Riacho Fundo, Fortaleza e Coito de Virgulino Fotografias:Manoel Severo














Casarão do Riacho Fundo, Fortaleza de Audálio Tenório de Albuquerque, coito seguro do Capitão Virgulino Ferreira, Lampião; em Águas Belas, Pernambuco.

Fotografias de Manoel Severo em 09 de janeiro de 2010.
.

15 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelas fotografias; Elas parecem nos transportar no tempo ao incrível Casarão dos cangaceiros.

Fernanda Rino - Fortaleza

Anônimo disse...

Por falar em fotos alguém tem o contato do fotografo Pachelly Jamacaru, autor dessa maravilhosa fotografia dos Caretas, na margem esquerda desse blog?

Fernanda Rino

Bruno Tavares disse...

Eu apenas fico me questionando se Lampiao e sua turma se esconderia em um casarao destes q eh uma verdadeira arapuca. Se cercado pela policia, nao teria para onde correr. E quando acabassem as balas? os cangaceiros se entregariam ou esperariam o massacre?
Daí minha curiosidade; o coito nao seria, na verdade, nas terras da fazenda do Cel. Audalio?
Gostaria que esse ponto ficasse mais claro.
Saudacoes
Bruno

CARIRI CANGAÇO disse...

Saudações caro Bruno,

Gostaria de tentar mesmo com minhas limitações esclarecer teus questionamentos;

A Casarão do Riacho Fundo se localiza em terras de Audálio Tenório, é na verdade uma de suas propriedades, o mesmoa ainda mantinha outras casas; como por exemplo o casa grande da sede da fazenda Nova,o casarão do centro da cidade (ambas fotografadas por nós e postadas neste blog) e ainda outras mais; inclusive um outro casarão bem próximo ao Riacho Fundo, também tido como uma fortaleza, mas que já se encontrando ruindo e não foi possível visitá-lo.

Caro Bruno, com certeza só ia até esse local quem "realmente tinha negócios", rsrsrsrs, eu senti na própria pela, 4 km serra acima, acidentado, escondido mesmo, ás vezes é difícil conceber que alguám pudesse construir esses casarões em locais de tão difícil acesso; mas ái é que vem a verdadeira intensão desses coronéis.

Como sempre viviam envolvidos em constantes disputas políticas e de poder, mantinham esses locais, sempre guardados por verdadeiros exercitos de jagunços, para sua própria segurança. Além disso mantinham redes de informações poderosas; ninguém se movimentava dentro de seus municípios e redutos, sem que os próprios não soubessem, daí Lampião quase nunca ter sido surpreendido em terras protegidas de coronéis, a não ser que esses estivessem coniventes com as volantes.

A exemplo do Casarão do Riacho Fundo, vamos encontrar inúmeros redutos semelhantes,aqui mesmo no Ceará, podemos citar dentre outros, 2 exemplos clássicos; como a Serra do Diamante (Isaias Arruda) e a famosa e inexpugnável Serra do Mato (Cel. Santana)

Espero humildemente ter pelo menos conseguido esclarecer um pouquinho suas dúvidas.

Grande abraço,

Manoel Severo - Cariri Cangaço

Anônimo disse...

Prezados Manoel Severo e Bruno Tavares, sem falar que era nessas fortalezas dos coronéis que invariavelmente recebiam as encomendas de armamento e munição, geralmente facilitada pelos próprios coronéis que acolhiam o cangaceiro.

Ricardo Lima

Anônimo disse...

Muito bonito e tenebroso o lugar, mas as fotos estão belíssimas.

Renata Freitas - Crato

Bruno Tavares disse...

Prezado Severo:

Pode ser bem distante e escondida, mas para o povo de Nazareh, principalmente, não tinha local de dificil acesso e a caca a Lampiao desconhecia obstaculos.
Tambem acho interessante lembrar que o coito da grota de Angico eh tambem de dificil acesso e la o homem morreu.
De toda maneira agradeco a atencao em esclarecer minhas duvidas.
Bruno

CARIRI CANGAÇO disse...

Caro Bruno, ser distante e escondida sem dúvidas não quer dizer que não poderia ser alcançada, atacada ou algo que o valha; apenas ponderei que nessas propriedades os cangaceiros se arvoravam de estarem em segurança (afirmação essa comprovada por vários depoimentos de remanescentes do grupo cangaceiro) entretanto sabemos das muitas vulnerabilidades, sem dúvidas nenhuma.

Mas de uma coisa eu não tenho dúvidas, seguras ou não, os liderados de Virgulino por muitas vezes se valeram desse tipo de "hospitalidade", rsrsrs.

Os Nazarenos com certeza foram os mais briosos perseguidores de Lampião, estou a seu lado quando fala que para eles não havia limites nem obstáculos. Estive recentemente em Nazaré onde passei o dia inteiro com a família de João Gomes de Lira, almoçando inclusive com o bravo combatente de Lampião, onde pude mais uma vez "beber na fonte". Tenente João Gomes, seus filhos e toda sua família são realmente pessoas especiais e merecem todo nosso carinho e respeito.

Manoel Severo - Cariri Cangaço

Sergio Dantas disse...

Olha aí o nosso querido Vilela levando a turma para lugares onde poucos foram..
Beleza de postagem.
Abraço
Sérgio.'.

Rostand Medeiros disse...

Olá amigos,
Gostaria de parabenizar Severo pela viagem e pela oportuidade de apresentar em seu blog estes locais que, mesmo em seu estado atual, são representativos deste período.
Na compahia do amigo Sergio Dantas visitamos um local assim, que servia de moradia para o cel. Marcolino Diniz, na região de Patos de Princesa, na fronteira entre a Paraíba e Pernambuco. Lampião não ficava nesta casa que visitamos, mas em um esconderijo próximo. Entretanto em várias ocasiões, ele e seus homens de confiança, segundo relatos de pessoas que ouviram relatos vinham para o local jogar baralho com o podero "Caboclo Marcolino", como Luís Gonzaga o imortalizou na música "Xanduzinha".
Durante a Guerra de Princesa ouve um forte combate que descrevi no Overmundo - http://www.overmundo.com.br/overblog/um-episodio-da-esquecida-guerra-de-princesa
O mais triste é que este casarão, o dos Patos de Princesa e tantos outros espalhados pelo sertão afora estão róximos da ruína total e seu desaparecimento é para breve.
Valeu severo, um abraço.

vera Lucia disse...

Sou de Aguas Bélas,e me emociona a riquesa da reportagem, reve os casarões de fazenda nova e o Riacho Fundo foi r ealmente um presente, parabéns para o auto desta obra.

Izaura França disse...

ha muito tempo venha a procurar desta fazenda,pois não tinha como encontra-la,pois o nome qe eu tenho era apenas ''odalho'' aguas belas pernanbuco.Ao entrar no google encontrei Audálio Tenório fazenda nova Riacho Fundo.Ao conversar com minha tia ela me falou que é esta a fazenda,porquê minha avó ja muito velhinha não lembrava o nome certo,lembrava-se que era fazenda nova mais o resto não se lembrava.

Vou contar minha história nasci na fazenda dr.Audálio ao nascer minha mãe faleceu de parto e deixou quatro filhos comigo,só sei que meu pai se chama Luis Quelé,e meu irmãos de sangue se chamam:Silvana,Marinha e rinaldo, minha mãe chamava-se Izaurita e a mãe de meu pai Regina,sua atual mulher se chama alderita.

Meu pai,era pião da fazenda tirava leite,ao nascer minha mãe pediu para meu pai me entregar a mãe dela,por quem fui criada.Nós moravamos em alagoas,numa cidadezinha chamada:FOLHA MIÚDA,perto de arapiraca onde fui criada.

Gostaria se possivél de entrar em contato com essas pessoas que mandaram esses recados falando que também tem uma história da fazenda nova.Princinpalmente dos filhos dos 2 homens de dr.Audálio,pois sei que eles conheçeram meu pai.E que podem me dar alguma informação sobre ele.Minha avó paterna morava na fazenda nova,e que pelo que eu sei nunca saiu de lá com meus dois tios e tia um dos meus tios se chamava:Brás e não lembro o nome dos outros.Gostaria muito de saber se existe ainda alguem de minha familia lá,para que eu possa entrar em contato,se póssivél me mande o e-mail de Patricia Quintella,como ela com a mãe foram de casa em casa,lembra do nome dos moradores de lá.Pois pelos nomes eu posso dá a minah avó e a minha tia e elas lembrarem-se de alguém.
Tenho também uma madrinha que mora em frente a cançela da fazenda,pois minha avó diz que da cançela vê a casa do alto,minha madrinha chama-se Audália e o marido Ciço Candóia FAMILIA CANDÓIA (que é muito conheçida na região).

Hoje vivo na Bahia,na cidade de camaçari.Se possivél mande um e-mail URGENTE pra mim.meu e-mail é:izura.silva2011@hotmail.com.

Agradeço qualquer nóticia.
Izaura França da Silva.

Izaquiel Braz de Oliveira Tié disse...

Olá pessoal do Cariri Cangaço, sou um fã do trabalhode vocês. Sou O Professor IZAQUIEL BRAZ DE OLVIEIRA - TIÉ, tenho facinação pelas histórias de Audálio Tenório de quem fui amigo nos últimos dias de sua vida, quando a cegueira o acomenteu. Do sobrado ouvia dele maravilhosas histórias, narrativas de Lampião, contadas por ele. Agora o que eu gostaria de comunicar é que aquele pedaço de nossa história está desaparecendo. Recentemente estive lá e para minha tristeza, o telhado na parte da frente ruiu completamente. As portas e janelas estão sendo roubadas, o piso encontra-se desniveldo, a cozinha toda desabou o telhado. Mas iponência da do Sobrado continua chamando a atenção de todos os que por lá passarm. Só que num grito de socorro, pois é de se lamentar que um pedaço de nossa história, seja tão abandonado da forma que se encontra. Vou postar para vocês fotos que tirei recentemente e o apelo que venho fazendo para que alguma instituição ou empresa, possa recuperar o sobrado dando a ele o seu lugar devido na história. Enquanto os familiarem disputam na justiça, o patrimômio belo e explendoroso que era o sobrado, se transforma em ruinas. Será que não poderíamos fazer algo por ele? Prof. Izaquiel Braz de Oliveira Tié -tiebraz@hotmail.com

ivanira disse...

aqui morou nossa amiga Maria dos prazeres conhecida com a prazer segunda mulher de Zezinho norberto

Amordaminhavida Famílialuciana disse...

Um máquina do tempo Em 1998 às meus 8 anos de idades morei isatamente nessa casa só não conhecia às histórias. Dela