Mangabeiras das Lavras Por:linhares Filho

Vila de São Vicente de Lavras 

E o poeta Linhares Filho, bendiz seu torrão natal, Lavras da Mangabeira em amorável e terna confidência:

“Nossa Terra! Antes de seres Lavras da Mangabeira, foste a Mangabeira das Lavras, revelando-se bem tua natureza de árvore, natureza pela qual, completando o aconchego de colo materno do chão, abrigas, refrescas com tua sombra e alimentas com os teus frutos os teus filhos e os que moram em ti, como e extinta Mangabeira anciã, que acolhia os teus primeiros povoadores e os viajantes que passavam por teu solo. Posta em boa hora nos trilhos do progresso estás, no entanto serás sempre a doçura e singeleza da nossa eterna infância, o reencontro de nós mesmos, cansados e desfigurados pelos caminhos enganosos da vida, nós que vimos a ti, materno seio, para a queixa e o alívio.”
 

Joaryvar Macedo.

Um comentário:

Fádina disse...

Senhores,

participar deste Seminário sobre Lampião, é muito importante para mim, me faz necessário conhecer o Mito e História do rei do Cangaço, para que assim eu possa escrever artigos para revistas do meu país - Hungria, e levar ao conhecimento do meu povo, este que foi um marco na paisagem social e política do Nordeste Brasileiro.

Agradeço a boa acolhida.

Prof. Dr. István Major PhD
UECE