangaço, todas, sempre muito respeitosas, democráticas, sem nunca tentar impor sua verdade. Apesar de Alcino, nascido em Poço Redondo, trazer no seu sangue traços de cangaceiro e das vitimas dos bandoleiros, sempre ouviu o contra ponto, ponderou, sem considerar que por ter crescido entre os que fizeram a história, isso fizesse com que sua versão fosse única e verdadeira. Alcino não se nega a ler e ouvir opiniões divergentes, apesar da critica firme, mas educada. Não discrimina, não é preconceituoso, nunca será autoritário. Não usa antolhos.

No seu livro Lampião Além da Versão, Alcino homenageia seus 34 filhos naturais. Em outro comentário meu aqui no blog, disse que toda família Cariri Cangaço adotou Alcino como pai e hoje além dos  filhos de sangue, o Caipira tem mais uma centena de novos filhos que o adotaram.

Alcino é um homem de bem e jamais seria um cangaceiro, assim como nenhum cangaceiro pode ser chamado de homem de bem.

Carlos Eduardo Gomes
RIO DE JANEIRO

6 comentários:

Juliana Ischiara disse...

Caro Carlos Eduardo,

Quão lindas e justas são suas palavras... Alcino é tudo isso e muito mais. Alcino é sinônimo de amor e fraternidade, além de ter ser o pai que Deus me deu de presente.

Como todos sabem, nós temos uma relação muito estreita, coisa de pai e filha. Uma vez ele me mandou um e-mail e lá pelo meio do texto ele disse: “nunca amo pela metade, amo na abrangência da palavra e dentro da sublimação e pureza de meu sentimento”. Este é meu mestre, meu pai e amigo.

Obrigada Carlos por esta justa e merecida homenagem. Como você disse, mesmo discordando, Alcino sempre respeitou as opiniões contrárias as suas, nunca o vi ou ouvi-o atacando quem quer que seja. Alcino não exclui, não menospreza ou diminui ninguém, vive o que defende, a justiça, o bom senso, a fidelidade aos amigos, o amor incondicional, a sinceridade e o trato com igualdade.

Abraço fraterno

Juliana Ischiara

aderbal disse...

Palavras sábias meu amigo. Concordo em gênero,numero e grau.
Aderbal Nogueira
Obs. Obrigado tambem pelas dicas,
realmente sou meio desligado em muitas coisas. Valeu.

Anônimo disse...

MEU AMIGO EDUARDO "O CANGACEIRO CARIOCA" ACERTOU NO ALVO, ALCINO É TUDO ISSO E MUITO MAIS, UM "CABOCLÃO" DE UMA EDUCAÇÃO DE FAZER INVEJA.
ALIÁS, ME PERMITAM UMA EXPRESSÃO BEM CEARENSE: "PENSE EM DOIS CABRAS BONS".

ANGELO OSMIRO
FORTALEZA-CE

Anônimo disse...

Amigo Carlos Eduardo - quanto tempo ! - saudades ! Parabens pelo texto - do amigo Alfredo Bonessi - GECC - SBEC

Anônimo disse...

Estimado Carlos Eduardo,

As suas palavras me deixaram emocionado. Ser considerado um homem de bem pelos nossos queridos companheiros de pesquisas e rastejamento em cima de tudo que se relaciona com o cangaço, Lampião e outras histórias sertanejas é algo que me honra sobremaneira e que me obriga a pensar: Será que sou mesmo um homem de bem, ou é bondade de um homem de bem do tamanho de Carlos Eduardo?

De uma coisa eu tenho certeza. O meu viver no meio de vocês é um viver no meio de gente de bem, de pessoas dignas, de homens e mulheres que dignificam a raça humana.

Quanto as discordâncias e contra pontos em nossas opiniões e pontos de vista é de uma validade verdadeiramente extraordinária.

Cada um de nós temos a nossa linha de pensamento e seríamos infelizes se fossemos obrigados a não termos voz, não termos sentimento e nem decisões próprias.

Continuo com o meu ponto de vista, aquele de achar que não só Luís Pedro, mas outros cangaceiros eram homens de bem que as provações do destino os jogaram no abísmo da saga cangaceira.

Sobre a minha Juliana não é nem necessário que eu fale sobre o imenso amor que tenho por ela. Sinto um orgulho tremendo em dizer a Deus e ao mundo que ela é minha filha espiritual e não digo isso brincando, em outra vida ela foi minha filha de sangue e alma.

E Aderbal é tudo aquilo que você Carlos Eduardo disse comigo e muito mais ainda.

Querido amigo! Que você e todos os nossos companheiros tenham um Natal e um Ano Novo de muita luz, paz, saúde, felicidade e vida.

Quem tem a felicidade de pertencer a esse grupo esquece as suas deficiências e se torna um "homem de bem".

Abraços,

Alcino Alves Costa
O Caipira de Poço Redondo

Mari Dantas disse...

Carlos Eduardo, Belas são as suas palavras, concordo com a sua citação, e agradeço a oportunidade de ter conhecido uma pessoa tão ilustre como você no evento relacionado ao cangaço em Piranhas-PE. Saudades Amigo! Maria Vieira, Mossoró-RN.