Agenor de Generosa... Por:Manoel Severo

.
Capela e Cemitério da Vila de Dona Generosa


Encravada no sopé da Serra do Umbuzeiro; porta de entrada para a região do Rio São Francisco; no município de Paulo Afonso, acha-se a incrível e enigmática "Vila da Dona Generosa". Localizada a uns 15 km do centro de Paulo Afonso, dali se vislumbra os 507 metros da majestoda  Serra do Umbuzeiro, bem pertinho dos Picos do Tará e da famosa Malhada da Caiçara. O Rei do Cangaço passou boa parte da primeira metade da década de 30 andando por essas bandas ainda mais depois de uma certa "morena da terra do condor" ter lhe roubado o coração.

Serra do Umbuzeiro

O que restou da Casa de dona Generosa

Dona Generosa era uma das maiores coiteiras de Virgulino Ferreira em terras baianas. "Quando os meninos desciam a serra para o baile aqui na casa de minha avó, dizem que dava para sentir o cheiro do perfume deles de longe..." confirma seu Agenor; último remanescente da família, que ainda mora no local.

Visitar a localiadade Riacho, a Vila de Dona Generosa, o Tará, a Malhada da Caiçara e a Serra do Umbuzeiro é programa indispensável para quem chega a Paulo Afonso.Em vários pontos passamos por vegetações como cactos, macambira, mandacaru e o kipá além das plantações de cactos palma, nos transportando para o cenário mágico das caatingas nordestinas, cheias de mistério, encanto e aqui, particularmente, história.


Alcino Costa, Pedro Luiz e Dra. Francisquinha


Agenor da Silva Carvalho, neto de dona Generosa

Jack de Witte, José Cícero, Gilmar Teixeira e Bosco André

Juliana Ischiara e um exemplo do que era o alicerce da época...

Quando estiver em Paulo Afonso não deixe de visitar a Vila de Dona Generosa. Nessa visita a Caravana Cariri Cangaço era composta dos amigos Bosco André, Jack de Witte, José Cícero, Gilmar Teixeira, Júlio e Juliana Ischiara, Sousa Neto, Pedro Luiz, Dra. Francisquinha, Paulo Gastão e não poderia deixar de está presente, o Decano de Poço Redondo, Alcino Alves Costa.

Manoel Severo
.

13 comentários:

João de Sousa Lima disse...

ÊÊÊIIITA Severo,
como é bom rever essas figuras em minhas terras amadas.
esse realmente é um dos grandes capitulos da história do cangaço em nossa cidade, um excelente conjunto arquitetônico construido em 1900, com pedreiros contratados em Pernambuco, pois na região não se tinha inda essa arte do adôbe, eram casas de taipas.
parabéns Severo pela publicação do texto,pela homenagem a Paulo Afonso e pela lembrança que me fez sentir dos nobres amigos.
joão de sousa lima

CARIRI CANGAÇO disse...

Grande John, não poderia ser diferente, Paulo Afonso é essa cidade mágica que a todos encanta e seu povo, a começar por um danado importado de São José do Egito, é simplemente sensacional.

Abraços, meu grande amigo.

Severo

José Mendes Pereira disse...

Amigo Manoel Severo:

Estou voltando aos cerrados do cangaço.
Passei oito dias sem ter comunicação com o seu blog.
Fui eliminado de comtinuar com o blog, mas felizmente reativaram a minha senha.

Um excelente trabalho.

José Mendes Pereira - Mossoró-RN.

Anônimo disse...

Severo parabens pela bela postagem nos trazendo um puco mais da histório do solo de Paulo Afonso.

Cidinha

Anônimo disse...

999 falta 1

Juliana Ischiara disse...

Êita!!! Recordar é viver...

Como sempre, Severo nos presenteando com fleches memoráveis de nossa caravana. Querido João esta homenagem é mais que merecida, principalmente a um cabra de São José do Egito.

Saudações cangaceiras

Juliana Ischiara

Anônimo disse...

Muito boa a reportagem do pessoal em visita a Vila de Dona Generosa, o mais incrível e saber que homens que viviam se escondendo da policia, usavam perfume que faziz com que todos pudessem sentir o cheiro de longe.

Parabens

Julia Carmo
GravatáPE

João de Sousa Lima disse...

Caríssimos amigos,
só a título de complemento histórico, o Agenor foi o mesmo neto de Generosa que descobriu aonde ela enterrava uma panela com dinheiro e depois foi lá e a desenterrou e pegou algumas moedas e comprou uns bodes, Generosa descobriu "A Arte" do menino e deu-lhes umas palmadas e escondeu a panela em outro lugar, mesmo de tanto tempo passado e da morte da querida avó, o Agenor nunca tentou descobrir qual o lugar que se encontra a panela enterrada, temendo ainda um retorno de Generosa. HÔÔÔÔ medo grande!!!!!


agora aqui pra nós, segredo que quero saber: o que será que o Júlio aprontou com minha amiga Juliana que ela queria arremessar esse "TIJOLINHO" no companheiro?
além do "tijolinho" repararam na camisa bonita que ela tava usando?
abraços a todos.

CARIRI CANGAÇO disse...

Caro Joãozinho, eu até sei o que o Julio andou aprontando, mas....não tenho autorização para falar, com a palavras....o casl ISCHIARA...

Abraços, rsrs

Severo

Julio Cesar disse...

Na verdade, ela estava tentando se defender...rsrs.

Ela queria acertar uns marimbondos que estavam teimando em dar umas ferroadas no grupo.

É assim que ela se defente, portanto, eu tomos meus cuidados.

Anônimo disse...

Parabens pelo excelente trabalho. Pelo que me contaram nesse local quando visitei a tal panela já foi desenterrada. No chão da capela enterraram uma parente com uma carga de sal por cima, pois ele que persuadiu a venda dos bens da fazenda e ficando com tudo depois acabou perdendo tudo.Nesse local havia também a arvore onde João Pretinho tinha sido amarrado e executado pela volante já no retorno da mesma apos a mortandade no tanque do touro, ou lagoa do mel como queiram onde morreu Ezequiel, irmão de Lampião.(Fonte João de Sousa Lima).

Anônimo disse...

Amigo Severo - deixei de por a minha assinatura quando te parabenizei pelo trabalho - recomendações - abraço - Alfredo Bonessi - GECC - SBEC

Anônimo disse...

Pessoal fiquei fã deste maravilhoso blog, parabens a todos e muito obrigada pelo presente que é compartilhar as histórias do cangaço nordestino.

Leila Goes
Rio de Janeiro