Os Fuzilados do Leitão e o Cariri Cangaço 2013 Por:Manoel Severo

Alto do Leitão

Outro ponto alto desta edição do Cariri Cangaço 2013, foi sem dúvidas a visita ao cenário emblemático do monumento dos Fuzilados do Leitão em Barbalha; o famoso Alto do Leitão.  Ali, há poucos quilômetros do centro de uma das mais acolhedoras cidades do cariri, "à beira da Estrada Real" que ligava Barbalha a Crato, aconteceu a covarde chacina do grupo do cangaceiro Lua Branca, último dos irmãos Marcelinos, pelo Sargento José Antônio da policia do Ceará. 

O Massacre do Alto do Leitão foi sem dúvidas um dos mais marcantes episódios do cangaço na região do Cariri. No dia 05 de janeiro de 1928 o último dos irmãos Marcelinos; nesta época seus dois irmãos: Bom de Veras e João 22 já haviam sido eliminados; conhecido por Lua Branca, seria barbaramente assassinado pelo grupo do sargento José Antônio, quando supostamente eram transferidos pela "Estrada da Feira", de Barbalha para cadeia do Crato e dali para Fortaleza. 

 Lamartine Lima no Alto do Leitão no Cariri Cangaço 2013
 Zé Leite e Sitôe Luna recebem o Cariri Cangaço em Barbalha
Leandro Cardoso e a verdadeira história do Alto do Leitão

Na oportunidade o mais novo dos Marcelinos era morto, ao lado dos companheiros João e Joaquim Gomes, Pedro Miranda e Manoel Toalha. naquela dia os presos foram tirados da casa de detenção, cadeia de Barbalha com o destino ao Crato, o trajeto era feito por uma antiga estrada usada pelos almocreves que transportavam alimentos e outros gêneros oriundos da Serra do Araripe e das redondezas, para a feira do Crato. Cerca de alguns quilômetros do centro de Barbalha, o inesperado...

O sargento José Antônio e seus homens; ordenou que parassem e de posse de enxadas e pás começassem a cavar covas rasas à beira do caminho. O desespero e a coragem do grupo acabou tornando a chacina ainda mais dramática. Uns conseguiram com coragem cavar e esperar o desfecho provável... Outros não conseguiram e tentaram correr em fuga, todos tiveram o mesmo fim: Morte e sepultamento nas covas cavadas pelos próprios presos.  A antiga "Estrada da Feira" ainda guarda suas marcas  por entre as cercas e o que restou da caatinga bruta desses lados do sertão cearense.  No dia de nossa visita fomos ciceroneados pelo prefeito de Barbalha José Leite e pelo companheiro, secretário de cultura Sitôe Luna; mais uma vez o Cariri Cangaço testemunhava um dos mais marcantes episódios do cangaço em terras cearenses. 

 Manoel Severo e Napoleão Tavares Neves no Alto do Leitão

Ainda em 2009 quando estávamos construindo o primeiro Cariri Cangaço tive a honra de acompanhado do Mestre Napoleão Tavares Neves conhecer um pouco mais da história de Bom de Veras e seus irmãos e ainda em nossa primeira edição, naquele ano, tivemos a grande Conferência sobre o Alto do Leitão com o pesquisador e escritor José Peixoto Junior.

Manoel Severo
Cariri Cangaço 2013

Nenhum comentário: