Estação Ferroviária de Aurora



Apresentamos a Estação da Estrada de Ferro da RVC, em Aurora; palco do atentado que levaria a morte o coronel Isaias Arruda, principal mentor do plano de ataque de Lampião a Mossoró. Neste episódio apesar de algumas literaturas fazerem sua ligação à traição cometida por Isaias a Lampião, o fato realmente se deu em função de intrigas entre o referido coronel e a família Paulino.


Bosco André, Glória Tavares, Danielle Esmeraldo e Jussara Macedo

A Estação de Aurora pertence a Linha-tronco, ou Linha Sul, da Rede de Viação Cearense e surgiu com a linha da Estrada de Ferro de Baturité, aberta em seu primeiro trecho em 1872 a partir de Fortaleza e prolongada nos anos seguintes. Quando a ferrovia estava na atual Acopiara, em 1909, a linha foi juntada com a E. F. de Sobral para se criar a Rede de Viação Cearense (RVC) , imediatamente arrendada à South American Railway. 
Em 1915, a RVC passa à administração federal. A estação de Aurora foi inaugurada em 1920 e a linha chegaria ao seu ponto máximo em 1926, atingindo a cidade do Crato, no sul do Ceará. Em 1957 passa a ser uma das subsidiárias formadoras da RFFSA e em 1975 é absorvida operacionalmente por esta. Em 1996 é arrendada juntamente com a malha ferroviária do Nordeste à Cia. Ferroviária do Nordeste (RFN). Trens de passageiros percorreram a linha Sul até o dia 16 de novembro de 1989, quando encerraram suas atividades de transporte de passageiros.


Manoel Severo e Bosco André

Meninos da Estação

 
 A Estação de Aurora em foto de 1957

No Cariri Cangaço 2010, teremos uma visita especial à Estação da RVC em Aurora, cenário dos últimos momentos de Isaias Arruda.

Produção Cariri Cangaço
Gabriel Barbosa

4 comentários:

LIVRO DIGITAL - LUIZ DOMINGOS DE LUNA disse...

Parabéns a Equipe do Cariri Cangaço, por levar à Lume, o alvejamento de "Izaias Arruda" na Estação Ferroviária de Aurora, outrossim, a visão romântica do "Algodão desceu" e o "feijão subiu" na tanscorrência dos telégrafos, precisa à luz dos fatos,maior esclarecimento, pois para o uso dos códigos, seria necessário que o Telegrafista fosse também, um integrante da Ordem Santa Cruz o que ainda hoje, não é fato. (para a historia laica)

Praza Deus a Secretaria de Cultura de Aurora ou a equipe do Cariri Cangaço descubra o nome do irmão em Fortaleza para referendar os fatos como de fato ocorreram, do contrário, cria-se, a tangência pensamental de que a Rede Viação Cearense sabia de uma possivel emboscada para alvejar Izais na Estação de Aurora o que não é fato.

Não quero com isto absorver os Paulinos, mas que, para a condenação histórica, é preciso que exista uma comprovação científica, comprobatória, verdaeira, de fato e de direito para não cairmos na naturazação, do óbvio, do sensacional. Pois o telegrafista, sabia bem os códigos - Sem telegrafista não haveria Morte de Isaias Arruda, com certeza um imbróglio que deve ser estudado sem as paixões ou emoções balofas e, já, devidamente, condenativa , sem o direito de defesa.

Praza Deus, os estudiosos, possam escarecer os fatos com a seriedade que a história almeja. Para que as novas gerações possam estudar a historia feita com seriedade respeito e responsabilidade, o que creio ser, a determinação maior da Secretaria de Cultura de Aurora na pessoa do abalizado Prof. José Cicero da Sila de da Equipe do Cariri Cangaço como um todo, especialmente, no grande estudioso do Cangaço nordestino o abnegado Manoel Severo e do Colega de trabalho do cangaço Francsico Pereira Lima Prof Cajazeiras no Estado da Paraiba.

milton disse...

A estação de AURORA tá bonita, chic, revitalizada, só faltou mesmo uma coisa q se eu tivesse eu aí e tivesse voluntários, poria em prática. É o nome na cumeeira do imóvel, como tem em outras estações: A U R O R A, é o q falta. E se botar a dist. e alt. melhor ainda, aí ficou 100% completo. Vamos por em prática desde já?

Anônimo disse...

Minha família morava aí nessa época os Zéferino Alves hj moramos no massapé filhos netos e bisnetos de João Zeferino alves

Anônimo disse...

Minha família morava aí nessa época os Zéferino Alves hj moramos no massapé filhos netos e bisnetos de João Zeferino alves a quem interessar