Padre Cícero, Greenpeace e Juazeiro do Norte




O Greenpeace, Organização Não Governamental de atuação Global na defesa do meio ambiente e  promoção da paz, iniciou mais uma Campanha em defesa das Florestas do Brasil. Neste nova empreitada a ONG distribuirá 20 mil panfletos; de um lado vamos encontrar a fotografia de Padre Cícero Romão Batista, no outro lado encontraremos os "11 mandamentos de Padre Cícero para os agricultores preservarem a natureza".Para o Diretor de Campanhas do Greenpeace no Brasil, Sérgio Leitão "em vários lugares do mundo a religião ajuda a fortalecer essa ligação do homem com o meio ambiente e esses ensinamentos tem muita força". 



Árvore símbolo e patrona do município: Juazeiro

Em paralelo à iniciativa do Greenpeace. a Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte iniciou a campanha para distribuir até o mês de julho de 2011; mês do centenário da cidade de Juazeiro do Norte, fundada pelo Padre Cícero; um milhão de mudas da árvore da qual a cidade herdou o nome: Juazeiro. A distribuição já se iniciou e se perpetuará entre os que visitam a terra santa do padre Cícero, até o próximo ano.

Fonte: Site oficial do Greenpeace e Site oficial da Prefeitura de Juazeiro do Norte; colaboração: Professor OcélioTeixeira/URCA - Crato.

6 comentários:

Anônimo disse...

Interessante esta coisa do Greenpeace e Padre Cícero, só falta a ONG internacional criar uma cartilha com ensinamentos dos maravilhosos sertanejos que por séculos defendem com unhas, dentes e alma, esta caatinga tão esquecida.

Gente!!! A caatinga, a "mata branca" dos potiguaras, cariris, guaranis e potis, é o único bioma tipicamente brasileiro; vamos fortalecer essa luta em defesa do que é nosso, atenção GREENPEACE, a CAATINGA EXISTE é tipicamente do Brasil e precisa ser salva!!!!

Dolores Falcão, Caruaru.PERNAMBUCO.

Anônimo disse...

Parabéns a Prefeitura de Juazeiro pela iniciativa da distribuição de 1 milhão de mudas, espero que consigam fazer chegar às mãos e à terra maravilhosa de nosso sertão.

Dolores Falcão, Caruaru-PE

Anônimo disse...

Prezada Dolores Falcão, vc tem toda razão, vemos por esse Brasil a fora campanhas e mais campanhas falando de mata atlântica, amazonia e nada de falar naquilo que é típico do Brasil, só tem aqui que é a caatinga. Ñão podemos abandonar esse maravilhoso ecossistema nordestino que é nossa origem.

Delânia Meneses, Fortaleza

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...



"As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



O CRIME DE LESA HUMANIDADE


O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



A COMISSÃO DA VERDADE


A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


Paz e Solidariedade,



Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br

Yuri Luna disse...

Viva a Caatinga, esse bioma maravilhoso que só nós do Nordeste temos. É preciso divulgar a riqueza desse bioma, tenho uma sugestão para o Severo no Cariri Cangaço deste ano, que a Urca do Crato possa fazer um painel de apresentação desse bioma maravilhoso que é a Caatinga e possa apresentar aos participantes.
Fica a idéia.
Yuri

Mendes e Mendes disse...

Não se sabe até quando a nossa flora deixará de ser assassinada. De um lado, o homem com a sua ambição, mata as árvores milenar, simplesmente para aumentar as suas riquezas. Do outro, os governos vêem e nada fazem para proteger a maravilhosa floresta brasileira.
Qual seria a solução mais cabíveis e resolver a não destruição da floresta?
O governo federal tem que criar leis que as prefeituras, os Estados e o próprio governo, nas construções de casas populares, cubram-nas com placas de trilhos e lajotas.
Eu Tenho certeza que alegarão que as casas ficarão quente. Para que elas fiquem ventiladas, façam projetos já com entrada de ar favorável.
Se isso acontecer, com certeza, milhares de árvores sairão do corredor da morte para continuarem vivendo e fabricando o nosso maravilhoso ar.
Será que criando leis evitará o desmatamento florestal. É obvio que será em longo prazo, mas tenho plena convicção que se hoje morrem mil árvores por dia, no decorrer dos tempos, menos e moenos morrerão.
Se os órgãos públicos obedecerem às leis, com o passar dos anos, a nação irá acompanhar o que os Estados fazem para não destruírem as nossas riquezas florestais.
José Mendes Pereira – Mossoró-Rn.