Entre Canetas e Bacamartes Por:Cristina Couto


Fideralina Augusto Lima e a Abertura do IV Seminário Cariri Cangaço - Entre Canetas e Bacamartes.

Lavras da Mangabeira viveu seu apogeu politico nas primeiras décadas do século XX. O poderio do Bacamarte de um coronel, nada convencional para aqueles tempos deu a nossa cidade o título de Princesa do Salgado, mostrando a força e determinação do substantivo feminino.

Nas terras fecundas do Salgado imperou a vontade de uma mulher, Dona Fideralina Augusto Lima, que sendo proprietária de inúmeras terras, muito gado, muitos negros e muitos cabras foi uma das maiores expressões políticas do Estado do Ceará em todos os tempos, tornou-se símbolo de mulher destemida, audaz e guerreira e tem seu nome, hoje, citado no coronelismo, sendo reconhecida e respeitada como tal.

O efervescente conflito entre o rosário dos beatos, a ponta do punhal dos cangaceiros e o bacamarte dos coronéis, mostraram ao Ceará o grande domínio que o Cariri Cearense detinha nesta Região. Os símbolos, os mitos e as crenças determinaram os mandatários locais e a troca de favores em nome do poderio político. 

Cristina Couto recebe de Manoel Severo o Título Cariri Cangaço

Quando o rosário se quebrou, o punhal entortou e o bacamarte caiu, Lavras da Mangabeira não perdeu seu poderio, reconhecida como celeiro de intelectuais seus filhos ilustres assumiram o poder através da caneta, sendo destaque na literatura e nas artes. 

Por essas razões, Lavras da Mangabeira tem a honra de abrir a temporada do IV Seminário Cariri Cangaço em suas terras. Para a cultura lavrense é um verdadeiro resgate histórico daqueles que tanto fizeram pelo nosso município, e durante décadas foram completamente esquecidos e até injustiçados. O tempo passa mais a história registra. A partir desse momento vamos conhecer e reviver o nosso passado de conflitos e de glória.

Cristina Couto
Secretária de Cultura de Lavras da Mangabeira
da família Cariri Cangaço

Nenhum comentário: