O Coiteiro Pedro de Cândido e as Evidencias da Traição por:Rangel Alves da Costa

Coiteiro Pedro de Cândido

O famoso coiteiro Pedro de Cândido sempre teve seu nome envolto em mistérios. Sem dúvida, um dos personagens mais emblemáticos do cangaço. O filho de Dona Guilhermina e Seu Cândido, então donos das terras onde está situada a Grota do Angico, e irmão de Durval Rodrigues Rosa, por muito tempo foi apontado ora como traidor de Lampião, ora como vítima de maus-tratos da volante alagoana. No primeiro caso, simplesmente delatou o bando. No segundo, foi forçado a delatar.

Contudo, interpretando uma passagem de um texto escritor pelo historiador e pesquisador José Jairo (“O Lobisomem e o Coiteiro de Lampião”, disponível em http://cariricangaco.blogspot.com.br/…/o-lobisomem-e-o-coit…), logo se tem como induvidoso que Pedro de Cândido realmente traiu Lampião, que agiu não por que foi torturado, ameaçado ou teve dedos das mãos decepados, mas que assim o fez premeditadamente, ou seja, falou onde era o coito porque quis e por vontade própria. Mas por que assim fez?


Mas vamos ao que diz José Jairo no seu texto: “Por ironia do destino coube a Pedro de Cândido juntamente com seu irmão mais novo, Durval, levar as forças policiais até a Grota de Angico no fatídico dia 28 de julho de 1938 no que culminou na morte de Lampião, Maria Bonita e mais nove cangaceiros além do bravo soldado Adrião Pedro de Souza. Após a morte de Lampião, o ex-coiteiro Pedro de Cândido assumiu o posto de subdelegado de Piranhas destacando no Distrito de Entremontes substituindo o seu irmão José Rodrigues Rosa conhecido por Zezé de Cândido”.

Lamartine Lima, Jairo Luiz e Manoel Severo


Um trecho conclusivo há, pois, há que ser destacado: “Após a morte de Lampião, o ex-coiteiro Pedro de Cândido assumiu o posto de subdelegado de Piranhas destacando no Distrito de Entremontes”. Tal afirmação implica em verdadeira revisão histórica do muito que já foi dito e escrito sobre a participação de Pedro de Cândido na chacina de Angico. Implica ainda em dizer que Pedro de Cândido traiu mesmo a confiança do líder cangaceiro e seu bando. E que, através de sua ardilosa ação, pôs fim ao cangaço. E mais: traiu em troca de benesses pessoais.

Ora, não há como concluir de modo diferente. As causas e as consequências do fato se entrelaçam perfeitamente. Vamos aos alinhavos: Pedro conhecia muito bem o local do coito cangaceiro, pois nas terras de sua família. Pedro servia como coiteiro ao bando, levando e trazendo recados e objetos, sortindo de mantimentos. Pedro era rapaz audacioso, ambicioso, sonhador, não se acostumando com aquele mundo de mesmice. Pedro desejava prosperar no seu meio. E Pedro mais tarde foi alçado à posição de subdelegado de Entremontes, distrito de Piranhas. Mas por que tal posto somente foi conseguido depois da chacina de Angico?

Simplesmente por que alguém enxergou sua ambição e foi em cima de seu ponto fraco, oferecendo tal posto acaso passasse a ser colaborador das forças policiais. E, mais de perto, dissesse onde Lampião e seu bando pudessem estar acoitados. Ou, noutra vertente da mesma situação, ele mesmo, já pensando em chamar para si o posto de subdelegado, simplesmente procurou a polícia e ofereceu seus préstimos de delação, sob a condição de receber aquela destacada posição.

Caravana Cariri Cangaço em Entremontes: De frente à "Bodega" de Pedro de Cândido

De qualquer forma, inegável que a posição alcançada por Pedro de Cândido após a chacina de Angico teve por consequência a participação deste como delator. Impensável que a polícia fosse prender e torturar alguém e depois oferecer um prêmio tão dadivoso. Igualmente impensável que Pedro de Cândido tivesse conquistado tal posto se não tivesse colaborado com os objetivos da volante. A verdade é que o posto de subdelegado foi uma retribuição a ele concedida não só pela traição a Lampião como pela indicação exata de onde o bando estava acoitado. Também pelo sucesso da empreitada e aquelas tantas cabeças cortadas.

Pensar o contrário seria negar o dom da compreensão. Neste passo, por que o também coiteiro Joca Bernardes, que supostamente teria informado a policia das suspeitas que recaíam sobre Pedro de Cândido, não recebeu qualquer recompensa? Há relatos dando conta que Bernardes, com ciúmes de Pedro, procurou o sargento Aniceto Rodrigues para dizer que aquele talvez estivesse mantendo contato com os cangaceiros, pois tendo adquirido volumosos mantimentos. Acaso tal acontecido fosse confirmado, certamente que de algum modo Bernardes seria recompensado.

Mas por que a polícia recompensou somente Pedro de Cândido? Certamente pela sua frieza e coragem de traição a homens tão perigosos. Certamente pela infidelidade e deslealdade de conduta que pôs fim ao cangaço. Portanto, nada de tortura, nada de ameaça, nada de dedos e unhas arrancadas, apenas a ação pensada de um homem frio e ambicioso, interesseiro e perigoso. E talvez por isso mesmo que tivesse, três anos após Angico, pagado com a própria vida.


Escritor Rangel Alves da Costa
Poço Redondo-Sergipe

4 comentários:

Anônimo disse...

então o depoimento de joão bezerra, dizendo com todas as letras que, dentre outras coisas, encostou o punhal na costela mindinha de pedro até a lamina entortar e pedro concordar em entregar o coito, é falso?

marcello disse...

Há quem tenha o tenente João bezerra como herói.
No entanto, se atentarmos com mais cuidado para os fatos da história do cangaço, veremos
o contrário. há fotos de pedro de Cândido entre soldados, poucos dias após a morte dos cangaceiros.
e Pedro tivesse sido torturado, se lhe tivessem arrancado as unhas dos pés e mãos e lhe transpassado as costelas com um punhal, ele deveria está em um hospital sob a tutela da polícia, já que era tão bandido quanto os demais cangaceiros, e não solto e olhando os cadáveres.
Pedro de Cândido era amigo de João Bezerra. Dona sira, esposa do tenente,
deixou escapar em uma entrevista, que Pedro vivia dentro de sua residência, e eles sabiam que o mesmo era coiteiro de lampião. Em posse dessa informação, qualquer pessoa séria, já teria matado ou prendido lampião. Por qual razão ele nunca molestou a Pedro? seria ele o ponto de ligação para negócios escusos entre o tenente e lampião?

Antonio Carlos Bezerra disse...

E depois uma família foi trucidada pelo maldito corisco.corisco matou uma família inocente enquanto o traidor tirava fotos com a Polícia .esse corisco era mesmo um verdadeiro fila da puta.

Geovane Alenk disse...

Quando Corisco soube da morte de Lampião no Angico, coberta de crueldade e traição como foi, quiz ele vingar a morte do capitão de uma maneira também muito cruel semelhante à mesma imposta pela volante contra o bando de Lampião. Talvez nem mesmo o Corisco tenha acreditado na história distorcida que ouviu á repeito dos traidores do bando de Lampião, mas isso não lhe empedio de cometer uma das maiores atrocidades daquele época, desimando uma família quase que por completa, que só não foi maior por intervenção de Dadá (mulher de Corisco).