A estratégia de Lampião na geografia da caatinga da Aurora

.

Abaixo, notável relato do professor e pesquisador José Cícero sobre a façanha realizada por Virgulino Ferreira em terras sul cearenses, mas precisamente em sua Aurora, após cerco e fuga da Fazenda Ipueiras de Zé Cardoso e Izaias Arruda, depois da malograda invasão a Mossoró.

"No dia 7 de julho saíram às pressas da Ipueiras. O ziguezague que a partir dali realizou no território aurorense foi algo só digno de um profundo conhecedor da caatinga aurorense. Após a traição de Ipueiras Lampião seguiu para a serra do Góes já na divisa com Caririaçu indo pelas bandas do Pau Branco atravessando o Salgado na altura do sítio Barro Vermelho, passando pelo Jatobá, Brandão e pernoitando em Vazantes.

De lá se dirigiu para a serra dos Quintos e no dia 9 para a serra dos Góes, seguindo pelo riacho da boa vista até a ponta da serra pras bandas do Cajuí. Adentrou o município de Milagres transpondo a linha de ferro na localidade de Morro Dourado ainda em Aurora nas proximidades de Ingazeiras. Uma volta que envolveu todo o perímetro do território aurorense. Esta estratégia deixou completamente perdidos os que o caçavam a ferro e fogo. Dali conseguiu penetrar sem ser incomodado o estado da Paraíba pela a serra de Santa Inês. Um fino estrategista. Verdadeiro preá das matas.


Virgulino Lampião, seu mapa estava na cabeça...

Dera um banho de conhecimento geográfico nas diversas frentes policiais que tentaram cercá-lo no Cariri e alhures, sobretudo nas saídas para Paraíba e Pernambuco. Este tino de rasgar os sertões com exímia perícia era uma coisa admirável no ‘Che Guevara’ dos grotões. Sem dúvidas, o foi notável também neste aspecto. Esta capacidade invejável de vencer os sertões inóspitos do Nordeste ajudara bastante nas incursões que fizera com sucesso durante todos os anos que pontificou com o rei do cangaço. Lugares que até então, nenhum cristão da capital havia posto os pés e nem sequer ouvido falar. Porém, por conta de Lampião, estava lá nos jornais da época, na pauta dos governos, na boca da sociedade elitista, malgrado toda a crítica contra ou a favor do Virgulino, os sertões passaram a fazer parte da agenda da capital. 

Por tudo isso, o cangaço ajudou de alguma maneira, a denunciar o sofrimento dos sertanejos abandonados pela sorte e pelo poder diante de toda uma dura excludência. Numa época em que o mapa social do Brasil quase sempre não passava do Litoral. Eis aí o maior legado deixado por Lampião."


José Cícero
Pesquisador Aurora
.

8 comentários:

Anônimo disse...

MEU CARO JOSÉ CICERO, MAIS UM BELO TRABALHO DA SUA LAVRA. PARABÉNS. BOSCO ANDRÉ.

José Mendes Pereira disse...

Parabéns ao Secretário de Cultura de Aurora, José Cíceno.

Excelente artigo sobre as andanças do amigo Lampião.

José mendes Pereira - Mossoró-RN.

Narciso disse...

Ótima postagem prof.Cícero,realmente o nosso camaleão dos sertões tinha uma capacidade incrível de camuflár-se
nas caatingas desse imenso Nordeste. E sempre bate uma saudade
da acolhedora Aurora.
Grande abraço
Narciso

NETO disse...

parabens ao pesquisador Jose Cicero.

Seu artigo mostrando que Lampião foi um grande estratergista é excelente. Condordo plenamente quando o senhor diz que o cangaço ajudou de alguma maneira denunciar o sofrimento dos sertanejos abandonados pela sorte e pelo poder diante de toda uma dura excludência. De lá pra cá, não mudou muita coisa, se formos para os interiores do sertão, veremos que ainda existe muitos nordestinos abandonados pelos governos de qualquer que seja os estados. Gostaria muito que tudo isso mudasse, que todos os brasileiros vivessem de maneira igual.

Anônimo disse...

Realmente Lampião conhecia muito bem a geografia nordestina, se assim não fosse não teria resistido por tanto tempo vivendo embrenhado no meio do sertão. Só a título de curiosidade Lampião era almocreve e como astuto estrategista que era pregava abaixo do solado de suas alpargatas,como também das de todo o bando um solado falso, virado na direção contrária ao pé assim todos os rastros que deixavam era sempre na direção contrária a que estavam seguindo. Parábens pelo relato. Júnior Lira

Anônimo disse...

Concordo plenamente com todos vcs e sobre o que o Junior Lira coloca, também podemos ressaltar outro personagem do sertão, talvez o maior aliado das volantes que era o RASTEJADOR. Esse sertanejo era fora do comum, conseguia achar uma agulha no palheiro, inclusive decifraram a artimanha de Virgulino sobre o solado da alpercata feito invertido.

Abraço a todos
Abraço amigo Severo, parabens ao José Cicero.

Carlos Alberto Dias
Recife

José Cícero disse...

Um forte abraço fraternal e lampiônico a todos vocês. Mui grato pela acolhida...
- José Cícero
www.prosaeversojc.blogspot.com

Anônimo disse...

Excelente Trabalho - Parabens -Alfredo Bonessi -GECC-SBEC