Lampião em Juazeiro do Norte



Virgulino e a família Ferreira em Juazeiro, Março de 1926


Uma das noites mais marcantes do Cariri Cangaço 2009, nos trouxe uma das maiores polêmicas da historiografia do cangaço durante o ciclo lampiônico: A visita do Rei vesgo a Juazeiro do Norte em março de 1926; quando na oportunidade lhes foi "conferida" a patente de Capitão dos Batalhões Patrióticos, sob o comando do já debilitado caudilho, Floro Bartolomeu.


Quem realmente arquitetou a ida do chefe cangaceiro a Juazeiro? Padre Cícero teria conhecimento de tal artimanha que estava se construindo? Lampião esteve realmente com o santo padre? De quem foi a idéia da famosa patente? Lampião realmente pretendia se regenerar? Combateria os integrantes da Coluna Prestes? Essas e outras indagações foram respondidas na memorável noite de 23 de setembro, no memorial Padre Cícero, na segunda noite do Cariri Cangaço 2009.Abaixo os protagonista do grande debate.


Prefeito de Juazeiro do Norte, Dr. Manoel Santana, fez a abertura do evento

Coordenador da Mesa, Professor Doutor Lemuel Rodrigues

Conferencista da Noite, Dr. Napoleão Tavares Neves
Conferencista da Noite, Pesquisador Anildomá Willians
Mesa de Debates, Dr. Inácio Loyola Freitas
Mesa de Debates, Dr. Antônio Amaury

Tudo o que aconteceu nesta noite, nas conferências do Memorial Padre Cícero; e em todos os outros momentos do Cariri Cangaço , vamos encontrar no 
BOX Cariri Cangaço 2009, 
brevemente sendo disponibilizado a todos através deste Blog.

DVD Cariri Cangaço 2009

4 comentários:

Yuri Luna disse...

Acompanho sempre que possível as matérias e comentários deste respeitável blog. Vi os comentários de um amigo, falando que entre os pesquisadores existe muita discordãncia e tudo mais; mas, gostaria de dizer que isso é salutar, desde que não não percamos a noção da civilidade, respeito mutuo e responsabilidade. Mesmo que a gente discorde dessa ou daquela tese ou versão, acho que temos que respeitar aqueles que a defendem, na verdade, muito tempo e sacrifício foram dedicados por esses pesquisadores, pela caatinga afora, para nos trazer suas histórias, por isso, acho que a discordãnica não é algo ruim, muito pelo contrário, é salutar.

Yuri

Yuri Luna disse...

Por exemplo, na minha concepção não acredito que Padre Cícero com toda sua inteligência e sagacidade e ainda com sua ampla rede de informações não soubesse o que estava se tramando com relação a Lampião e os batalhões patrióticos.

Já no cariri cangaço do ano passado tivemos o grande historiador Napoleão Tavares Neves afirmando, de acordo com suas pesquisas, que o pedre não sabia de nada.

E assim vamos caminhando, Dr. Napoleão Tavares Neves, um homem de uma estatura moral e intelectual sem precedentes no cariri, defende uma versão; não me contraponho, respeito profundamente seu posicioamento, apenas acho que não foi bem assim...

Abraços a todos

YURI

Anônimo disse...

Esse episódio de Juazeiro e Lampião é por demais discutido e cheio de histórias e estórias. De acordo com boa parte da literatura que temos ás mãos, o padre Cícero realmente não teve nada a ver com a presença de Lampião em Juazeiro; mais uma vez teria sido envolvido pelas artimanhas de Floro, que era quem relamente exercia o poder em Juazeiro. O fato é que quando Lapimão chegou o Floro já estava a beira da morte, inclusive no Rio de Janeiro.

Obrigada e parabens pela seriedade do blog;

Janaína Saraiva, Juazeiro

Marcos Assunção disse...

Discutido e as vezes mal discutido; como Lampião ia entrar em Juazeiro do Norte sabendo que ali estavam estacionadas as tropas do batalhão patriótico com mais de 400 homens; então não só padre Cícero sabia, como todos os líderes da cidade.

Assunsão.